Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"O Amor que Nos Une" de Megan Maxwell

Passatempo

Passatempo
Resultados!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quarta-feira, 24 de agosto de 2011
Autor: Paul Hoffmam
P.V.P.: 17,60 €
Data 1ª Edição: 2011
ISBN: 978-972-0-04559-1
Nº de Páginas: 360

Sinopse:
Morte, Juízo, Paraíso e Inferno.
As Quatro Últimas Coisas que nos reserva o Destino.
Agora há uma Quinta.
O Seu Nome é Thomas Cale.

De regresso ao Santuário dos Redentores, Thomas Cale parece aceitar o papel que lhe é atribuído: o destino escolheu-o como o Braço Esquerdo de Deus, o Anjo da Morte. O poder absoluto está agora ao seu alcance; o terrível zelo e domínio militar dos Redentores é uma arma nas suas mãos e ele está pronto para cumprir o objetivo supremo da Única e Verdadeira Fé - a destruição da Humanidade.
Mas talvez o sombrio poder dos Redentores sobre Cale não seja suficiente - ele vai do amor ao ódio num abrir e fechar de olhos, da bondade à mais brutal violência num segundo. A aniquilação que os Redentores procuram pode estar nas mãos de Cale - mas a sua alma é muito mais estranha do que alguma vez poderão imaginar...


Sobre autor:
Escritor e argumentista britânico, Paul Hoffman colaborou durante algum tempo com o organismo responsável pela classificação dos filmes no Reino Unido. Escreveu o argumento de três filmes, em coautoria, e trabalhou com, entre outros, Francis Ford Coppola.
O seu primeiro romance, The Wisdom of Crocodiles, deu origem a um filme protagonizado por Jude Law e Timothy Spall. Seguiu-se The Golden Age of Censorship, uma comédia negra publicada em 2007.

2 devaneios :

Maria João disse...

Li o Braço Esquerdo de Deus e ... não posso dizer que não gostei, mas também não posso dizer que fiquei apaixonada. A ideia é interessante, como em muitos bons livros de ficção, mas fiquei uma espécie de desconsolada. Cale era jovem demais para tanto poder e poderoso demais para tanta violência. Acho que houve um excesso de qualquer coisa e uma falta de muita coisa. Não sei explicar e sinceramente não tenho vontade de ler a continuação. Conforme disse no meu post sobre o livro, não gosto exactamente de livros fortemente dramáticos em que não faço ideia de como irão acabar. Dispenso a surpresa, em alguns casos.

v_crazy_girl disse...

Eu ainda não li o livrinho, mas já reparei que as opiniões são diversas... Pelo que vi ou se adora ou se odeia, é daqueles livros que provocam sensação extremas (e não apenas positivas)

:)

bjs*