Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"A Derradeira Ilusão" de Diane Chamberlain

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quinta-feira, 21 de agosto de 2014
Autora: J. R. Ward
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 804
Editor: Casa das Letras
ISBN: 9789724621029

Sinopse:
Caldwell, Nova Iorque, é, desde há muito, campo de batalha para vampiros e seus inimigos, a Sociedade dos Minguantes. É também o lugar onde Rehvenge demarcou o seu território como um barão da droga e proprietário de um infame clube noturno que fornece os ricos e bem armados. E é exatamente pela sua reputação sombria que ele é abordado para matar Wrath, o Rei Cego e líder da Irmandade.
Rehvenge sempre manteve distância da Irmandade, apesar de a sua irmã ser casada com um dos membros. Por ele ser um symphath, a sua identidade representa um segredo mortal, cuja revelação pode levá-lo a ser banido para uma colónia de sociopatas. E enquanto as conspirações dentro e fora da Irmandade ameaçam revelar a verdade sobre Rehvenge, ele volta-se para a única luz que ilumina o seu mundo de escuridão cada vez mais profunda - Ehlena, uma vampira que nunca conheceu a corrupção que o controla - a única coisa que existe entre ele e a destruição eterna.


Opinião:
Já não lia um livro desta coleção há tanto tempo... Literalmente anos! Houve uma altura em que a editora estava a lançar tão depressa a coleção que eu não conseguia comprar ao mesmo ritmo e por isso esta saga acabou por ficar abandonada. Acabei assim por saltar alguns livros (o 4, 5 e 6) e recomecei no 7, sendo que era este o primeiro da coleção que eu tinha em ebook (quando vim para as férias de verão apenas trouxe o ereader e mais dois livrinhos físicos, para ocupar menos espaço na mala). Foi assim que decidi começar a ler este livro e matar saudades deste novo mundo.

Rehvenge é conhecido no submundo. Tendo um clube muito popular entre aqueles que gostam de uma boa saída à noite, é também conhecido por ser o grande barão da droga do submundo. Todos os tipos de drogas e mais alguma são vendidos pelos seus distribuidores, sendo Rehvenge o grande chefe. Todos o receiam, todos os evitam. Basta um olhar seu e as pessoas sentem-se desconfortáveis e com medo do que ele lhes poderá fazer. E isto não acontece apenas no seu clube. Sendo meio symphath, seres que adoram o ódio e a vingança, a única forma que este tem de fugir da sua horrível natureza é drogando-se. Assim essa parte do seu ser está adormecida, como se não existisse. Afinal, se soubessem o que ele é na realidade, o seu futuro não seria nada brilhante.

Ehlena é uma enfermeira num dos grandes centros médicos para vampiros. Tendo pertencido à classe mais elevada de vampiros, problemas de família, tanto económicos como de saúde, acabam por a afastar deste belíssimo mundo, acabando por ter que trabalhar o máximo possível para juntar dinheiro para as despesas da casa e para os cuidados necessários que o seu pai, um homem muito doente, necessita. Num dia em que chega atrasada, de novo, ao trabalho devido a outra crise do pai, Ehlena oferece-se para tratar de Rehvenge, um homem que ninguém gosta de atender por criar um sentimento de desconforto em todas as enfermeiras. Quando chega, começa a compreender que apesar desse desconforto, Rehvenge está na realidade a falar consigo, praticamente a namoriscar. Embora isso a admire um pouco, o que a admira mais é o estado em que o seu braço está, totalmente infectado pelo uso excessivo de drogas e de seringas não esterilizadas.

Preocupada com este homem e ao mesmo tempo atraída por ele, Ehlena acaba por ir a sua casa para lhe dar uns medicamentos que poderão parar a infeção, percebendo a partir daí, que as suas vidas estão mais interligadas do que qualquer um deles quererá admitir.

Admito que já tinha saudades de ler algum livro desta coleção. Como referi já não pegava nela há diversos anos e visto que saltei alguns livros (hei-te lê-los quando conseguir), inicialmente tive alguma dificuldade em entrar na ação. Haviam inúmeros termos que já não conhecia e inicialmente a leitura não fora tão fluída por esse motivo. Mas à medida que me fui recordado, que fui percebendo de novo o que era a glymera, os symphath, entre outros termos, tudo se tornou mais fácil e a leitura fluiu muito mais.

Também compreendi que ao contrário dos primeiros livros que tinha lido da autora, que se centravam essencialmente no romance, este para além disso centra-se na comunidade vampírica. A autora começou a interligar mais os livros e, embora estes se possam ler em separado, a desenvolver mais o mundo em redor desta comunidade. O romance entre Ehlena e Rehvenge foi algo que embora não tenha sido rápido, também não deu tempo ao tempo. Rehvenge já estava de olho naquela bonita enfermeira há algum tempo e quando esta começou a interessar-se pelo seu bem estar, ele aproveitou-se e tentou que ela fosse sua, embora ele soubesse que tal estivesse errado por serem de diferentes raças e acima de tudo, porque julgava que não a merecia devido ao seu passado e presente.

Também gostei imenso de conhecer os companheiros de Rehvenge, outros que tal como ele eram metade vampiros e metade symphath, escondendo-se entre os vampiros e humanos sem revelar a sua verdadeira identidade. Destes companheiros desenvolvi uma grande curiosidade por Xhex, uma fêmea guerreira que se sente muitíssimo atraída por um dos vampiros da irmandade, tentando esconder tais pensamentos desse forte e belo homem. Um romance que tenho quase a certeza que será apresentado no próximo livro, pelo que deu a entender o fio condutor da história.

Foi um bom livro para regressar a esta série e embora não tenha os volumes todos seguidos no ereader, vou lendo o que tenho pois quero saber mais sobre estes guerreiros. Uma saga que recomendo!

0 devaneios :