Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"O Amor que Nos Une" de Megan Maxwell

Passatempo

Passatempo
Resultados!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

domingo, 4 de maio de 2014
Autora: Maya Banks
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 336
Editor: Saída de Emergência
ISBN: 9789896376345

Sinopse:
Eveline Armstrong é amada e protegida ferozmente pelo seu poderoso clã, mas é considerada "demente" por quem não pertence ao seu meio. Bonita, sobrenatural, com um olhar intenso, ela nunca falou. Ninguém, nem mesmo a sua família, sabe que ela não ouve. Eveline aprendeu sozinha a ler lábios e, feliz por viver com a sua família, nunca se importou que o mundo a visse como louca. Contudo, quando um casamento arranjado com um clã rival torna Graeme Montgomery seu marido, ela aceita cumprir o seu dever - sem estar preparada para os prazeres que se avizinhavam. Graeme é um guerreiro robusto com uma voz tão grave e poderosa que ela consegue ouvi-la, e umas mãos e beijos tão ternos e habilidosos que despertam as paixões mais profundas em Eveline. Graeme está intrigado com a sua noiva, cujos lábios silenciosos são como um fruto maduro de tentação e cujos olhos vivos e sagazes conseguem ver a sua alma. Assim que a intimidade entre ambos se aprofunda, ele descobre o segredo dela. E quando a rivalidade entre clãs ameaça a mulher que ele começara a apreciar, o guerreiro escocês moverá céu e terra para a salvar. Eveline despertou o seu coração para a melodia encantadora de um amor raro e mágico.


Opinião:
Sim, admito, ando numa onda de highlanders, especialmente highlanders escritos pela mão da autora Maya Banks. Visto ter adorado o último livro que tinha lido dela, não resisti a pegar de imediato neste quando lhe consegui deitar as mãos.

Eveline é amada por todos do seu clã. Protegida desde muitíssimo nova, essa proteção aumentou quando teve um grave incidente que a deixara meio doida. Ou pelo menos assim pensam todos aqueles que a rodeiam. De um dia para o outro, Eveline parou de falar, não comunicando com ninguém e apenas demonstrando nas suas feições a sua felicidade ou tristeza.

De outro lado temos Graeme. Graeme pertence ao clã inimigo de Eveline, dois clãs que estão constantemente em desacordo e que lutam um contra o outro por injustiças do passado. Tão antigas que ninguém se lembra bem sobre o que estas eram. O rei de todos os clãs, farto de tanta intriga, quer a paz. E a única forma que se lembra para acabar com esta inimizade é casando o chefe de um dos clãs (Graeme) com a filha do chefe de outro (Eveline). Um casamento que ninguém quer. Graeme não o quer porque não conhece a rapariga além de todos lhe dizerem que esta tem um problema mental. Os pais de Eveline não o querem porque temem pelo bem estar da sua querida menina.

A verdade é que Eveline ficou surda após as febres horríveis que a assolaram após o seu acidente. Aprendera a ler nos lábios, mas o facto de não dizer a ninguém a verdade sobre a sua condição leva a que a menosprezem. No dia que era suposto conhecer o seu marido ouve um som vindo dos seus lábios, algo que a intrigara rapidamente, visto não ouvir som algum há imenso tempo...

Gostei imenso deste livro. Para começar adorei a premissa da rapariga surda. Normalmente nestes livros o problema da rapariga é a pobreza, a timidez, ou algo parecido. Neste caso a rapariga é lindíssimo e nada tímida, mas tem um problema diferente e que é preciso ter um coração suave para o compreender sem a penalizar. Essa compreensão acaba por ser dado por Graeme e adorei o casal que eles formavam. Graeme é uma pessoa obstinada e habituada a que o seu clã saiba que ele é que manda. Mas nas mãos da sua nova mulher, acaba por ser alguém que faz tudo o que esta quer, apenas para ver os seus olhos brilhar e o sorriso nos seus lábios.

Esta é uma história sobre aceitação, sendo que é muitíssimo focado a aceitação de Eveline no clã do marido. Uma aceitação nada fácil, em que esta acaba por ser gozada e odiada, quando nada fizera por isso, aliás, tudo o que fizera foi trabalhar no duro para conseguir que todos gostassem dela e soubessem que esta não lhes queria nada de mal.

Adorei a dedicatória final do livro. Sabiam que a personagem de Eveline foi inspirada no marido da autora, que também tem um problema auditivo? E que ao aperceber-se começou a aprender a ler nos lábios? Achei um tributo muito bonito ao marido.

Um livro que adorei e que sem dúvida recomendo.

0 devaneios :