Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Se Conhecessem a Minha Irmã..." de Michelle Adams

Passatempo

Passatempo
Até 3 de Setembro

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

domingo, 3 de março de 2013
Autor: Manuel Monteiro
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 144
Editor: Quidnovi
ISBN: 9789895549429

Sinopse:
Alexandre meteu-se na política porque acreditava que podia mudar o mundo e salvar todos os infelizes que se cruzavam com ele. Inconscientemente foi isso que tentou fazer com José, um músico incompreendido por todos e desequilibrado que viria a transformar-se na sua sombra. E Alexandre deixou-se manipular e passou a viver uma vida que não era a sua, preso a uma amizade doentia ancorada nas dívidas e amparada por um misto de culpa e compaixão. Uma amizade pode ser destrutiva a ponto de se transformar num vício? Pode.


Opinião:
É muito invulgar para mim começar a leitura de livros deste género, mas havia algo na sinopse do livro, e até mesmo na capa de tal forma estranhos que captaram a minha atenção! Devo dizer que foi um livro que me custou entrar e no início li-o um pouco como que por obrigação, mas acabei por adorar aquilo que estava a ler e não conseguir parar de o fazer!

Esta leitura começa por se demonstrar como um livro onde nos será apresentado o grande objectivo de vida de Alexandre... a política! Alexandre descobriu que mesmo sem querer, tem jeito para política, é algo intrínseco, algo que nasceu com ele e que ele decide seguir! Mas a verdade é que este livro não é propriamente sobre esse tema...

O verdadeiro tema é a amizade algo estranha, entre José e Alexandre. José sempre foi amigo de Alexandre, gostavam de estar juntos, tinham assuntos que discutiam e embora nunca chegassem a um acordo acabaram por criar laços de grande amizade entre ambos. Mas a verdadeira natureza de ambos é muito mais diferente do que estes esperariam. José acaba por se demonstrar um aproveitador da pior espécie, que começa a apenas contactar Alexandre quando precisa de favores, normalmente favores financeiros. E a coisa piora quando este lhe diz sempre "eu hei-te pagar, estou a juntar dinheiro para pagar", mas Alexandre acaba por não ver nem rasto das centenas que lhe empresta! E quando mais precisa da ajuda do seu amigo, nem sinal deste!

Este não é um livro para qualquer um. Não pela história em si, mas pela escrita. Achei um pouco difícil entrar no ritmo da escrita, mas quando entrei comecei a achar que era esta que dava ao livro aquele "quê" de especial. A história é directa e o tom irónico com que por vezes é contada torna-a leve e interessante. É praticamente um livro sobre um rapaz com grandes sonhos mas demasiado inocente para o seu próprio bem que levado por um instinto de amizade empresta imenso dinheiro ao "suposto" amigo, mas nunca mais o vê de volta.

Aconselho, embora acredite que hajam pessoas que fiquem um pouco cépticas a este livro devido à linguagem usada.

0 devaneios :