Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"O Amor que Nos Une" de Megan Maxwell

Passatempo

Passatempo
Resultados!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

terça-feira, 6 de janeiro de 2015
Autora: Sarah Lotz
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 432
Editor: Saída de Emergência
ISBN: 9789896376734

Sinopse:
O dia que nunca será esquecido.
O dia em que há quatro acidentes de avião, em simultâneo, em diferentes pontos do globo.
E três crianças sobreviveram.
O mundo vive atordoado com a trágica coincidência. À beira do pânico global, as autoridades são pressionadas a encontrar as causas que motivaram os acidentes. Com terrorismo e desastres ambientais fora da equação, não parece haver uma correlação lógica, tirando o facto de ter havido uma criança sobrevivente em três dos quatro acidentes.
Intituladas Os Três pela imprensa internacional, as crianças exibem distúrbios de comportamento, presumivelmente causados pelo horror que viveram e pela pressão da comunicação social. Esta pressão torna-se ainda mais intrusiva quando um culto religioso liderado por um ministro fanático insiste que as crianças são três dos quatro profetas do Apocalipse. E se, para mal de toda a Humanidade, ele tiver razão?


Opinião:
Admito que comecei a leitura deste livro sem saber que pertencia à coleção Bang!. Sabia que era da Saída de Emergência, mas não tinha percebido a que chancela pertencia. Só fui ver isso devido ao final de toda a narrativa. Um estranho final que me fez pensar "este livro tem que pertencer à coleção Bang!" e não é que pertencia mesmo? Foi um livro que me fez lembrar um pouco Stephen King, pelo desenvolvimento da história e essencialmente pelo seu final. A capa? Adorei o pormenor de ter os três traços a vermelho e um a preto. É um factor que pode não parecer importante, mas ao longo de toda a narrativa acaba por provar precisamente o contrário.

Pamela odeia aviões... Odeia a sensação de voar, além de ser uma pessoa um pouco avantajada e de se sentir apertada nos pequenos assentos. Mas as coisas pioram imenso quando o avião começa a abanar de forma muito estranha e o piloto começa a avisar para manterem a calma... Quando Pamela se apercebe o avião despenhou-se e as dores que sente são demasiadas não quer acreditar no azar que teve...

Quatro aviões caíram, não só o de Pamela mas outros três. Ao todo existiram três sobreviventes. Crianças que perderam famílias e por milagre sobreviveram à catástrofe. Crianças que tiveram um estranho destino e que acabam por levantar estranhas suspeitas em todo o mundo. Uma é filho de um grande crânio da robótica, decidindo, quando o pai lhe leva um robô igualzinho a si, começar a falar através do robô. Outra criança perdera não só os pais mas a irmã gémea, ficando assim aos cuidados do tio que tentava ser actor enquanto ultrapassava problemas psicológicos. Por fim, a terceira criança, era de todas a que tinha uma vida mais difícil, indo viver com os avós. Crianças que pareciam normais, mas que acabam por levantar imensos rumores. Desde almas penadas, extraterrestres, a novos apocalipses, estas crianças começam a ser perseguidas e a vida daqueles em seu redor muda de forma inexplicável.

Este é um daqueles livros que, pela sinopse, pensamos de imediato que se trata de um policial. E quem pensa isso não podia estar mais enganado, pois de policial este livro não tem nada. Tratando-se de um livro pertencente à chancela Bang! da Saída de Emergência podem esperar não um policial mas um livro que mistura fição científica com fantasia e muito mistério. Sem dúvida que estes são os ingredientes do livro, levados a cabo de uma forma muito inteligente. Este livro é como um livro dentro de outro. O que nos é apresentado é um livro escrito por uma suposta jornalista sobre 4 acidentes de aviação. Essa jornalista entrevista inúmeras pessoas relacionadas com o caso e acaba por transcrever tudo em apenas um livro, que é acusado de ser sensacionalista.

Nele vemos o dia a dia das crianças e a loucura que se gerara em seu redor. Desde pessoas que desconfiam que são extraterrestres a fanáticos religiosos que os consideram um sinal do fim da humanidade, estes casos são explorados e aprofundados, vendo o exagero a que se chega devido aos diferentes pontos de vista. É um livro que explora muito este lado do fanatismo, da loucura e desconfiança. Um livro que nos deixa confusos até ao final e que devo dizer que apesar de achar que há uma ou outra ponta solta, até me prendeu do início ao fim.

Não considero que seja um livro para qualquer um, especialmente porque acho que muitos vão pensar que o livro é policial (pela sinopse) e o irão ler devido a isso, deparando-se com algo totalmente diferente e que provavelmente nem faz o seu género. Mas apesar disso, visto que eu gosto de fição cientifica, até gostei de saber mais sobre estas personagens e saber o que lhes iria acontecer. Gostei de ver a loucura religiosa e o desespero daqueles em redor das crianças e o final foi digno de filme, sem dúvida alguma. Um final em aberto e ao critério de qualquer um.

Um livro diferente do normal que embora não seja dos melhores do género, dá para umas horas bem passadas. Experimentem!

2 devaneios :

Isaura Pereira disse...

Olá!

Já vi várias opiniões deste livro!
Adoro thrillers!!

Beijinhos e boas leituras!

Vanessa Montês disse...

Pelo que andei a ver este livro tem de tudo, más opiniões, boas e intermédias. É um livro que mistura diversos géneros e daí as diversas opiniões por vezes tão distintas entre si :)

Bjs*