Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Se Conhecessem a Minha Irmã..." de Michelle Adams

Passatempo

Passatempo
Até 3 de Setembro

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quarta-feira, 31 de outubro de 2012
Autor: Thomas E. Sniegoski
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 416
Editor: Edições Asa
ISBN: 9789895579570
Coleção: 1001 Mundos

Sinopse:
Na véspera do seu décimo oitavo aniversário, Aaron Corbet é assombrado por um pesadelo. Aaron encontra-se num cenário negro, caótico e violento, envergando uma armadura, no centro de um conflito sangrento.
Consegue ouvir o som das armas a chocarem, os gritos dos que são atingidos e os gemidos dos moribundos, e um outro som que não consegue identificar. Mas, quando olha para cima, percebe, ao ver centenas de guerreiros em armadura a descer do céu em direção ao campo de batalha. É o som de bater de asas. O bater de asas dos anjos.
Órfão desde o nascimento, Aaron descobre, para sua surpresa, que tem poderes sobrenaturais, mas só quando é abordado por dois desconhecidos é que começa a compreender o seu papel como ligação entre anjos e humanos e se vê envolvido numa luta eterna entre o bem e o mal.


Opinião:
Já estava com saudades de ler um livro de fantasia, cheio de anjos e muita magia e foi essa a principal razão para ter pegado neste livro que estava a chamar por mim da minha estante.

É o dia de anos de Aaron, finalmente faz 18 anos, uma data que todos os adolescentes gostam, pois marca o início de uma vida mais de adulto e liberdade. Mas para Aaron está a ser tudo menos um dia perfeito! Perseguido por pesadelos horríveis e dores de cabeça que o fazem pensar que esta está prestes a explodir, Aaron pensa que o dia não poderia piorar! Mas acaba por descobrir que isso é totalmente mentira, quando  começa a perceber pessoas que falam em línguas que ele nunca aprendera e quando se apercebe que consegue falar com todos os animais! Para juntar à festa, um estranho homem que lhe chama de nephelim começa praticamente a persegui-lo e por muito que o tente afastar, Aaron repara que este não o larga!

Finalmente descobre a verdade, por muito inacreditável que seja. Aaron representa uma antiga profecia, que diz que iria aparecer um nephilim, metade anjo metade humano, que iria salvar todos os anjos caídos, dando o perdão universal àqueles que estão realmente arrependidos do seu passado, ido de novo para o céu, para onde pertencem. Mas enquanto imensos anjos caídos abraçam esta ideia e tentam salvá-lo a todo o custo, também temos anjos que acham que os que caíram deveriam manter-se assim e merecem o castigo interno, por muito arrependidos que estejam. São estes mesmo anjos que começam a perseguir Aaron e a tentar matá-lo! Mas se já era mau o suficiente estarem atrás dele, as coisas correm ainda pior quando decidem perseguir todos aqueles que de alguma forma estão ligados a ele, nomeadamente a sua família adoptiva, que acaba por ser assassinada de uma forma horrível e o seu irmãozinho, que é raptado para ser uma ferramenta nas mãos destes anjos assassinos.

É então que Aaron tenta recuperar a única família que tem, o seu irmão, numa viagem em que descobre que o poder que tem é maior do que alguma vez imaginara, chegando inclusive a descobrir que há quem saiba quem é o seu pai.

Sinceramente esperava mais deste livro. Sim, é um livro giro, com uma história interessante, mas nota-se que é um livro mais adolescente e juvenil, algo que fez com que não me chamasse tanta a atenção. É verdade que este tipo de livro até me "soube bem" como leitura do momento, pois devido ao estudo ando demasiado cansada e por ser um livro com uma escrita e história simples, li-o calmamente, relaxadamente e sem esforço algum. As personagens poderiam ser mais desenvolvidas, mas tenho esperança que o próximo livro seja muito melhor, pois houve imensas pontas soltas e que me deixaram imensamente curiosa no final. Desde pontas soltas relativamente ao pai de Aaron, ao seu irmãozinho, à rapariga brasileira por quem este tem um fraquinho e que sabe tudo anjos, etc. 

É uma saga que irei acompanhar, mas que recomendo especialmente para uma faixa etária mais juvenil ou então a alguém que não queira uma leitura leve.

0 devaneios :