Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Se Eu Fosse Tua" de Meredith Russo

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quarta-feira, 17 de agosto de 2016
Autora: Anne Bishop
ISBN: 9789896379704
Edição ou reimpressão: 2016
Editor: Saída de Emergência
Páginas: 480

Sinopse:
Ninguém tem a capacidade de criar novos mundos como Anne Bishop, autora bestseller do The New York Times. Nesta nova série somos transportados para um mundo habitado pelos Outros, seres sobrenaturais que dominam a Terra e cujas presas prediletas são os humanos. Os Outros libertaram os cassandra sangue como forma de os proteger, não se apercebendo que as suas ações teriam consequências desastrosas.
Agora os videntes encontram-se em grande perigo e são presa fácil daqueles que procuram controlar os seus poderes divinatórios. Desesperado por respostas, Simon Wolfgard, um metamorfo líder entre os Outros, não tem outra escolha senão recorrer à ajuda da profetisa Meg Corbyn. Meg ainda se encontra imersa no seu vício pela euforia que sente quando realiza profecias. Está ciente de que cada golpe da sua faca é um passo mais próximo da morte. Mas os Outros, bem como os humanos, precisam de respostas, e as suas visões são a única esperança para pôr fim ao conflito…


Opinião:
Adoro Anne Bishop! É sem dúvida a minha autora favorita. Sei que muitas pessoas têm para autor favorito autores de clássicos e afins, mas para mim é Anne Bishop. Todos os seus livros me prendem e são como lufadas de ar fresco. Têm sempre histórias originais, personagens que nos prendem e a sua escrita é fenomenal! E tenho desde já de dizer que fiquei extremamente feliz quando percebi que esta não era uma trilogia (não me perguntem porquê, mas sempre achei que esta saga era uma trilogia).

Meg já não é a única cassadra sangue livre. Depois da revolta e da libertação de todas as cassandra sangue das diversas instituições que as prendiam para fins lucrativos, quem as acolheu não sabe bem como agir e o que fazer para estas raparigas se sentirem confortáveis. Podem de um momento para o outro ter acessos de fúria, e houveram algumas que inclusive se mataram. Assim essas pessoas só têm um alguém a quem recorrer, Meg, a primeira cassandra sangue que fugira e que conseguira sobreviver para contar a história.

Enquanto que estas cassandra sangue tentam sobreviver, Meg tenta aprender a controlar a sua vontade de se cortar. Por muito que se tente aguentar está constantemente a sentir formigueiro na pele e aquela vontade louca de agarrar na faca e de se cortar. Está tão farta de deixar todos preocupados às suas custas e às custas da sua loucura pelos cortes... Mas por mais que se tente controlar há sempre algo que a empurra para o precipício. Há sempre uma vontade louca em agarrar na sua faca e cortar a carne... e a calma que vem de seguida faz com que tudo falha a pena...

Este é um livro que, na minha opinião, não adiciona muito mais à história. Não temos um grande avanço na história, nem nada que se pareça. Temos isso sim, um aprofundamento de algumas personagens. A autora usou este livro para aprofundar as suas personagens e para abrir pano de fundo para os próximos livros e para o avançar da ação. Deu a conhecer melhor o ambiente de medo sufocante que se vive, as razões para esse medo e como os outros o tentam combater.

Uma coisa que adoro nesta autora é que ela consegue, nas suas histórias sobrenaturais, adicionar diversos elementos e ações que eu vejo a acontecer no dia a dia no nosso mundo. É esta ligação com o mundo real que faz com que os seus livros e histórias digam tanto ao leitor e é um toque especial que a autora tem. Neste livro temos acontecimentos horríveis que são narrados, como o facto de algumas cassandra sangue serem mantidas em cativeiro para serem forçadas a terem bebés, que se forem do sexo masculino são mortos de imediato pois não servem de nada para os seus guardas, pois as cassandra sangue só podem ser do sexo feminino. Mas também temos momentos de esperança, quando se descobre que estas podem revelar as suas visões de outras formas que não exijam que se cortem...

É sem dúvida uma trilogia que estou a gostar de acompanhar e fico à espera do próximo volume para a minha coleção.

2 devaneios :

isa disse...

um dia hei-de ler algo desta autora :)

Vanessa Montês disse...

Acho bem isa!!