Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"O Amor que Nos Une" de Megan Maxwell

Passatempo

Passatempo
Resultados!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

terça-feira, 1 de novembro de 2011
Autora: Lesley Pearse
Edição/reimpressão: 2008
Páginas: 432
Editor: Edições Asa
ISBN: 9789892303178

Sinopse:
Até onde iria por amor?
Num dia… Com um gesto apenas… A vida de Mary mudou para sempre.
Naquele que seria o dia mais decisivo da sua vida, Mary - filha de humildes pescadores da Cornualha - traçou o seu destino ao roubar um chapéu.  O seu castigo: a forca.  A sua única alternativa: recomeçar a vida no outro lado do mundo.
Dividida entre o sonho de começar de novo e o terror de não sobreviver a tão dura viagem, Mary ruma à Austrália, à época uma colónia de condenados. O novo continente revela-se um enorme desafio onde tudo é desconhecido… como desconhecida é a assombrosa sensação de encontrar o grande amor da sua vida. Apaixonada, Mary vai bater-se pelos seus sonhos sem reservas ou hesitações. E a sua luta ficará para sempre inscrita na História.
Inspirada por uma excepcional história verídica, Lesley Pearse - a rainha do romance inglês - apresenta-nos Mary Broad e, com ela, faz-nos embarcar numa montanha-russa de emoções únicas e inesquecíveis.


Opinião:
Numa altura em que o povo vivia na pobreza, uma rapariga rouba um chapéu. Como castigo, será morta na forca... Mas propôem-lhe uma nova vida, longe do seu país, longe de tudo e todos, mas onde iria continuar viva, sendo o castigo da forca posto para trás das costas.
Decidida a manter-se viva em tão dura viagem, numa altura que a percentagem de mortes no transporte de prisioneiros era tudo menos baixa, Mary consegue cair nas boas graças do capitão do navio, do dirigente e de todos os que lá se encontravam. Dona de uma grande inteligência e manha, Mary consegue fazer com que as condições do navio melhorem e num pacto com o comadante consegue inclusivé dar aos prisioneiros breves momentos de ar livre, sol e esperança.
Acabando por ter um caso com um dos superiores do navio, Mary acaba por ter um lugar de destaque entre a tripulação do navio, acabando por se tornar grande amiga de três famosos prisioneiro. Um desses acaba por se tornar seu marido, um homem forte, belo, muitíssimo simpático e desenrascado.
Quando chegam à famosa colónia, todos os condenados pensam que os seus dias de infortúnio chegaram ao fim, mas tal ideia apenas dura nos primeiros meses, em que o trabalho árduo necessário para criar habitações, lojas, barcos e afins lhes ocupa todas as horas do dia. Começa assim a chegar a altura em que apenas os mais fortes e inteligentes sobrevivem e nessa categoria encontram-se Mary e o marido. Mas nada é perfeito e Mary acaba por descobrir que por vezes por mais trabalho árduo, amor e até mesmo inteligência que se tenha, a vida nem sempre é justa e tem-se que lutar com todas as forças para lhe sobreviver.

ADOREI! Numa tinha lido nada desta autora, mas posso assegurar que isso acabou e que irei ler outros livros dela! Sem dúvida alguma! Num romance que mistura história com ficção, é-nos apresentada Mary, uma rapariga de uma aldeia simples que num pequeno deslize acaba por ser condenada à forca. Numa altura em que o mundo se anda a expandir, torna-se das primeiras condenadas a ir para uma colónia e a primeira a fugir de uma delas sem ser apanhada no processo! Mas as condições de vida e o stress em que se vivia mudou muita coisa e as pessoas que ela pensava conhecer melhor acabaram por se revelar algo diferente e quando lhe nasce uma filha as coisas pioram, mas fazem com que esta mulher excepcional decida continuar forte, decidida e lutadora! Esta é sem dúvida uma das minhas personagens literárias femininas favoritas - literária? não sei bem se a posso caracterizar apenas como isso, afinal ela existiu mesmo. A sua personalidade, a sua inteligência, tudo nela tornou o livro mais rico e interessante.

Por outro lado temos também a escrita da autora que adorei! Fluída, não demasiado simples, mas muito perceptível, Lesley Pearse tem o poder de nos encantar e prender na sua escrita. As suas descrições fazem-nos parecer que estamos realmente na Cornualha, faz-nos sentir o sofrimento e amor de Mary e fazem-nos querer ler este livro sem parar!

Adorei e é sem dúvida um livro que recomendo!

0 devaneios :