Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Prometes Amar-me?" de Monica Murphy

Passatempo

Passatempo
Até 23 de Julho

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

terça-feira, 24 de dezembro de 2013
Autora: Jamie McGuire
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 344
Editor: Editorial Planeta
ISBN: 9789896573751

Sinopse:
BOA RAPARIGA
Abby Abernathy não bebe, não pragueja e trabalha muito. Abby acredita que está enterrada no nefasto passado, mas, quando entra no colégio, os seus sonhos de ter um novo começo sofrem um desafio numa noite.
MAU RAPAZ
Travis Maddox, sensual, bem-constituído e coberto de tatuagens é exactamente o que Abby precisa - e quer - evitar. Ele passa as noites a ganhar dinheiro num clube de combate e os dias no conhecido colégio Lothario.
DESASTRE IMINENTE?
Intrigado pela resistência de Abby ao seu charme, Travis entra na sua vida por uma aposta. Se perder, deverá viver em celibato durante um mês. Se Abby perder, terá de viver no apartamento de Travis por um período semelhante.
OU O PRINCÍPIO DE ALGO MARAVILHOSO?
De qualquer maneira Travis não faz a mínima ideia de que encontrou uma parceira de jogo à altura. Ou será o princípio de uma relação obsessiva e intensa que irá conduzi-los a um território inimaginável…


Opinião:
Admito, este foi um livro que logo desde o início me chamara a atenção. O porquê? Adorei a parte da sinopse que diz boa rapariga, mau rapaz. Fez-me logo pensar "hmm, estou perante um livro de adolescentes romântico e com um bad boy". E bastou isso para me dar um vontade enorme de o ler. Embora ainda tenha demorado um pouco a começar a lê-lo devo dizer que quando o fiz só o larguei quando acabei, algo que não foi difícil, pois é um livro que nos absorve do início ao fim.

Abby sempre foi a menina certinha. Notas altas, nunca ia a grandes festas, tinha um grupo pequeno de amigos... Algo que mudou totalmente quando a sua melhor amiga a levou a um clube de combate ilegal e onde conheceu Travis, um rapaz que desde logo lhe chama a atenção e a encanta. Um rapaz que é conhecido por arranjar constantemente problemas, por ser alguém difícil de lidar. Mas esse mesmo rapaz acaba por ficar apanhadinho por Abby, uma rapariga diferente de todas as que já conhecera, que apenas quer ser sua amiga e que não lhe quer saltar em imediato em cima.

Abby acaba por perder uma aposta que a leva a ter que ficar a dormir no quarto de Travis durante um mês inteiro. Um mês em que esta acaba por descobrir que este não é o bad boy que todos pensam, mas sim um rapaz que teve uma vida difícil e que faz tudo pelos amigos. A partir desse momento Travis começa a mudar (para melhor), algo que é notado por todos os que o conhecem e mesmo por aqueles que apenas conheciam o seu nome. Torna-se mais calmo, menos violento, a sair menos e a deixar de andar com uma rapariga diferente cada noite. A culpa? Todos dizem que é Abby a razão desta mudança. Que Abby o tornou uma pessoa melhor, alguém mais calmo e menos mulherengo. Mas embora esta seja parte da realidade, a grande verdade é que Travis já não vê Abby apenas como a sua melhor amiga, mas sim como algo mais e faz de tudo para ver se é ou não correspondido.

Devo dizer que fiquei com sentimentos muito contraditórios quando ao livro. Por um lado adorei. Não o consegui largar, a escrita é simples e fluída e acaba assim por prender o leitor da primeira à última página, fazendo com que este apenas largue o livro quando o acaba. E achei que a primeira metade do livro era a melhor, quando começávamos a conhecer as personagens, a perceber que algo faltava ali e a querer conhecer mais do seu passado. Mas a partir de metade, embora eu tenha continuado a devorar o livro nesta parte, devo dizer que enfraqueceu um pouco a história. O livro começou a arrastar-se e a mostrar facetas das personagens que achei muito controladoras, demasiado para o meu gosto. Algo que se me tivesse acontecido a mim eu teria simplesmente "fugido" a sete pés. As personagens do livro, a partir mais ou menos de metade, começaram a entrar numa relação que para mim mais me parecia doença do que amor propriamente dito e isso começou a fazer-me impressão, tendo o final sido demasiado brusco.

Já saiu em português o livro do ponto de vista do Travis (este é do ponto de vista da Abby) e deverei lê-lo para ver se compreendo algumas das atitudes do Travis que neste livro me confundiram imenso. De resto, para quem quer uma leitura leve, e apesar da parte da atitude controladora, recomendo pois eu gostei muito!

0 devaneios :