Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"A Química do Amor" de Emily Foster

Passatempo

Passatempo
Resultados!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

domingo, 10 de abril de 2016
Autora: Cheryl Holt
Edição/reimpressão: 2015
Páginas: 368
Editor: Quinta Essência
ISBN: 9789897413193

Sinopse:
Stephen achou ter atingido o ponto mais baixo da sua vida quando a guerra o deixou inválido. Descobriu que estava errado quando a irmã o deixa aos cuidados encantadora Mrs. Anne Smythe. No entanto, enquanto as águas curativas fazem a sua magia, o mesmo acontece à viúva Smythe. Por baixo do seu exterior impávido encontra-se uma mulher fascinante: calorosa, espirituosa e refrescantemente aberta à experimentação sensual. Porém, quando o prazer se transforma em amor proibido, poderão eles podem enganar as forças que querem afastá-los?
As Termas e o Empório de Banhos para Senhoras de Mrs Anne Smythe é um paraíso para as mulheres elegantes que acreditam que as águas têm propriedades afrodisíacas. No entanto, a séria proprietária nunca pensa em testar essa teoria - até o capitão Stephen Chamberlin, gravemente ferido, ser deixado à sua porta. Cada minuto que o herói de guerra passa sob o seu teto é motivo de escândalo. Não tarda muito para que ela descubra que ter um homem assim à sua mercê a desperta de maneiras que nunca tinha pensado possíveis, à medida que as suas sessões «terapêuticas» nas nascentes de água quente se transformam em encontros picantes que Anne gostaria que nunca terminassem...


Opinião:
Esta é uma autora que ora me deixa viciada e sem conseguir largar a narrativa, ora apenas quero que tudo acabe rapidamente. Por isso começo sempre a lê-la sem saber bem o que irá sair dali, se irei gostar do que estou a ler ou se vou odiar! Este foi um dos casos positivos. Bom entretenimento com sensualidade q.b. e sem exageros. Uma história com papéis "invertidos" e personagens com relações muito divertidas.

Anne Smythe tem um paraíso como negócio e casa. As suas termas, que estão restringidas de forma a que apenas a população feminina possa usufruir, são conhecidas por terem poderes eróticos e tornarem todas as mulheres que ali se encontrarem, desinibidas e terem vontades que nunca antes pensavam puder ter. É um negócio rentável e apesar de ter que aturar as mulheres irritantes da nobreza com as suas vozes esganiçadas, muitas pessoas mais idosas também lá vão para tentar acabar com as dores e é esta última atividade que faz Anne sorrir.

Mas é quando a reputação das águas mágicas das termas chegam ao ouvidos da irmã de Sthephen Chamberlin, que o sossego de Anne termina!! Acaba praticamente por ser obrigada a aceitar Sthephen nas termas. Um homem que apesar de estar com um aspeto horrível e acabado, tem traços aristocráticos que afirmam a sua hierarquia e como era bonito. Um homem cujos músculos de todos os membros da cintura para baixo ficaram atrofiados e mal anda. Algo que Anne tenta corrigir, apesar de o comportamento de Sthepen ser insuportável e incorrigível.

Este livro é um pouco diferente do normal, podemos até mesmo dizer, que é um pouco ao contrário do normal. Aqui quem precisa de ajuda e apoio é Sthepen, a personagem masculina, sendo que Anne é um mulher independente e que acha que não precisa de nada nem ninguém. São duas personagens que desde o início andam constantemente às turras, mas que acabam por se dar extremamente bem, não aguentando tempo algum separados.

Gostei imenso da personalidade de ambos, mas foi Anne e as suas dúvidas e atitudes que me prenderam mais. Gostei mais da forma de pensar e agir dela, de como apesar de ter um comandante "em casa" não se acanha e fica com medo de tal figura imponente. De como faz frente a tudo e todos quando quer proteger o que é seu. Claro que Sthepen não é uma personagem que fique para trás, aliás, acho que de crescimento ainda foi melhor que Anne, pois no início da narrativa temos um homem fraco e que tenta a todo o custo fugir da vida e ao longo da narrativa, com os pequenos empurrões de Anne, descobrimos um mulherengo, que adora a vida e que quer voltar a ela.

Foi um livro que gostei e uma boa leitura que aconselho a quem quer passar um bom bocado!

0 devaneios :