Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"O Amor que Nos Une" de Megan Maxwell

Passatempo

Passatempo
Resultados!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

sábado, 15 de fevereiro de 2014
Autora: Libba Bray
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 580
Editor: Edições Asa
ISBN: 9789892324692

Sinopse:
Evie O'Neill foi exilada da sua monótona e pacata cidade natal e enviada para as agitadas ruas de Nova Iorque - e fica radiante! Nova Iorque é a cidade dos bares clandestinos, das compras e dos cinemas! Pouco depois, Evie começa a andar com as glamorosas «Ziegfield Girls» e com atraentes carteiristas. O único problema é que Evie tem de viver com o seu tio Will, curador do Museu Americano de Folclore, Superstição e Ocultismo - também conhecido como «O Museu dos Arrepios», homem com uma pouco saudável obsessão pelo oculto.
Evie receia que ele descubra o seu segredo mais sombrio: um poder sobrenatural que até ao momento só lhe causou problemas. Porém, quando a polícia encontra uma rapariga morta que tem um estranho símbolo gravado na testa e Will é chamado ao local, Evie percebe que o seu dom pode ajudar a apanhar o assassino em série.
Quando Evie mergulha de cabeça numa dança com um assassino, outras histórias se desenrolam na cidade que nunca dorme. Um jovem chamado Memphis é apanhado entre dois mundos. Uma corista chamada Theta anda a fugir do seu passado. Um estudante chamado Jericho esconde um segredo chocante. E sem que ninguém saiba, algo sombrio e maligno despertou.


Opinião:
Conheci esta autora através do livro Uma Grandiosa e Terrível Beleza, um livro que até gostei, embora o achasse virado para um público mais juvenil. Mas apesar disso achei a escrita da autora interessante e decidi que esta seria uma autora a ter em vista. Por isso quando soube que iria sair um novo volume da mesma não resisti e tive que tentar lê-lo.

Evie não quer ficar em casa. Sente-se presa desde a morte do seu querido irmão. Uma morte que afectara imenso a família e que Evie sabia que era a causa para os pais se encontrarem tão frios para com ela. Dessa forma quando surge a oportunidade de sair de casa dos pais e ir morar com o tio, não resiste e fica demasiado feliz, saindo finalmente do ambiente opressivo onde se encontra. O tio é dono de um museu. Um museu muitíssimo estranho, sombrio e onde os artefactos em exposição se encontram relacionados com bruxaria e outros temas similares de tempos mais antigos. O seu tio é um professor muito conceituado, mas o museu está longe de ser conceituado, sendo as únicas presenças diárias nesse local a do tio e de um rapaz chamado Jericho que o ajuda.

Mas a estranheza não fica por aí. De um momento para o outro estranhos assassinados começam a ocorrer na região. Assassinados que apontam para um estranho ritual pagão, o que leva a que a polícia peça ajuda a Will, o tio de Evie. Durante esses assassinados Evie compreende que o seu dom pode ser de grande ajuda, mas para isso terá que confessar o seu grande segredo, um segredo que a poderá tornar alguém esquisito, mesmo para quem vive num museu. Mas Evie não é a única com um dom. E esses dons poderão ser a chave para a resolução do crime.

Este é um livro que mistura vários tipos de literatura. Desde aventura, drama, uma pintada de romance e claro fantasia, este é um tipo de livro que eu adoro, embora tenha noção que não seja um livro para todos. Achei Evie uma personagem interessante, mas achei-a demasiado infantil, uma pessoa mimada que quer tudo como deseja. Já Sam achei uma personagem muito curiosa. Desde o início se mostra charmoso e mulherengo, mas ao longo da narrativa sempre tive a sensação de haver mais na personagem do que aquilo que ela deixava prever, algo que foi comprovado pelo final do livro. Também adorei o mau da fita, o John Perverso. Não sei, havia algo na sua maneira de "entrar" no local do crime, na forma doentia e arrepiante de ser desta personagem que me fazia ficar ainda mais atenta que o normal quando lia uma passagem sua.

A forma como todas as personagem se acabaram por interligar no livro, pois no início temos duas histórias diferentes a ocorrer em simultâneo, foi interessante e fiquei com curiosidade em saber mais e mais sobre os poderes destas, sobre as suas capacidades e os seus passados. Uma trilogia com um bom início e que vou querer acompanhar, sendo que o segundo livro será lançado este ano, embora apenas em Agosto.

Boa aposta da 1001 Mundos, espero sinceramente que continuem a publicar a saga.

0 devaneios :