Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Desejo Concedido" de Megan Maxwell

Passatempo

Passatempo
Até 3 de Setembro

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

sexta-feira, 7 de setembro de 2012
 PVP: 14,00 €
228 Páginas

Estas podem ser as nossas próprias histórias, ou de alguém com quem partilhamos a mesa, a cama e a vida. Talvez não se revejam em tudo isto, talvez se revejam em alguma coisa, talvez não se revejam em nada. Talvez já tenham ouvido falar fulano, que conhece beltrano, que veio a saber que alguém viveu uma situação parecida. Seja qual for o vosso caso, alguma coisa soará familiar, escreve Paulo Farinha. 
Cláudia, Gonçalo, António, Andreia, Sandra, Octávio e Marta são os personagens que vivem as situações reais em que o autor se baseou. São deles as histórias de Ninguém Disse que Isto ia Ser Fácil, escritas com sentido de humor e focadas nas diferenças entre homens e mulheres e nos clichés de género – as mesmas histórias, atuais e pertinentes, que deixam o leitor a pensar nas suas próprias relações e em como é possível sobreviver neste mundo tecnológico, construir uma relação estável e tentar ser feliz. 


Paulo Farinha nasceu em Lisboa, em 1975. Jornalista, licenciado em Ciências da Comunicação, com uma pós-graduação em Jornalismo Internacional, é atualmente editor executivo da revista Notícias Magazine, suplemento do Jornal de Notícias e do Diário de Notícias. 
Antes disso foi editor executivo das revistas Volta ao Mundo e Evasões, coordenador editorial e editor da revista National Geographic Portugal, entre outros. Colaborou também com a TSF e a Grande Reportagem. Assina, desde junho de 2010, as crónicas «Isto não é o que Parece», publicadas na Notícias Magazine.


PVP: 16,00 €
336 Páginas 

Tudo se passa no Alentejo profundo, mais concretamente nas Minas de S. Domingos. E tudo não é apenas a história de uma paixão condenada nem a saga de uma viagem sem regresso, é também o retrato de um país “orgulhosamente só”, enquanto o mundo estava em guerra e Salazar conduzia Portugal nas curvas apertadas de uma diplomacia hábil e desafiante. 
No livro constam excertos de discursos de António de Oliveira Salazar, notas da Mason and Barry, Limited., companhia exploradora da Mina de S. Domingos, e notas oficiais do governo português. E também a morte de Leslie Howard, quando regressava a Inglaterra depois de uma missão a Portugal e a Espanha, é relembrada nesta história de espiões, intrigas políticas e ambições pessoais. 


Vítor Serpa nasceu em Lisboa em Dezembro de 1951. Chegou a frequentar o curso de Medicina da Faculdade de Medicina de Lisboa, mas cedo se sentiu atraído pelo jornalismo. Em finais dos anos 60, entrou como colaborador para o Diário Popular. Em 1974, foi convidado para integrar os quadros profissionais do jornal A Bola. Foi redator, subchefe de redação, chefe de redação e nomeado diretor em 1992, cargo que mantém, sendo ainda diretor-geral do site Bola on-line e do canal Bola TV. Foi o primeiro jornalista desportivo a integrar uma direção do sindicato dos jornalistas, na presidência de Carlos Cáceres Monteiro. 
Foi professor convidado em cursos universitários de jornalismo. É coautor de livros de jornalismo e de desporto. Publicou, em 2008, o seu primeiro livro de contos, Salão Portugal, e, dois anos depois, faz a sua primeira incursão no romance: Tanta Gente em Mim. Chega, agora, ao Clube do Autor com um novo livro de ficção.


PVP: 17,80 €
384 Páginas 

O Mercador de Livros Malditos é uma história envolvente, marcada por intrigas, segredos ocultos durante séculos e mistérios que vão para lá do conhecimento de sábios e de alquimistas. 
Ao longo das suas páginas o leitor viaja por Itália, França e Espanha no rasto do Uter Ventorum, um livro raro, desmembrado em quatro partes e protegido por intrincados enigmas que, uma vez resolvidos, permitem evocar os anjos e a sua divina sabedoria. 
E leva-o a questionar-se o que há de verdade, lenda, mitologia e superstição nas diferentes teorias sobre os anjos, a ousar possuir as suas capacidades, a procurar resolver as mensagens codificadas que completam o livro sagrado, a mergulhar em pleno ano de 1218 e a querer dividir com Ignazio de Toledo esta fantástica aventura medieval. 
Vencedor da última edição do Prémio Bancarella e do Prémio Literário Emilio Salgari, importantes galardões da literatura italiana, O Mercador de Livros Malditos esteve 24 semanas consecutivas em primeiro lugar no top de vendas em Itália, e em Espanha vai já na 5ª edição. Além de Portugal, também a Alemanha, a Finlândia, a Polónia, a Grécia, o Brasil, Israel e a Sérvia se preparam para lançar o livro. 


Marcello Simoni nasceu em Comacchio (Ferrara), onde vive e trabalha como bibliotecário. Apaixonado por História e Arqueologia, é autor de diversos ensaios históricos e de alguns contos. O Mercador de Livros Malditos é o seu primeiro romance. 

0 devaneios :