Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Desejo Concedido" de Megan Maxwell

Passatempo

Passatempo
Até 3 de Setembro

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quarta-feira, 24 de agosto de 2011
Autor: Paul Hoffmam
P.V.P.: 17,60 €
Data 1ª Edição: 2011
ISBN: 978-972-0-04559-1
Nº de Páginas: 360

Sinopse:
Morte, Juízo, Paraíso e Inferno.
As Quatro Últimas Coisas que nos reserva o Destino.
Agora há uma Quinta.
O Seu Nome é Thomas Cale.

De regresso ao Santuário dos Redentores, Thomas Cale parece aceitar o papel que lhe é atribuído: o destino escolheu-o como o Braço Esquerdo de Deus, o Anjo da Morte. O poder absoluto está agora ao seu alcance; o terrível zelo e domínio militar dos Redentores é uma arma nas suas mãos e ele está pronto para cumprir o objetivo supremo da Única e Verdadeira Fé - a destruição da Humanidade.
Mas talvez o sombrio poder dos Redentores sobre Cale não seja suficiente - ele vai do amor ao ódio num abrir e fechar de olhos, da bondade à mais brutal violência num segundo. A aniquilação que os Redentores procuram pode estar nas mãos de Cale - mas a sua alma é muito mais estranha do que alguma vez poderão imaginar...


Sobre autor:
Escritor e argumentista britânico, Paul Hoffman colaborou durante algum tempo com o organismo responsável pela classificação dos filmes no Reino Unido. Escreveu o argumento de três filmes, em coautoria, e trabalhou com, entre outros, Francis Ford Coppola.
O seu primeiro romance, The Wisdom of Crocodiles, deu origem a um filme protagonizado por Jude Law e Timothy Spall. Seguiu-se The Golden Age of Censorship, uma comédia negra publicada em 2007.

2 devaneios :

Maria João disse...

Li o Braço Esquerdo de Deus e ... não posso dizer que não gostei, mas também não posso dizer que fiquei apaixonada. A ideia é interessante, como em muitos bons livros de ficção, mas fiquei uma espécie de desconsolada. Cale era jovem demais para tanto poder e poderoso demais para tanta violência. Acho que houve um excesso de qualquer coisa e uma falta de muita coisa. Não sei explicar e sinceramente não tenho vontade de ler a continuação. Conforme disse no meu post sobre o livro, não gosto exactamente de livros fortemente dramáticos em que não faço ideia de como irão acabar. Dispenso a surpresa, em alguns casos.

v_crazy_girl disse...

Eu ainda não li o livrinho, mas já reparei que as opiniões são diversas... Pelo que vi ou se adora ou se odeia, é daqueles livros que provocam sensação extremas (e não apenas positivas)

:)

bjs*