Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"A Derradeira Ilusão" de Diane Chamberlain

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

sexta-feira, 3 de junho de 2016
Autora: Catherine Doyle 
Editor: Lápis Azul
Edição ou reimpressão: 2015
Páginas: 375
ISBN: 9789898730268

Sinopse:
As coisas não andam a correr lá muito bem para a jovem Sophie Gracewell. O pai está preso, a mãe trabalha dia e noite para conseguir sustentar a família, e ela própria tem que ajudar no restaurante da família. Para além da sua amiga Millie, não se passa grande coisa naquele pequeno subúrbio de Chicago onde vive. Mas tudo está prestes a mudar. A velha casa abandonada lá da rua está habitada pela primeira vez desde há imensos anos. A nova família é composta por cinco irmãos e, para Sophie e Millie, parece saída de um sonho. Quando dois dos irmãos vão até ao restaurante, ambas ficam caídas pelos rapazes e, de repente, o verão até parece mais luminoso. No entanto, nem tudo é o que aparenta ser. É que os dois bonitos rapazes são parte de um problema bem maior. São parte da família Falcone, bem conhecida pela sua má reputação e, pelos vistos, Sophie não é bem vinda à casa dos Falcone. Ela não consegue perceber o porquê, e a sua paixão pelo belo Nic faz com que não desista sem primeiro dar luta.
É garantido que o sangue vai jorrar e os corações se vão partir.


Opinião:
Desde que vi esta capa, que me apaixonei e tomei a decisão de ler este livro. E a seguir a ler a sinopse, ainda mais curiosa fiquei. Parecia uma história young adult com uma narrativa cheia de amor proibido e não sendo um livro com aspeto muito massudo, decidi começar a lê-lo de imediato.

Sophie Grace tem uma vida que de momento não podia estar pior... Tem que trabalhar que nem louca para conseguir ter dinheiro para manter a casa onde mora com a mãe e ao mesmo tempo quer ter as melhores notas possíveis. O pai de Sophie foi preso e tal leva a que todos na escola a olhem de lado e se mantenham o mais longe possível dela. Apesar de uma aluna exemplar, sangue é sangue, e o ser um criminoso parece que é algo que se pega.

Num dia como qualquer outro, em que Sophie regressa a casa, apercebe-se pelo caminho que a casa (praticamente abandonada) que se encontra em frente à sua casa está de novo habitada. E por uns vizinhos bem interessantes! Não apenas são giros como têm uma certa aura de mistério em seu redor que deixa Sophie em pulgas para saber mais sobre eles.

O melhor de tudo de ter pessoas novas na cidade é que nenhum dos novos vizinhos a parece conhecer!! Ou seja, finalmente alguém fala com ela, sem ter medo de tornar-se um criminoso. Pelo menos inicialmente, pois quando o seu apelido vem à baila, rapidamente os vizinhos se afastam dela, especialmente Nic, o rapaz fantástico em quem Sophie via tudo o que sempre quis num rapaz.

Muito sinceramente esperava algo mais do livro. É um livro que se lê extremamente bem, a história remete para um bom livro young adult que será perfeito para adolescentes românticas, mas eu senti falta de alguma profundidade em toda a narrativa. A ligação, muito forte por sinal, entre Nic e Sophie não é aprofundada o suficiente, acabando por ser algo repentino e senti falta de uma maior ligação. Foi uma paixão demasiado à primeira vista, sem nada mais que a apoiasse.

Apesar de eu ter alguns problemas com o desenvolvimento das personagens, tenho que admitir que foi um livro que li só de uma assentada, porque queria saber algo mais sobre o futuro das personagens e sobre o triângulo amoroso que lentamente parecia estar a formar-se. É um livro que não achei nada de especial, mas por alguma razão prendeu-me. acredito que se fosse mais nova iria gostar ainda mais da narrativa.

Não deixa de ser um livro que nos prende do início ao fim, apesar de precisar de um maior aprofundamento das personagens.

0 devaneios :