Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"A Derradeira Ilusão" de Diane Chamberlain

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quinta-feira, 21 de maio de 2015
Autora: Hannah Kent
Edição/reimpressão: 2015
Páginas: 320
Editor: Saída de Emergência
ISBN: 9789896377366

Sinopse:
Na agreste paisagem islandesa, Hannah Kent traz à luz dos nossos dias a história de Agnes que, acusada do brutal assassínio do seu anterior amo, é enviada para uma quinta isolada enquanto aguarda a sua hora final.
Apavorados com a perspetiva de virem a albergar uma assassina, a família que a acolhe evita Agnes nas primeiras abordagens. Apenas Tóti, um padre designado para acompanhar Agnes nesta última caminhada e ser o seu guardião espiritual, procura compreendê-la. Mas assim que a data da morte de Agnes se avizinha, a mulher e filhas do lavrador descobrem que há uma segunda versão para a história brutal que ouviram.
Fascinante e lírica, Últimos Ritos evoca uma existência dramática num tempo e espaço distantes, dirigindo-nos a enigmática pergunta: como pode uma mulher suportar a mágoa e a injustiça quando a sua vida depende das histórias contadas pelos outros?


Opinião:
Comecei a ler este livro pela sinopse. Para começar adoro histórias baseadas em factos verídicos e depois adorei o facto de esta história ser sobre uma acusada de homicídio sentenciada à morte. Uma acusada que a família que a está a albergar começa a desconfiar não ter sido a culpada.

Agnes sempre fora uma empregada de grandes casas senhoriais. Era boa no fazia, responsável e devido à sua inteligência conseguira subir na vida. Quando lhe é oferecido um grande posto numa das casas mais ricas da Irlanda, Agnes não resiste a visitar a casa e a aceitar tal trabalho. Mas com o tempo descobre que aquela casa não era assim tão pacífica quando parecia. E o seu chefe não era uma pessoa tão pacífica e simpática quando inicialmente lhe parecera. Conhece pessoas que são mais afetadas pelos seus sentimentos do pelo cérebro e que destroem as suas vidas pela simples vontade de terem a sua vingança.

Após ser acusada do assassínio do seu chefe, Agnes é levada para a casa de um dos chefes da polícia, vivendo naquela casa como empregada doméstica até a sua sentença ser decidida. Toda a população está decidida a que Agnes seja levada à forca por tudo o que fizera mas a família que a acolhe acaba por descobrir uma Agnes muito diferente daquela que é descrita pela população Acabam por descobrir alguém que apenas quer que a deixem em paz e que não chateia nada nem ninguém, ficando empregue às suas atividades.

Este foi um livro que no início não me conseguiu prender. Inicialmente a escrita ia avançando lentamente. Eu tenho noção que o que a autora queria fazer era apresentar-nos ao livro e a toda a ação, mas a verdade é que acaba por tornar todo o livro lento e o início não me prendeu. Não senti nenhuma pena de Agnes, da família que a acolheu, nada... Mas quando finalmente somos apresentados com pequenos vislumbres do passado de Agnes, sobre a verdade do que lhe tinha acontecido e como estava a ser acusada de tudo porque o povo achava que a inocente nunca tinha culpa pois de certeza que a inteligente a tinha levado por maus caminhos, todos esses sentimentos mudaram e passei a torcer pela vida de Agnes.

A última parte do livro devorei-a de uma ponta à outra. Não conseguia parar de ler e queria sempre saber mais e mais do que ia acontecer, ou melhor, do que tinha acontecido a Agnes para se encontrar naquela posição. Acabamos por descobrir imensas traições, amores não correspondidos e muitas mentiras que acabam por atraiçoar Agnes, aquela que sempre fora verdadeira, aquela que sempre tentara viver a sua vida sem chatear e importunar ninguém.

Um livro que apesar de o início não me ter puxado, acabou por me prender. Adorei a segunda parte e aconselho-o a todos. Não desistam pelo início, porque o final irá valer a pena.

0 devaneios :