Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"O Amor que Nos Une" de Megan Maxwell

Passatempo

Passatempo
Resultados!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quinta-feira, 21 de novembro de 2013
Autora: P. C. Cast
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 432
Editor: Saída de Emergência
ISBN: 9789896375676

Sinopse:
Shannon Parker é uma professora de Inglês a aproveitar umas muito merecidas férias de verão. Ao fazer compras, encontra um antigo vaso com a figura de uma deusa celta muito parecida consigo. Shannon compra o vaso, mas nem sonha na aventura em que se irá meter.
Sem saber como, vê-se, de súbito, transportada para Partholon, onde assume o papel de Rhiannon, a Sumo-Sacerdotisa de Eponina. E apesar de todas as regalias e do tratamento de luxo - qual a mulher que não gosta de receber uns mimos? - ser deusa envolve um casamento ritual com um centauro e lutar contra os fomorianos, criaturas maléficas que tudo farão para travar o regresso da verdadeira deusa. 
Conseguirá Shannon livrar-se deste sarilho e arranjar alguma forma de regressar a casa sem acabar morta, casada com um cavalo ou enlouquecida? É que ser divina, afinal, não é um mar de rosas!


Opinião:
Desta autora admito que apenas comecei a ler a saga Casa da Noite. Mas foi uma saga que acabou por não me encantar e tendo lido o primeiro livro não cheguei a continuar a coleção, tendo esta sido continuada pela minha irmã. Afinal acabei por perceber que era uma saga demasiado juvenil para mim, embora fosse engraçadinha. Desta forma decidi começar a ler outro livro de uma das autora da saga Casa da Noite e devo dizer que estava com medo. Porque na semana que decidi começar a ler o livro li algumas críticas negativas e fiquei com medo de não gostar nada do livro, mas afinal foi um algo infundado.

Shannon é uma professora que finalmente está a aproveitar as férias de verão para descansar dos seus incansáveis alunos e durante estas decide fazer algo que adora. Andar a vaguear entre peças de arte - que sabe que não tem dinheiro para comprar - e descobrir as suas histórias. Mas a verdade é que uma das peças lhe chama de tal forma a atenção que tenta a toda o custo obtê-la. Embora não tivesse dinheiro para o verdadeiro valor da peça, a verdade é que uma pequena ironia da vida torna a peça algo tão inútil que nenhum coleccionador acaba por a querer, sendo assim que Shannon fica com ela. Afinal esta peça enfeitiçá-la por um simples motivo... A figura nela gravada parecia um verdadeiro retrato de mestre de Shannon.

De repente, sem saber como, Shannon encontra-se num outro mundo, em Partholon, um local onde é a suma sacerdotisa e onde tem que casar com um centauro que nunca antes vira na vida. Aliás, até há poucos minutos atrás Shannon nem sabia da existência de centauros, quando mais do facto que naquele novo mundo era suposto casar com um dele. Mas o mais estranho é a forma como todos a tratam. Como se ela fosse a pessoa mais horrível do mundo e apenas tivessem que gostar dela porque era a suma sacerdotisa e a encarnação da Deusa. O que acaba por descobrir Shannon que era verdade, pois a verdadeira suma sacerdotisa era uma pessoa cruel e mesquinha.

E é assim que começa este livro. Muito sinceramente adorei este livro e não estava nada à espera do que li. Porque não estava à espera? Porque as opiniões que li foram muito desanimadoras e fizeram-me ter receio do que ia ler. Acho que o grande problema com todo o livro foi que muita gente se prendeu foi o facto de a personagem ser demasiado infantil para a idade. Mas foi algo que não me fez impressão. Bastou-me pensar que a rapariga tinha no máximo 25 anos e consegui ler o livro muito bem, ficando presa a este e sempre com curiosidade de continuar para saber o que viria de seguida. Afinal de contas sabemos que Shannon não pertence àquele mundo, mas a verdade é que acaba por se apaixonar por ele. E pelos seus habitantes. E até mesmo pelo centauro, seu esposo. E ADOREI este centauro! Foi simplesmente uma personagem fantástica, engraçada e muito masculina, tal como todas as leitoras apaixonadas gostam.

Um livro que recomendo a todos. Mas para quem quiser lê-lo deixo um conselho. Não se prendam pela idade da personagem principal. E não se esqueçam que este é suposto ser um livro com uma personagem sarcástica. Se seguirem estes conselhos tenho a certeza que irão gostar!

0 devaneios :