Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Se Conhecessem a Minha Irmã..." de Michelle Adams

Passatempo

Passatempo
Até 3 de Setembro

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

sexta-feira, 2 de novembro de 2012
Autora: Joanne Harris
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 496
Editor: Edições Asa
ISBN: 9789892320106

Sinopse:
Vianne Rocher recebe uma estranha carta. A mão do destino parece estar a empurrá-la de volta a Lansquenet-sur-Tannes, a aldeia de Chocolate, onde decidira nunca mais voltar. Passaram já 8 anos mas as memórias da sua mágica chocolataria La Céleste Praline são ainda intensas. 
A viver tranquilamente em Paris com o seu grande amor, Roux, e as duas filhas, Vianne quebra a promessa que fizera a si própria e decide visitar a aldeia no Sul de França. À primeira vista, tudo parece igual. As ruas de calçada, as pequenas lojas e casinhas pitorescas… Mas Vianne pressente que algo se agita por detrás daquela aparente serenidade. O ar está impregnado dos aromas exóticos das especiarias e do chá de menta.
Mulheres vestidas de negro passam fugazes nas vielas. Os ventos do Ramadão trouxeram consigo uma comunidade muçulmana e, com ela, a tão temida mudança. Mas é com a chegada de uma misteriosa mulher, velada e acompanhada pela filha, que as tensões no seio da pequena comunidade aumentam. E Vianne percebe que a sua estadia não vai ser tão curta quanto pensava. A sua magia é mais necessária do que nunca!


Opinião:
Quando a vocês não sei, mas eu desde que li o livro "Sapatos de Rebuçado" apaixonei-me pela escrita da autora e pelas histórias fantásticas que nos traz. Quando soube que iria sair outro livro da série "Chocolate" fiquei de imediato de olho nele e foi assim que o decidi adquirir.

Vianne vive feliz com Roux e as suas duas filhas, passeado de terra em terra sem amarras e totalmente livres. Passam os dias no barco de Roux, vivem graças aos pequenos talentos do pai e aos trabalhos que este consegue arranjar recuperado coisas. Tudo corria bem até que Vianne recebe uma carta de uma velha amiga sua de Lansquenet-sur-Tannesque que havia falecido não há muito tempo. A carta era preocupante e descrevia um mal que assombrava a pequena aldeia onde Vianne tinha vivido há uns anos atrás e onde havia criado a sua pequena e famosa chocolataria.

Sendo puxada por um chamamento invisível, Vianne acaba por regressar à aldeia com as suas duas filhas que também queriam ir. Já Roux, assombrado com as antigas memórias daquele local prefere continuar onde estava, livre e sem problemas, a gozar a vida. Quando regressa à sua antiga casa, Vianne repara logo nas diferenças. Inúmeras mulheres cobertas de negro, dos pés à cabeça passeiam nas ruas de Lansquenet, sob os olhares atentos e desconfiados dos cidadãos da aldeia. Quando regressa, Vianne é de imediato reconhecida pelos seus antigos amigos e inimigos que de imediato querem saber o que se passa para ela ter regressado, quando tempo irá ficar e ficam logo com esperança que algo ocorra que possa fazer a aldeia regressar ao que era. Afinal de contas Vianne sempre teve uma magia especial que fazia tudo em seu redor melhorar, mesmo quando tudo e todos estavam contra ela.

Desda vez tem o apoio do antigo padre da paróquia da aldeia, alguém que sempre a achara uma má influência sobre os "filhos de deus", mas que no final percebera que apenas estava contra Vianne pois ela era diferente e ele receava os que eram diferentes das pessoas que ele conhecera. O padre tenta abrir a sua mente e coração a estas novas pessoas, esta nova comunidade muçulmana, mas há certas atitudes que vão contra tudo o que o obstinado padre sempre defendeu, e quando o culpam de algo que ele não fez, decide arranjar solução e lutar contra aquele ambiente oprimido que agora se vive na aldeia.

Gostei imenso deste livro! Vemos um novo lado de Vianne, uma pessoa calma e que confia em todos, quando esta acha que descobre a razão que impede Roux de regressar à pequena aldeia, desconfiando do homem que ama. Conhecemos também as suas filhas, duas crianças livres, de mente aberta e que conseguem fazer com que todos confiem nelas. Mas uma das personagens que gostei mais neste livro foi sem dúvida o padre. Vemos umas grande alteração da sua maneira de ser desde o último livro a este, uma mudança para melhor, e sinceramente comecei a gostar imenso da personagem e a sofrer por ele à medida que avançava na leitura do livro.

A autora continua com a mesma escrita fluída, na primeira pessoa, que faz com que o leitor se perda entre as páginas desta maravilhosa história. Com um tipo de escrita cuja magia acaba sempre por se descobrir ser o amor, a confiança e o esforço, conhecemos personagens únicos, absolutamente excepcionais e mágicos.

Gostei imenso, é uma autora que gosto mesmo muito e é um livro que recomendo a todos, mesmo aqueles que não leram os livros anteriores!

0 devaneios :