Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"O Amor que Nos Une" de Megan Maxwell

Passatempo

Passatempo
Resultados!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quarta-feira, 16 de março de 2016
Autora: Ann Brashares
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 272
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722353687

Sinopse:
Prenna James é uma jovem de dezassete anos que imigrou para Nova Iorque quando tinha doze. Só que Prenna não chegou a Nova Iorque vinda de outro país… ela veio de outro tempo, de um futuro onde uma doença transmitida através de mosquitos se tornou uma pandemia arrasadora que deixou o mundo em ruínas. Prenna e as outras pessoas que conseguiram escapar são obrigadas a seguir um conjunto de regras muito rígido: nunca revelar de onde são, nunca interferir com o curso da história e nunca, em circunstância alguma, estabelecer uma relação mais íntima com alguém que não faça parte da comunidade. Prenna faz tudo como lhe dizem, acreditando que está a ajudar a prevenir os problemas que um dia vão assolar o planeta. Mas tudo isso irá mudar no dia em que Prenna conhece Ethan Jarves…Emocionante e arrebatador, Aqui e Agora é um romance que lança um olhar sobre um amor impossível e a oportunidade de mudar o futuro.


Opinião:
Este era um livro que queria ler há imenso tempo. Mais pela capa do que por qualquer outra razão. A sinopse chamava-me a atenção, mas não a achei nada de especial, não sendo assim o principal motivo. Acabei por me deparar com um livro estranho que só se começara a desenvolver a partir de metade e que me remetia a diversos outros livros que já tinha lido. Foi uma leitura rápida devido ao tamanho do livro, mas não foi uma leitura que me prendesse e me desse vontade de continuar a ler.

Prenna fora uma das escolhidas para regressar atrás no tempo, para viver uma nova vida e para se esquecer de tudo pelo que passara. A sua família agora consistia apenas na sua mãe, pois não tinha sido permitido o pai viajar com elas para o passado e o irmão morrera com uma das doenças do futuro. Acontece que no futuro a terra é infectada por uma doença transmitida por mosquitos. Esta doença mata todos aqueles que são infectados e não há cura alguma, apenas se pode ter cuidado para não se ser o próximo da lista. Um mundo em que quase não existiam pessoas vivas e saudáveis.

Quando Prenna volta ao passado não consegue perceber como é que todos reclamam com o que quer que seja. Nunca se sentira mais livre, feliz, despreocupada. A escola é a sua única e maior preocupação e não existem pessoas a morrer devido a mosquitos e doenças desconhecidas. Mas essa vida simplista complica quando Prenna começa a questionar tudo à sua volta. Prenna está no passado mas a sua vida acaba por ser muito estrita devido às regras para não levarem nada do futuro para o passado. E isso inclui relacionamentos, estando os seres humanos do futuro proibidos de relacionarem-se romanticamente com os seres humanos do presente, algo que para uma rapariga adolescente não é propriamente fácil! Ainda por cima um rapaz por quem tem algum interesse parece que sente o mesmo, aparentando até mesmo saber algo sobre o seu futuro.

Por um lado a história era interessante. Prenna é uma rapariga curiosa que começa a questionar todas as regras que o seu povo, por assim dizer, tinha. Só que alguma regras parecem ser verdadeiras e outras simples mentiras para os meter na linha e é aqui que Prenna tem que compreender o que é verdade e o que é mentira, pois são essas decisões que lhe poderão mudar toda uma vida. A linha da história é interessante e mantém o leitor preso do início ao fim, mas acaba por não ser o grande ingrediente da narrativa, pelo menos para mim. A parte de romance também me interessou, mas achei que a autora podia ter ido mais além.

De tudo, o que mais me marcou foi o final. Um final muito real e para mim o mais lógico. Aquele que magoa menos pessoas e que acaba por ser o caminho que no mundo real teríamos que tomar.

Um livro que não me marcou muito, mas que tem uma boa linha de história.

0 devaneios :