Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Se Conhecessem a Minha Irmã..." de Michelle Adams

Passatempo

Passatempo
Até 3 de Setembro

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quinta-feira, 9 de maio de 2013
Autores: Margaret Stohl e Kami Garcia
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 480
Editor: Edições Gailivro
ISBN: 9789895577576
Coleção: 1001 Mundos

Sinopse:
Lena Duchannes é diferente de qualquer pessoa que a pequena cidade sulista de Gatlin alguma vez conheceu. Ela luta para esconder o seu poder e uma maldição que assombra a família há gerações. Mas, mesmo entre os jardins demasiado crescidos, os pântanos lodosos e os cemitérios decrépitos do Sul esquecido, há um segredo que não pode ficar escondido para sempre. Ethan Wate, que conta os meses para poder fugir de Gatlin, é assombrado por sonhos de uma bela rapariga que ele nunca conheceu. Quando Lena se muda para a mais infame plantação da cidade, Ethan é inexplicavelmente atraído por ela e sente-se determinado a descobrir a misteriosa ligação que existe entre eles. Numa cidade onde nada acontece, um segredo poderá mudar tudo.


Opinião:
Tinha este livro cá em casa há imenso tempo, pois a minha irmã começou a fazer a coleção da saga, mas embora curiosa nunca me senti suficientemente impelida para o ler. Mas com o filme aí à porta não resisti e decidi lê-lo antes de ver o filme, um costume que já tenho há imenso tempo.

Lena Duchannes é demasiado diferentes de todas as outras pessoas. Calada, reservada e com uma estranha tatuagem com números que mudam diariamente, Lena tenta passar despercebida, mas ao tentar fazê-lo tem um efeito totalmente contrário. Mudando de escola para ir ter com familiares mais próximos, acaba por ir para casa do seu tio e para uma nova escola, onde espera que ninguém a conheça. Mas o tio mora numa terra demasiado pequena para haver privacidade e a notícia de uma nova adolescente a viver na pequena cidade e ainda por cima sendo sobrinha de quem é, acaba por a colocar nunca posição mais desconfortável do que seria de esperar.

Ethan é um dos rapazes populares. Simpático, inteligente e divertido, é uma personagem que acaba por desenvolver um fascínio especial por Lena, uma rapariga diferente de todas as que ele conheceu. Misteriosa e muitíssimo estranha. Ethan sempre sonhou em sair daquela cidade. Sempre sonhou em viver aventuras, em descobrir o mundo e é ao travar conhecimento com Lena que ele sente que começa a expandir um pouco os seus horizontes, pois afinal ela não era dali. Mas esse fascínio acaba por se desenvolver algo mais e quando se apercebem, Ethan e Lena não conseguem estar separados, apoiando-se em tudo o que está para vir.

Muito sinceramente, estava à espera de algo melhor. Não digo que seja um mau livro, nem pensar, achei a história muito interessante e fiquei curiosa com o que irá acontecer no próximo livro (que já está cá em casa), mas simplesmente senti falta de algo que me colasse mais ao livro. Achei graça ao livro se passar do ponto de vista do rapaz e não da rapariga, algo de muito invulgar no mundo literário, mas notou-se claramente que eram duas mulheres a escrever como um rapaz e não alguém do sexo masculino. Porquê? O rapaz era tão maduro para a idade. E era demasiado... sensível? Acho que está é a palavra certo. Não estou a dizer que não existam rapazes com aquela idade maduros e sensíveis, mas no livro é um pouco demasiado de tal forma que sentia-me um pouco enganada ao ler as coisas do ponto de vista dele. É como se fosse o adolescente perfeito. Além de que sentia falta de intensidade em algumas das suas descrições, o que tive pena.

Mas atenção, embora tenha achado isto não posso afirmar que não gostei do livro, pois achei-o curioso. Adorei essencialmente as descrições das cenas com a prima de Lena. A família de Lena é uma família de feiticeiros que a uma certa idade são puxados ora para a luz ora para a escuridão, e Ridley, prima de Lena, foi puxada para a escuridão, mesmo tendo sido uma menina querida e pacífica quando era mais nova. Esta personagem para mim foi a melhor de todo o livro e quero tanto vê-la mais desenvolvida. Mostra-se com a personagem irónica e negativa de toda a história que afirma se vergonhas que Lena pode muito bem segui-la e ir também para o lado negro. Mas diz isto de uma forma de tal modo descontraída que me faz adorá-la, mesmo sendo a má da fita.

Lena... Hmm... Não sei se foi por não ser ela a narrar a história, ou por a ter visto pelos olhos de Ethan, mas eu preciso de algo mais dela. Preciso de mais atitude ainda, preciso de mais determinação. E espero encontrar tudo isto no próximo livro, pois embora não seja uma obra prima, a história de fundo promete e estou curiosa para a continuar a seguir a saga.

3 devaneios :

Liliana Lavado disse...

Apesar de todo o murmurinho em redor deste livro, por alguma razão nunca me senti tentada a lê-lo :P
é daquelas sem explicação :D

v_crazy_girl disse...

Eu também não me sentia muito tentada :p Não resisti mesmo porque queria ver o filme e gosto de ler o livro sempre primeiro :D

Anónimo disse...

O livro é maravilhoso <3