Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"A Derradeira Ilusão" de Diane Chamberlain

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quinta-feira, 30 de junho de 2011
Autor: John Boyne
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 488
Editor: Ulisseia
ISBN: 9789725686584
Coleção: Ficção

Sinopse:
Londres, 1936. A ascensão de Hitler assusta o velho Continente, mas é o caso amoroso do Rei Eduardo VIII que domina as conversas desde as tabernas aos círculos mais restritos da aristocracia. Enquanto o Rei pondera abdicar do trono por amor a uma mulher casada, Owen Montignac espera a herança do tio para pagar a sua enorme dívida de jogo. Quando o dinheiro é atribuído à sua prima Stella, Owen vê-se obrigado a construir um plano maquiavélico para conseguir o dinheiro, salvar a posição social e para se ver livre, de uma vez por todas, dos agiotas. No meio de uma crise política Owen mantém-se vivo através da perspicácia e da imaginação, mas é a disponibilidade para matar que vai ditar o seu futuro.


Opinião:
Owen Montignac sempre soube como o seu tio gostava dele... sempre soube no seu coração que após a morte deste iria herdar todo o seu império e ser uma das pessoas mais ricas à face da Terra. Sempre soube como todos os seus problemas se iriam resolver após a morte do tio... Mas a sua vida dá uma reviravolta de 180º quando descobre que o tio, contra todas as tradições de passar a fortuna por linha masculina de sucessão, deixa no seu testamento de uma forma muito clara escrito que passa tudo para a sua filha, Stella.

Desapontado ou melhor, cheio de raiva e desejo de vingança, Owen vê-se em maus lençóis quando as suas dívidas de jogo aumentam e quando a pessoa a quem as deve dá-lhe um pequeno prazo para a entrega de milhares de dólares, ou para a escolha da sua própria morte.

Enquanto Owen tenta arranjar maneira de sobreviver, Lord Bentley, cavaleiro do reino e juíz do supremo tribunal, conhecido por ser totalmente imparcial e não se deixar influênciar por nada nem ninguém, está frente a frente com um processo de homícidio de um polícia por um homem que é primo em 3º grau do rei. Prometendo a si próprio não ser influenciado pelos media e pela esposa, Bentley toma a decisão que considera mais correcta, mas por vezes o futuro pode ser muito irónico e cruel...

De outro ângulo conhecemos Stella, a prima e amada de Owen que após herdar a enorme fortuna do pai tenta voltar a ligar-se ao primo, tentando tornar-se amiga deste, mas a grande inimizade de Owen pelo seu noivo é bem visível e por muito que Stella e o seu noivo tentem, Owen nunca irá gostar dele, chegando mesmo a fazer o impensável!

Muito, mas muito bom!!! Owen é uma personagem excelente e muitíssimo bem desenvolvida! Num livro em que se fala do que o ser humano é capaz de fazer para atingir os seus objectivos, Owen mostra o lado mais negro e cruel da natureza humana e ao longo do livro vemos questões que acabarão por ser respondidas... O seu tio morreu de causas naturais durante o sono? O desaparecimento dos Cézanne da galeria de arte foram obra de quem? Será que Gareth cometeu realmente o crime de que é suspeito? Andrew, irmão de Stella, morreu mesmo devido a um mau uso da sua parte de uma espingarda? E Stella... tropeçou simplesmente na mangueira!?

Owen é uma personagem complexa e de quem vemos diversas facetas. Deste o homem assustado e que se está a afogar em dívidas de jogo... ao homem misterioso que nem mesmo os amigos mais próximos podem afirmar que o conhecem realmente... ao homem que faz tudo por tudo para atingir os seus objectivos... ao homem apaixonado que tudo faz por amor...

Mas Owen não é a única personagem interessante neste livro. Todas elas são! Todas elas têm uma personalidade própria dotada do egoísmo que a espécie humana tem. Desde o rei Eduardo VIII, ao Lord Bentley, passando pelo filho e mulher deste, Delfy (o homem a quem Owen deve dinheiro)... Todos são personagens muito aprofundadas neste livro e únicas.

Embora no início me tenha sido complicado entrar na história, compreendo que aquele início do género "apresentação aprofundada" era muitíssimo necessário, pois é graças a ele que mais à frente entramos no livro de tal forma que não o conseguimos largar enquanto não o terminármos e percebermos se após tudo o que fez, Owen conseguirá seguir a sua vida como se nada se tivesse passada e se conseguirá dormir descansado...

Um livro que recomendo a todos e que me fez querer - e muito -, ler outros livros do autor!

0 devaneios :