Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Prometes Amar-me?" de Monica Murphy

Passatempo

Passatempo
Até 23 de Julho

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

sábado, 26 de março de 2011
Autora: Ana Crisóstemo
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 302
Editor: Chiado Editora
ISBN: 9789898389725
Coleção: Mundo Fantástico
 
Sinopse:
Ana Vichenstein é uma adolescente de 13 anos de idade, órfã de mãe, que estuda no mesmo colégio desde os seus seis anos de idade. Excelente aluna, óptima cantora e dançarina e ainda uma excelente pessoa.
Tudo isto poderia ser comum a um grande número de adolescentes, não fosse ela uma feiticeira da mente.
No mundo de Ana existem três categorias de feiticeiros, todos eles com as suas qualidades e as suas limitações: os feiticeiros da mente, os feiticeiros com manopoderes (nas mãos) e os feiticeiros da varinha.
Não se pense que os feiticeiros conseguem ser aceites na sociedade. Eles vivem à margem, encobertos por detrás de um colégio comum, onde estudam tanto alunos feiticeiros como os outros não-feiticeiros. Durante o dia convivem entre si com aulas comuns. A partir da hora de saída dos alunos não-feiticeiros, as aulas de magia são leccionadas numa secção específica do colégio.
Ana entrou naquele colégio sem saber a verdadeira razão. A sua mãe foi morta para a conseguirem colocar naquele sítio a estudar. O seu pai divorciara-se da sua mãe ainda antes deste acontecimento fatídico. Encontra-se sozinha no mundo.
Tudo parece correr bem até que alguns acontecimentos insólitos assolam a vila de Cascais, próximo da zona de Sintra onde fica o Colégio…


Opinião:
Ana é uma rapariga normal. Tem aulas, tem namorado, amigos e uma vida calma... sem contar claro com o facto de ser uma feiticeira da mente muitíssimo poderosa e de a escola dela ter aulas extra e secretas apenas para feiticeiros, longe do olhar humano. A sinopse já fala muito do livro em profundidade, daí que vou saltar directamente para a parte da crítica.

A história deste livro fez-me lembrar muitíssimo Hogwarts, uma escola de feiticeiros, cujo professor "principal" na acção está ligado ao que se passa no mundo, um aluno (neste caso aluna) prodígio que tem uns poderes muitíssimo fortes, admirado e temido por colegas e professores, que pertence a uma família com grandes feiticeiros... Mas estas grandes igualdades entre os livros não me fizeram grande impressão, pois a escrita estre J. R. Rowling e a autora deste livro não são em nada parecidas. Aliás, achei a escrita muitíssimo infantil, o que é estranho, visto a autora ser mais velha que eu um ano.

Os diálogos são monótomos e então entre Ana e Vicktor ainda pior. São um casal com demasiado mel, até nos diálogos! Não há um único diálogo entre eles em que não se veja algo do género "és o amor da minha vida", o que numa rapariga de 13 anos, cuja personalidade de "sou inocente, mas tenho limites e sei o que quero", fazia-me por vezes impressão e revirar os olhos. Acho sem dúvida este o aspecto mais negativo do livro. Notou-se que a autora queria fazer um livro com romance, mas acaba por torná-lo pior do que um romance de adolescentes, em  que a rapariga com 13 anos já vai à casa dos "sogros", faz compras com a mãe do namorado, etc. Aliás, até o final da história segue isto de "és o amor da minha vida, dava a minha vida por ti", o que sim, por um lado é diferente, mas por outro já é exagero total.

Simplesmente achei que não iria achar a escrita assim tão infantil, pois visto a autora já ser mais velha, pensei que mesmo com personagens jovens os seus 19 anos iriam notar-se na maneira de descrever certos assuntos, essencialmente o romance.

Voltando aos diálogos entre as personagens, por vezes bastava dar uma olhadela rápida aos diálogos que passadas várias páginas eles ainda estavam iguais, mostrando-se por vezes totalmente sem importância quer para o seguimento da história, quer para despertar atenção no leitor.

Mas atenção a algo, esta minha opinião está muito relacionada com a faixa etária a quem este livro se destina. Sei que na escola da minha irmã recomendaram este livrinho naquelas aulas de apresentação de livros e a professora já o conhecia e apoiou a rapariga que o apresentou (a minha irmã está no 8º ano).

Leiam apenas tiverem uma faixa etária mais ou menos dos 9 aos 13, caso contrário dúvido que vos chame muito a atenção.

0 devaneios :