Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Se Eu Fosse Tua" de Meredith Russo

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

sexta-feira, 7 de setembro de 2012
 PVP: 14,00 €
228 Páginas

Estas podem ser as nossas próprias histórias, ou de alguém com quem partilhamos a mesa, a cama e a vida. Talvez não se revejam em tudo isto, talvez se revejam em alguma coisa, talvez não se revejam em nada. Talvez já tenham ouvido falar fulano, que conhece beltrano, que veio a saber que alguém viveu uma situação parecida. Seja qual for o vosso caso, alguma coisa soará familiar, escreve Paulo Farinha. 
Cláudia, Gonçalo, António, Andreia, Sandra, Octávio e Marta são os personagens que vivem as situações reais em que o autor se baseou. São deles as histórias de Ninguém Disse que Isto ia Ser Fácil, escritas com sentido de humor e focadas nas diferenças entre homens e mulheres e nos clichés de género – as mesmas histórias, atuais e pertinentes, que deixam o leitor a pensar nas suas próprias relações e em como é possível sobreviver neste mundo tecnológico, construir uma relação estável e tentar ser feliz. 


Paulo Farinha nasceu em Lisboa, em 1975. Jornalista, licenciado em Ciências da Comunicação, com uma pós-graduação em Jornalismo Internacional, é atualmente editor executivo da revista Notícias Magazine, suplemento do Jornal de Notícias e do Diário de Notícias. 
Antes disso foi editor executivo das revistas Volta ao Mundo e Evasões, coordenador editorial e editor da revista National Geographic Portugal, entre outros. Colaborou também com a TSF e a Grande Reportagem. Assina, desde junho de 2010, as crónicas «Isto não é o que Parece», publicadas na Notícias Magazine.


PVP: 16,00 €
336 Páginas 

Tudo se passa no Alentejo profundo, mais concretamente nas Minas de S. Domingos. E tudo não é apenas a história de uma paixão condenada nem a saga de uma viagem sem regresso, é também o retrato de um país “orgulhosamente só”, enquanto o mundo estava em guerra e Salazar conduzia Portugal nas curvas apertadas de uma diplomacia hábil e desafiante. 
No livro constam excertos de discursos de António de Oliveira Salazar, notas da Mason and Barry, Limited., companhia exploradora da Mina de S. Domingos, e notas oficiais do governo português. E também a morte de Leslie Howard, quando regressava a Inglaterra depois de uma missão a Portugal e a Espanha, é relembrada nesta história de espiões, intrigas políticas e ambições pessoais. 


Vítor Serpa nasceu em Lisboa em Dezembro de 1951. Chegou a frequentar o curso de Medicina da Faculdade de Medicina de Lisboa, mas cedo se sentiu atraído pelo jornalismo. Em finais dos anos 60, entrou como colaborador para o Diário Popular. Em 1974, foi convidado para integrar os quadros profissionais do jornal A Bola. Foi redator, subchefe de redação, chefe de redação e nomeado diretor em 1992, cargo que mantém, sendo ainda diretor-geral do site Bola on-line e do canal Bola TV. Foi o primeiro jornalista desportivo a integrar uma direção do sindicato dos jornalistas, na presidência de Carlos Cáceres Monteiro. 
Foi professor convidado em cursos universitários de jornalismo. É coautor de livros de jornalismo e de desporto. Publicou, em 2008, o seu primeiro livro de contos, Salão Portugal, e, dois anos depois, faz a sua primeira incursão no romance: Tanta Gente em Mim. Chega, agora, ao Clube do Autor com um novo livro de ficção.


PVP: 17,80 €
384 Páginas 

O Mercador de Livros Malditos é uma história envolvente, marcada por intrigas, segredos ocultos durante séculos e mistérios que vão para lá do conhecimento de sábios e de alquimistas. 
Ao longo das suas páginas o leitor viaja por Itália, França e Espanha no rasto do Uter Ventorum, um livro raro, desmembrado em quatro partes e protegido por intrincados enigmas que, uma vez resolvidos, permitem evocar os anjos e a sua divina sabedoria. 
E leva-o a questionar-se o que há de verdade, lenda, mitologia e superstição nas diferentes teorias sobre os anjos, a ousar possuir as suas capacidades, a procurar resolver as mensagens codificadas que completam o livro sagrado, a mergulhar em pleno ano de 1218 e a querer dividir com Ignazio de Toledo esta fantástica aventura medieval. 
Vencedor da última edição do Prémio Bancarella e do Prémio Literário Emilio Salgari, importantes galardões da literatura italiana, O Mercador de Livros Malditos esteve 24 semanas consecutivas em primeiro lugar no top de vendas em Itália, e em Espanha vai já na 5ª edição. Além de Portugal, também a Alemanha, a Finlândia, a Polónia, a Grécia, o Brasil, Israel e a Sérvia se preparam para lançar o livro. 


Marcello Simoni nasceu em Comacchio (Ferrara), onde vive e trabalha como bibliotecário. Apaixonado por História e Arqueologia, é autor de diversos ensaios históricos e de alguns contos. O Mercador de Livros Malditos é o seu primeiro romance. 

0 devaneios :