Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"O Amor que Nos Une" de Megan Maxwell

Passatempo

Passatempo
Resultados!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

terça-feira, 28 de junho de 2016
Autora: Carina Rissi
ISBN: 9789898831958
Edição ou reimpressão: 2016
Editor: TopSeller
Páginas: 353

Sinopse:
Sofia é uma jovem de 24 anos que vive numa grande cidade e está habituada à sua vida independente e moderna. Divertida, mas solitária, Sofia não acredita no amor, convencida de que os únicos romances da sua vida são aqueles que os livros lhe proporcionam. Após comprar um telemóvel novo, porém, algo misterioso acontece e Sofia descobre que está perdida no século XIX, sem saber como ou se poderá voltar para a sua casa, para o «seu» século.
Enquanto tenta encontrar uma solução, é acolhida pela família Clarke, à qual, à medida que os dias passam, se afeiçoa cada vez mais.
Com a ajuda do prestável — e lindo — Ian Clarke, Sofia embarca numa busca frenética e acaba por encontrar pistas que talvez a ajudem a regressar à sua vida.
O que ela não sabe é que o seu coração tem outros planos, e que a ideia de deixar o século XIX pode vir a tornar-se angustiante…
Perdida é uma história divertida, apaixonante e intensa, que vai querer devorar até à última página.


Opinião:
Este livro foi imensamente falado e todas as críticas que li teciam excelentes comentários à escrita da autora e à própria história. Escusado será dizer que antes sequer de ler a sinopse e mal este livro tinha chegado às bancas, eu queria imenso lê-lo!! E devo dizer que achei imensa graça à capa, acho que condiz 100% com a história.

Sofia é uma rapariga normal. Independente, decidida a ter uma vida sua e, extremamente ocupada. E o seu dia não podia estar a correr pior... até o seu telemóvel ir desta para melhor. Desesperada porque sem telemóvel não é nada, vai comprar um em desespero e é atendida pela senhora mais estranha do mundo. E quando adquire o telemóvel que a senhora afirma que lhe vai mudar a vida para todo o sempre, acaba por viajar e não para um lugar diferente... mas sim para um tempo diferente!

Quando acorda Sofia não sabe onde está e é descoberta por um estranho homem, que fala de uma forma estranha e diferente de tudo o que Sofia ouvira. E que, para melhorar as coisas, acha que Sofia não está suficientemente bem vestida, aliás, até considera que Sofia não está melhor do que se tivesse apenas vestida a sua roupa interior! Só aí Sofia começa a compreender que não está no lugar correto.

Agora Sofia apenas quer uma coisa, regressar ao seu tempo, aos seus amigos, família e vida. Mas Ian, o homem que a encontrara a vaguear nos bosques, é o homem mais simpático, querido e fantástico que Sofia conhecera em toda a sua vida, o que a leva a considerar as suas hipóteses e o seu futuro, ficando sem saber onde realmente pertence.

Um livro que me fez rir imenso! Muito divertido com as "saídas" de Sofia. Uma rapariga do século XXI que cai do nada uns quantos séculos atrás mas que se mantém igual a ela mesma. Mesma forma de agir, pensar e especialmente falar. É um livro que colocaria mais na categoria de young adult, pela escrita mais direta e pelo aprofundamento leve das personagens. Apesar de as conhecermos bem, não são de qualquer forma personagens que exijam muito do leitor e sabemos de imediato o que podemos ou não esperar delas, o que nos dá uma certa confiança.

A história fez-me lembrar um "Outlander" para pessoas mais novas e com mais tecnologia à mistura. Um livro menos sério e com uma história muito diferente que acaba por ter o mesmo princípio. As diferenças? Outlander acaba por ser um livro mais forte e sério, este por outro lado tem como principal ingrediente as gargalhadas que oferece ao leitor através de personagens divertidas e jovens.

É um livro engraçado e que se lê bem, sendo uma boa estreia da autora.

0 devaneios :