Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"A Derradeira Ilusão" de Diane Chamberlain

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quarta-feira, 15 de abril de 2015
Autora: Lecia Cornwall
Edição/reimpressão: 2015
Páginas: 364
Editor: Editorial Planeta
ISBN: 9789896575847

Sinopse:
Lady Isobel Maitland não se pode dar ao luxo de ser apanhada fazendo qualquer coisa, mesmo remotamente, escandalosa, ou corre o risco de perder tudo o que tem de mais querido. Mas uma noite, num jardim escuro num baile de máscaras, Isobel cede à tentação e permite que um namorisco inocente com o marquês de Blackwood se transforme em paixão.


Opinião:
Sim, eu adoro romances de época. É verdade que as histórias destes são praticamente sempre as mesmas, com personagens muito semelhantes entre si e antes de começarmos já sabemos o final. Mas mesmo assim há algo que me impele para eles. Talvez sejam as personagens masculinas que são sempre rebeldes mas que quando se apaixonam são os seres mais queridos do mundo, ou as mulheres que vivem num mundo tão diferente dos dias de hoje mas que mesmo assim continuavam a lutar pela igualdade e por si mesmas. Tudo é importante neste tipo de romances, e a verdade é que a soma destes diferentes ingredientes funciona.

Lady Isobel não tivera a sorte de ter um casamento feliz. Quando era jovem acreditara que casaria com o homem dos seus sonhos. Que teria inúmeros filhos e que viveria o seu conto de fadas. Mas acaba por descobrir que a sua vida de casada não era tão simples quando isso. Casada de urgência com um grande nobre, um homem lindíssimo e com um grande título, Lady Isobel quase chora de felicidade ao saber da sua morte! Pensamento que rapidamente muda quando descobre que no seu testamento o marido deixara a custódio dos filhos não a Isobel, mas à sua sogra, uma mulher que a odeia e que, desde logo, estabelece condições para Isobel ver os filhos, entre elas um luto constante e a impossibilidade de se apaixonar de novo.

Quando Isobel conhece o marquês de Blackwood, um homem conhecido pelas suas conquistas e pela sua falta de preocupação com os costumes, Isobel conhece a libertação de não a reconhecerem e de puder ser livre por alguns momentos. Mas este encontro acaba por não ser algo ocasional e os seus sentimentos para com Blackwood acabam por crescer rapidamente, tornando a sua relação algo perigoso para Isobel e os seus filhos.

Este foi um livro que tinha muitos ingredientes conhecidos neste género de romances, mas apesar disso a história conseguiu ter algo de novo e diferente. Apesar de já existirem livros com histórias semelhantes, não me recordo de nenhum com uma história igual à encontrada nesta narrativa. Uma história de uma mulher sensual e jovem que se afastara de tudo e todos para conseguir manter os filhos consigo. Uma mulher que finalmente descobre o amor mas que o põe para trás das costas a fim de estar com o sangue do seus sangue. Uma mulher que devia gozar da liberdade que ser viúva lhe dava, mas que sofria em silêncio e sem um ombro amigo com quem falar.

Blackwood é o típico libertino que quer algo mais da vida mas que nunca encontrara esse algo em ninguém. Encontra na mulher misteriosa, que nunca consegue descobrir quem é, esse algo e fica totalmente apaixonado por Isobel! E quando descobre a verdade sobre a mulher misteriosa, o medo de estar a ser enganado para revelar os segredos que esconde revela-se...

Foi um livro que gostei, leve, de rápida leitura e interessante. Gostei muito e é sem dúvida uma autora a acompanhar.

0 devaneios :