Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"O Amor que Nos Une" de Megan Maxwell

Passatempo

Passatempo
Resultados!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

terça-feira, 12 de agosto de 2014
Autora: Samantha Hayes
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 352
Editor: TopSeller
ISBN: 9789898626479

Sinopse:
Ela tem algo que outra pessoa quer. A qualquer custo… Claudia parece ter a vida perfeita. Está grávida, vai ter um bebé muito desejado, tem um marido que a ama, embora ausente, e uma casa maravilhosa. Depois, Zoe entra na vida dela. Zoe foi contratada para a ajudar quando o bebé nascer, e parece a pessoa certa para o cargo. Mas há qualquer coisa nela de que Claudia não gosta e que a faz desconfiar. Quando encontra Zoe no seu próprio quarto, a remexer nos seus bens pessoais, a ansiedade de Claudia torna-se um medo bem real…


Opinião:
Não sei o que se passa com as editoras, mas estas andam com cada capa ultimamente. Cada uma melhor do que a outra. Esta prometia-me um romance um pouco psicológico e ao ler a sinopse percebi que estaria relacionado com roubo de bebés e foi isso que me chamou ainda mais a atenção. É um tema que pode ser explorado de forma a criar algo assustador mas ternurento ao mesmo tempo e fiquei curiosa para saber que caminho a autora tinha tomado.

Claudia casara com um agente da marinha que estava constantemente em missões secretas. Um homem que adorava mas que era mais o tempo que passava debaixo de água do que com ela. Tal fazia com que Claudia se tornasse uma mãe para o filho, do primeiro casamento, do marido, enquanto passa praticamente todos os meses da sua gravidez quase como mãe solteira. Antes de um marido regressar para outra missão secreta que o afastaria de si durante meses a fio, decidem procurar uma ama que possa ajudar Claudia quando o bebé nascer.

É assim que encontram Zoe, uma mulher que de imediato coloca Claudia sob aviso. Embora seja uma pessoa prestável, eficiente e muitíssimo simpática, Claudia sabe que Zoe não é quem diz que é. A maneira como constantemente a avalia, como lhe faz perguntas que parecem inocentes mas que acabam por ser demasiado pessoais. O seu marido acha que ela está doida... A sua melhor amiga tornou-se também melhor amiga de Zoe... Mas Claudia continua secretamente a tentar investigar a sua ama, pois sabe que apesar de parecer boa pessoa, o seu sexto sentido nunca a engana.

Enquanto Claudia combate este mal estar, uma investigação está a ser levada a cabo para descobrir quem anda a abrir mulheres grávidas, deixando um rasto de sangue pelo caminho.

Este foi um livro que me surpreendeu e o final ajudou-me a compreender algumas coisas que me estavam a baralhar a meio do livro. A meio do livro comecei a achar que algo não batia bem, que os factos estavam confusos e que havia algo nas personagens que parecia estar errado. Havia factos que não batiam bem de personagem para personagem e foi isso que me fez começar a compreender o final, que devo dizer, aquela última frase... sobre se queriam saber das outras. Foi um final que imaginei num filme, o mau da fita a dizer aquilo com uma cara confusa e ao mesmo tempo sincera e depois uma música de fundo sinistra e a cara do investigador de choque. Imaginei isso totalmente no final.

A relação entre algumas personagens não foi suficientemente aprofundada, sendo que a autora estava mais concentrada em desenvolver o porquê e o passado da personagem que tanto quer um bebé, que acha que os bebés podem surgir se acreditar que as bonecas ganham vida, ou outras coisas. Mas apesar dessa falta de desenvolvimento, acabamos por entrar na história, por querer saber mais sobre o assassino, por pensarmos que sabemos quem este é e sabermos onde ele se encontra, pronto a destruir outra família, outra mulher, outra criança.

O mistério foi muitíssimo bem construindo pela autora, que acaba por dividir os capítulos, entre capítulos do ponto de vista de Zoe, Claudia, a investigadora responsável pelo caso e pelo assassino, algo que acaba por baralhar imenso, pelo menos baralhou-me a mim por momentos, mas à medida que vamos ligando as peças começa tudo a fazer sentido e achei que essa divisão de capítulos foi algo muitíssimo inteligente.

Um livro com uma quantidade de mistério suficiente, um pouco de crime psicológico e algum romance à mistura. Gostei e quero ler o próximo livro da autora que já está confirmado sair pela editora TopSeller!

0 devaneios :