Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"A Química do Amor" de Emily Foster

Passatempo #1

Passatempo #1
Até 24 de dezembro

Passatempo #2

Passatempo #2
Até 27 de dezembro

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011
Autora: Gwyn Cready
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 400
Editor: Livros d'Hoje
ISBN: 9789722045070

Sinopse:
A historiadora de arte Campbell Stratford está prestes a afirmar-se no mundo da Arte tornando-se na nova directora executiva do famoso Carnegie Museum of Art, em Pittsburg. Para que tal aconteça está dependente do contrato de um livro.
Tendo em conta que o seu grande amor no mundo da arte são os artistas do século XVII, Cam resolve escrever uma fictografia - biografia ficcionada - escandalosamente sexy e reveladora, sobre um dos importantes artistas desse período, Anthony Van Dyck.
Decide fazer algumas pesquisas na Internet para tomar conhecimento de factos reais que pretende entrosar com a ficção e é fortuitamente "enviada", como se de uma máquina do tempo se tratasse, para o ateliê de um outro artista menor, Sir Peter Lely, um pintor da corte, por quem decide ser retratada e com quem se envolve numa noite de arrebatadora paixão, quando o seu intuito é descobrir como é possível a mudança temporal.
O Grémio Executivo que tem como função supervisionar as almas de artistas já falecidos, quando toma conhecimento da intenção de um livro escandaloso que está a ser escrito por alguém no século XXI, faz planos para impedir a sua publicação, e o seu intermediário é o playboy Lely.
Campbell regressa a casa e descobre a traição, mas antes que se possa virar contra o seu amante, Sir Peter aparece de surpresa no futuro e transforma a sua vida no século XXI num verdadeiro caos.
 
 
Opinião:
Campbell Stratford é uma das melhores na sua área e tem como objectivo tornar-se a próxima directora executiva do Carnegie Museum of Art. Mas tem à perna a sua irmã mais nova, que também quer ter essa posição. Para conseguir o lugar, Cam tem que provar o seu valor e fazer-se mais conhecida entre a direcção que a sua irmã. Para isso volta ao seu livro, algo que tinha começado há vários anos, mas que devido a falta de tempo e paciência tinha ficado guardado para o futuro. Numa das suas pesquisas, ao abrir um ficheiro algo de estranho acontece e é transportada várias séculos no passado, caindo no atelier de Sir Peter Lely, um artista da corte e aprendiz do grande pintor sobre o qual ela estava a escrever o livro.
 
De uma forma inesperada Peter e Cam, após muitos mal entendidos acabam por começar a sentir algo mais um pelo outro, mas quando duas pessoas não são da mesma época a coisa pode ser complicada no campo amoroso.
 
Gostei muito deste romance. É um romance muito engraçado, que apesar de tudo tem um pouco de cultura, uma parte que embora pareça não ser nada importante, acaba por ser muito importante para o porquê de toda a história.
 
As personagens são muito giras e interessantes e são elas o que fazem o livro o que é. A personagem principal, Cam é verdadeira, corajosa e muitíssimo engraçada e faz-nos rir em diversos momentos. Peter, é uma personagem inteligente, talentosa e que mostra um talento especial por conquistar as mulheres, algo que se vê e sente nos seus quadros. Anastacia é a irmã de Cam, uma irmã cruel, fria e que faz tudo para fazer a irmã ficar mal, mas que acaba por nos mostrar um lado querido quando menos esperamos.
 
A juntar isto tudo, a escrita da autora faz com que tudo se conjugue de forma interessante e muito imaginativa, fazendo deste um livro óptimo para um serão calmo e tranquilo.

2 devaneios :

Elphaba J. disse...

Tenho este livro para ler já faz bastante tempo, agora fiquei com imensa vontade de lhe pegar :)

Clarinda disse...

Eu também! Boas Festas!