Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"O Amor que Nos Une" de Megan Maxwell

Passatempo

Passatempo
Resultados!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

segunda-feira, 5 de agosto de 2013
Autora: Fern Michaels
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 232
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722348638
Coleção: Champanhe e Morangos

Sinopse:
Toots, Sophie, Mavis e Ida conhecem-se desde a escola e não deixam que nada interfira na sua sólida amizade, nem abdicam de uma vida recheada de emoções fortes, apesar de já contarem 65 primaveras. Mas, desta vez, talvez as emoções estejam a ser um pouco fortes demais. Quando, após uma sessão espírita, Ida recebe uma mensagem que sugere que o marido foi assassinado, as quatro amigas decidem investigar. O resultado? Um plano ambicioso, peripécias inesperadas e um livro divertido que afirma que nada é impossível quando a amizade genuína se ergue contra todos os obstáculos.
Considerada uma grande contadora de histórias, Fern Michaels apresenta em Nunca É Tarde Demais um livro que poderia ser um argumento de um filme de Hollywood: divertido, descontraído, leve, inspirador e com pequenos apontamentos mais comoventes.


Opinião:
Já li outro livro desta autora, "Uma Mulher de Sonho". Nessa altura o livro atingiu-me de forma pessoal e por isso quando vi uma oportunidade para ler outro livro da autora aproveitei. O veredicto final? Devia ter-me mantido pelo livro anterior da autora para ficar com uma impressão positiva.

65 anos é uma idade comemorativa, especialmente quando interiormente mantens a juventude e mantens também as tuas amigas de longa data. Toots, Sophie, Mavis e Ida estão neste caso. São grandes amigas, conhecem-se umas às outras melhor que ninguém e interiormente ainda são como que umas jovens. Quando uma das amigas com o avançar da idade decide experimentar coisas novas e uma dessas coisas é tornar-se espírita nunca esperavam que fosse uma experiência que se pode dizer que corre bem quando conseguem contactar com o marido de Ida. Marido esse que afirma que a sua morte não fora natural, tendo sido assassinado.

E é assim que começa um dos livros mais confusos que li nos últimos tempos. Não conheço nenhuma das personagens. O que conheci delas deste livro apenas me permite dizer que são todas umas fúteis que acham que têm 20 anos. Nada de mal em pessoa mais velhas se divertirem, mas daí a dizerem certas coisas como dizem, a vestirem-se para "engatar gajos". Não sei, só me fazia imaginar os meus avós a fazerem aquelas coisas, algo que em nada é agradável.

É um livro que não posso comentar muito. Uma história fraca, personagens ainda mais fracas e a escrita parece como que a escritora tivesse desaprendido muita coisa sobre como escrever um bom livro.

Não recomendo.

3 devaneios :

Adeselna Davies disse...

Estou a ler mas também está a ser dificil! O início é intragável quase e só continuo a ler para saber quem é o assassino, mas tem imensa palha! :(

Framboesa (uma diva de galochas) disse...

Também não gostei...mas la me aguentei até ao fim...

v_crazy_girl disse...

Também me aguentei, mas foi difícil... tinha aquela pequena esperança que o livro melhorasse de repente, o que infelizmente não foi de todo o caso!