Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Se Eu Fosse Tua" de Meredith Russo

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014
Autora: Catherine Ryan Hyde
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 312
Editor: Europa-América
ISBN: 9789721061859

Sinopse:
E se abandonar a sua mãe… for a única forma de a salvar?
«Lembras-te de me dizer que conseguirias sempre encontrar-me? Bem, nunca te esqueças disso. Por favor.»

GRACE
Grace é uma menina de dez anos que sabe que é amada pela mãe. Mas a mãe também ama as drogas. Grace não conseguirá evitar por muito mais tempo as ameaças da «senhora dos Serviços Sociais», que a quer colocar numa instituição. A sua única esperança é…

BILLY
Billy Shine é um adulto que não sai do seu apartamento há anos. Tem muito medo das pessoas. E assim, dia após dia, leva uma vida perfeitamente planificada e silenciosa dentro de sua casa. Até agora…

O PLANO
Grace invade a vida de Billy com uma voz bem alta e um plano para libertar a mãe daquele martírio. Mas não será fácil, pois para salvar a mãe terão de arrancar-lhe a única coisa de que ela realmente precisa: Grace.


Opinião:
A capa. Foi a primeira coisa que me chamou a atenção neste livro. Uma capa que me deixou deveras curiosa, embora para dizer a verdade tenha ficado surpreendida pela sinopse. Por alguma razão a capa remeteu-me para um policial, imaginei uma criança desaparecida ou algo desse género. Mas pela sinopse reparei que não era nada disso. Mas isso acabou por ser algo positivo, pois a sinopse ainda me chamou mais a atenção do que a capa.

Grace tem apenas 10 anos. Uma criança que em tão tenra idade já vivera muita coisa sendo o seu mundo muito distante da idealidade. Uma criança que apenas conhece a própria casa, a escola e os edifícios escondidos onde ocorrem as reuniões dos narcóticos e alcoólicos anónimos, onde fica num canto com outras crianças enquanto a sua mãe vai a essas reuniões. Sim, a mãe de Grace sofre desses problemas, essencialmente vício em narcóticos, drogas. Um problema que leva a constantes visitas dos Serviços Sociais. Visitas essas que assustam Grace de morte.

Não tendo ninguém para quem se virar a pedir ajuda, a menina passa as tardes e noites após vir da escola na varanda do prédio, um local onde todos os moradores deste prédio a podem ver. Um local onde é vista pela primeira vez por Billy, um homem que mora há mais de 10 anos naquele prédio mas que nunca fora visto por nenhum dos outros moradores! Estranho? Billy tem fobia a sair de casa, morando lá desde há vários anos, nunca saindo para compras ou outra necessidade qualquer. Tendo sorte por os pais serem ricos e todos os meses lhe enviarem dinheiro, Billy usa esse dinheiro para lhe trazerem comer e dá uma gorjeta extra ao senhor das compras para este lhe levar o lixo. Uma vida de recluso escolhida por si próprio e que surpreende Grace, que o que mais quer é ser livre.

Acabando por ficar amiga de praticamente todos os moradores do prédio, Grace acaba por entrar nas suas vidas como um furacão, fazendo com que as ideias pré-concebidas de muitos dos moradores caíssem por terra, acabando por alterar os seus mundos. Mas Grace também quer ajuda a mudar o seu mundo, pois o que Grace mais deseja é ver a mãe a melhorar e a parar de consumir drogas. Mas será que juntos conseguem?

Este livro surpreendeu-se. Especialmente pela forma como é abordado este assuntos, tão sérios, das drogas e do sistema público da segurança social. Grace é uma personagem que nos guia durante todo o livro. Uma rapariga energética, divertida mas com uma vida difícil, vendo a mãe constantemente a "dormir". Um vocabulário que a pobre criança usa para indicar quando a mãe estava sob o efeito de algumas substâncias. Apesar da tenra idade, Grace é uma rapariga inteligente que sabe perfeitamente que se a mãe não largar as drogas será levada pelos serviços sociais. Devido à sua falta de timidez, acaba por se tornar amiga de todos os inquilinos do prédio, mesmo aqueles que parecem demasiado frios, cruéis ou mesmo doidos. Amizades essas que a acabam por salvar e por a apoiar, tornando-se assim o prédio como que um centro de acolhimento para Grace, onde cada um tinha a sua função. Arranjar-lhe roupa, dar-lhe um local para dormir, um local para onde regressar após as aulas, companhia para a levar para as aulas... Um livro que está repleto de personagens que não são as ideais, pois todas têm os seus problemas (por vezes problemas muitíssimo sérios), mas são essas personagens com uma maneira tão própria de ser que tornam este livro o que ele é.

Um livro carinhoso e profundo, que nos toca e nos deixa um sorriso estampado na cara. Aconselho!

0 devaneios :