Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Prometes Amar-me?" de Monica Murphy

Passatempo

Passatempo
Até 23 de Julho

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

sábado, 29 de março de 2014
Autora: Célia Correia Loureiro
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 580
Editor: Marcador
ISBN: 9789897540394

Sinopse:
Quando D. João tece a união da sua única filha, Mariana de Albuquerque, com o seu melhor amigo - um inglês que investiga o potencial comercial do vinho do Porto -, não prevê a espiral de desenganos e provações que causará a todos. Mariana tem catorze anos e Daniel Turner vive atormentado pela sua responsabilidade para com a amante. Como se não bastasse, o exército francês está ao virar da esquina, pronto a tomar o Porto e, a partir daí, todo o país.
No seu retiro nos socalcos do Douro, Mariana recomeça uma vida de alegrias e liberdade até que um soldado francês, um jovem arrastado para um conflito que desdenha, lhe bate à porta em busca de asilo. Daniel está longe, a combater os franceses, e Gustave está logo ali, com os seus ideais de igualdade e o seu afecto inabalável, disposto a mostrar-lhe que a vida é bem mais do que um leque de obrigações.


Opinião:
Já li livros desta autora e por isso quando tive a oportunidade de ler o seu mais recente romance, um romance histórico (um dos meus géneros literários favoritos), não resisti. Aproveito e dou os parabéns à autora, por ter conseguido escrever um livro deste calibre. Um livro que acredito que leitores apaixonados por Philippa Gregory e até mesmo Ken Follett adorem. Parabéns Célia pelo fantástico livro e por teres conseguido ser publicada pela chancela Marcador da Presença!!

Mariana de Albuquerque é uma criança. Uma criança adorada por todos aqueles que a conhecem menos a sua própria mãe, que vê nesta o reflexo do abandono de D. João, o seu marido e pai de Mariana, um homem que vê nesta o anjo da sua vida, ligando-lhe importância apenas a si e chegando a ignorar a mãe de Mariana de uma forma que pode ser considerada cruel. D. João é um homem no final da sua vida, tendo tido o azar de contrair uma doença pulmonar cujo único destino é a morte lenta e desconfortável. Mariana adora o pai, mas acaba por fazer o que este lhe pede, ir para o Porto conhecer Daniel Turner, um grande amigo e confidente do pai, com quem este decide casar a filha.

Daniel Turner não quer casar. Já está apaixonado por uma mulher e não a quer abandonar. Mas é um homem de princípios e palavra e quando D. João lhe fala dos seus planos para o casar com a sua filha, este não consegue dizer que não. Deve tudo o que conseguira na vida a esta grande personalidade, e além disso sabe que o título de D. João lhe poderá abrir inúmeras portas. Portas essas que lhe poderão ajudar, e muito, a aumentar a sua fortuna recém adquirida. Embora aceite essa combinação, Daniel não tem desejo algum em casar com a rapariga. Uma rapariga com menos de metade da sua idade, que demonstra no olhar que não gosta dele e que não compreende como o seu pai pode gostar. Mas o país está em perigo de entrar para a guerra e as coisas pioram. Os portugueses já estavam numa má situação económica e a ameaça de guerra só vem piorar essa situação e a vida de muitas pessoas, nelas incluídas Daniel e Mariana.

Devo dizer que adorei este livro. Admito que as primeiras 100 páginas foram difíceis de ultrapassar, eram as apresentações das personagens, o porquê de estas serem como são e a sua bagagens emocional, o que acabou por nos ajudar a compreender muitas acções das personagens no decorrer da acção. Mas após essas apresentações, apaixonei-me pela leitura e não consegui largar o livro muito tempo. A personagem de Mariana chegou a baralhar-me imenso, mas um dos sentimentos que mais me despertou foi pena. Uma criança caída num fogo cruzada. Uma criança que é obrigada a casar com um homem que despreza e que acaba por ser na companhia deste que descobre a sua recém adquirida maturidade. Um espírito livre, com ideias demasiado evolutivas para a sua época, sendo considerada por muito uma pessoa louca e selvagem.

Daniel é um homem que acaba por descobrir na mulher com quem casara tudo o que queria, embora inicialmente não tenha desejado o casamento. É um homem com honra, que luta do lado dos portugueses para salvar a sua família e todos aqueles que são importantes para si, embora sinta imensas saudades de casa e dessas pessoas importantes.

O livro centra-se nestas duas personagens, especialmente Mariana (não fosse o título do livro "A Filha do Barão"), mas tem inúmeras personagens secundárias que fazem deste livro o que ele é. Desde Zé, um rapaz que trabalha com o seu pai para ajudar nas lidas da casa onde Mariana e o marido vão morar, um rapaz que nos faz vislumbrar a verdadeira natureza de Mariana, a Gustave, um homem que aparece na vida também de Mariana do nada. Nuna, a criada que ajudara a dar à luz a mãe de Mariana e que tratava Mariana como um verdadeira filha, Elizabeth, uma mulher que já existia na vida de Daniel antes de este conhecer Mariana e que nos demonstra como este consegue ser um bom homem, e até mesmo como Mariana consegue ver para além do ódio.

Um livro que me surpreendeu imenso e cujo final me deixou imensamente curiosa com o próximo volume, afinal de contas a autora deixou-nos perante uma verdadeira revelação no fim do livro. Recomendo a todos, um livro muitíssimo bom e melhor... de uma autora nacional!!

0 devaneios :