Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"O Amor que Nos Une" de Megan Maxwell

Passatempo

Passatempo
Resultados!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

sábado, 12 de abril de 2014
Autora: Karen Marie Moning
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 224
Editor: Saída de Emergência
ISBN: 9789896376208

Sinopse:
Este é um conto das Highlands, de amantes amaldiçoados pelo destino e pela intemporal manipulação do rei Unseelie. Escrito durante a série Highlander e pressagiando a série Fever, trata-se de Moning no seu mais fino e divertido romantismo.
LIBERTA-O DO SEU INFERNO GELADO... 
Roubado do seu lar nas Terras Altas da Escócia, aprisionado no tenebroso e gélido reino do rei Unseelie, Aedan suportou séculos de tortura antes de se tornar pura Vingança, o despachante de morte e destruição do rei das trevas no reino dos mortais. 
E NO SEU SÉCULO PODERÁS HABITAR... 
A aspirante a romancista, Jane Sillee, sempre acreditou ter nascido no século errado, mas tem conseguido levar uma vida mais ou menos decente — se ao menos conseguisse deixar de ter esses sonhos recorrentes com um homem demasiado perfeito para existir... 
EM SONHOS AMASTE-O... 
Assombrada cada noite da sua vida por um devastadoramente provocante Highlander que vem até ela enquanto dorme, Jane tenta tirá-lo da cabeça e do coração escrevendo. Em criança ele costumava protegê-la, em mulher ele ama-a. 
ACORDADA, TERÁS DE SALVÁ-LO... 
Quando uma antiga tapeçaria com a imagem do seu amado Highlander lhe aparece à porta, Jane é subitamente raptada para trás no tempo até à Escócia do século XV, para um castelo na ilha de Skye, onde lhe é dada uma oportunidade de salvar o amante dos seus sonhos... ou para sempre o perder. Presa num jogo de morte entre as cortes de luz e de trevas dos Fae, Jane tem de encontrar um modo de perfurar o gelo até ao coração do seu Highlander. Mas será o amor de uma mulher mortal suficiente para derrotar tão vetustos e implacáveis imortais inimigos?


Opinião:
Temos que ser sinceros... Todas as raparigas têm um franquinho por highlanders. Quem quer que escreva sobre estes tem nas mãos uma grande receita de sucesso. Homens guerreiros, fortes, determinados, lindíssimos e com grande sentido de honra. Que por norma moram em terras verdejantes num grande e belo castelo. Praticamente fazem lembrar o príncipe encantado, certo? Por isso escuso de dizer que tinha imensa curiosidade por este pequeno livrinho, um livrinho que infelizmente acabei por achar que apenas existiu para dar lucro e nada mais.

Este livro é dividido em diversas partes. Temos algumas divagações da autora, em que esta explica e fala sobre o início da sua carreira, sobre o seu percurso e fases mais negras da sua carreira literária. É a partir destas divagações que a autora decide lançar no mercado capítulos eliminados de outros livros seus, rumos diferentes que inicialmente estava a tomar relativamente a uma história, mas que acabaram por ser alterados.

No meio de todos esses devaneios temos um pequeno conto (o tamanho da história impede-me de chamar livro a este pequeno conto). Esse conto é deveras querido, embora rápido e nele a autora mistura factores highlanders com factores de outra saga sua, a saga Fever, onde dominam os Seelie e Unseelie. Este é um conto sobre um homem que foi preso para salvar as suas terras e o povo que nelas habitavam. Só que o acordo que fizera foi com uma criatura Unseelie, conhecidas por criarem as suas próprias regras nos acordos e por terem uma forma muito própria de alterarem e contornarem a verdade. Dessa forma Aedan, esse homem, esteve séculos preso e a fazer tudo o que o rei Unseelie lhe ordenava, acabando por esquecer quem era e o que fazia naquela prisão. Já Jane é uma mulher sonhadora que acaba por se encontrar presa no meio de um estranho lugar, num tempo desconhecido com um homem que nem lhe quer dirigir a palavra.

É uma história curta que acaba por chamar a atenção do leitor pela natureza errante de ambos os personagens principais. Uma história que poderia ter sido muitíssimo mais aprofundada, sendo que a acção tem uma velocidade acima da média, o que se virmos bem acaba por ser característico dos contos, categoria a que este pertence. Embora falte um merecido aprofundamento, não deixa de ser uma história querida e que prende o leitor, pois este quer a todo o custo saber o que irá acontecer entre as duas personagens principais.

Um livrinho com um conto engraçado, mas que não deixa de ser isso. Um conto que não valia a pena ter sido publicado num livro apenas, podendo ter sido incluindo noutro livro da saga. Em vez disso temos um pequeno conto acompanhado com capítulos alterados que a autora escreveu há imensos anos atrás. Um conto que desfrutei, mas que achei que não merecia um livro só dele.

0 devaneios :