Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"A Derradeira Ilusão" de Diane Chamberlain

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quinta-feira, 3 de julho de 2014
Autora: Susan Wiggs
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 384
Editor: Harlequin
ISBN: 9788490002308

Sinopse:
Uma estranha aliança dominada pelo desejo... Pippa de Lacey, órfã e lutadora, ganhava a vida nas ruas de Londres graças ao seu engenho e talento como comediante. Metida numa grande confusão por causa da sua língua afiada, teve de pedir clemência ao caudilho irlandês Aidan O’Donoghue. Ele viu em Pippa um entretenimento enquanto esperava audiência com a rainha Isabel, em cujas mãos descansava o destino do seu povo. Divertido ao princípio, acabou por ficar obcecado com a audaz e travessa vagabunda que acolhera sob a sua protecção. A estranha aliança, precipitada e impetuosa, transbordava de desejo e encerrava a promessa irresistível de uma vida que ambos desejavam desde sempre e que nunca tinham pensado conseguir.


Opinião:
Admito... Ando num desespero por romances de época. Anda mesmo a apetecer-me ler romances históricos daqueles em que temos donzelas decididas mas indefesas e personagens masculinas lindas de morrer e com honra para dar e vender. Foi por esse motivo que fui dar uma volta ao ereader (não estava na minha casa, por isso não tinha as minhas estantes para escolher livros físicos) e este foi dos primeiros romances históricos que me apareceram, sendo que não resisti a lê-lo de imediato.

Pippa é uma comediante. Não se lembra da família e sempre se soube na rua a viver na pobreza e a tentar apanhar todas as migalhas que consegue. Tendo um talento natural para fazer as pessoas soltar umas boas gargalhadas, usa esse dom para ganhar dinheiro para sobreviver. Com ela estão outros dois rapazes carteiristas com as mãos mais leves do que uma pluma, algo que Pippa não pode negar também ter. Ela é a distração, a que os mais ricos decidem dar uma moedinha ou outra. Os "colegas" são os que se aproveitam dessa distração. Num dia menos afortunada Pippa é apanhada numa das suas atuações, pela guarda. Essas supostas atuações são ilegais e levam a que de imediato decidam prendê-la, algo que a enche de preocupação. Arranjando mil e uma desculpas, acaba por conseguir que um homem enorme a ajude, afirmando que é sua protegida.

Esse homem enorme é Aidan O'Donoghue, um chefe irlandês que estava ali para negociar com a rainha a paz nas suas terras. Aidan é um homem poderoso, leal aos seus e que fará tudo o que estiver ao seu alcance para salvar todos aqueles que acha que o merecem. É por essa razão que não resiste a mentir quando aquela estranha comediante lhe pede ajuda, afirmando que ela estava sob a sua proteção. Desse modo acaba por a levar para o local onde ficara hospedado, sendo que obriga a estranha rapariga a tomar um bom banho e a vestir algo lavado. Ao fazê-lo vê que por trás de toda aquela sujidade e vontade de viver, está uma belíssima mulher, mais adulta do que parecia ao início e com um brilho no olhar que desde logo encanta Aidan.

Gostei muito mais deste livro do que estava à espera. Acho que grande parte da razão disso ter acontecido está relacionado com o facto de a personagem principal não vir de famílias importantes. Era uma rapariga habituada a ser um rato de esgoto e a que todos a olhassem de lado, sendo que quando Aidan a "adota" acaba por criar uma verdadeira afinidade com este porque nota que ele se preocupada verdadeiramente com ela, algo que nunca lhe tinha acontecido. Além disso Pippa é uma pessoa divertida, sendo que há piadas durante todo o livro, muitas delas devido a esta personagem. Acho que o único traço na personalidade de Pippa que não gostei foi a adoração, por muitas vezes excessiva, que esta tinha por Aidan. É que inicialmente temos o retrato de uma pessoa independente, que não confia facilmente em outros e esse retrato é totalmente alterado na presença de Aidan, não tendo sido algo gradual mas repentino, o que me fez um pouco de confusão.

Também gostei muito de ler sobre a luta de Aidan para manter a paz nas suas terras, luta essa que é constantemente dificultada pela própria rainha, que supostamente seria quem teria mais facilidade em aceitar um contrato de paz para o seu povo estar feliz. A revelação final começa a tornar-se evidente ao leitor ao longo do livro e desconfio que a autora o fez de propósito para ficarmos a torcer que Pippa descobrisse a verdade sobre si rapidamente.

Um livro que me surpreendeu pelo casal improvável que se desenvolveu ao longo da história. Recomendo a quem está à procura de um romance histórico leve e com um estranho casal como personagens principais.

0 devaneios :