Quem sou eu?

A minha foto

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"A Jaula do Rei" de Victoria Aveyard

Passatempo

Passatempo
Até 11 de Novembro!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quinta-feira, 5 de abril de 2018
Autora: Victoria Aveyard
ISBN: 9789897730818
Edição ou reimpressão: 10-2017
Editor: Saída de Emergência
Páginas: 384

Sinopse:
O novo e eletrificante capítulo da série Rainha Vermelha intensifica a luta de Mare Barrow contra a escuridão que cresceu na sua alma… O sangue de Mare Barrow é vermelho mas a sua capacidade Prateada, o poder de controlar os relâmpagos, transformou-a numa arma que a corte real tenta controlar. A coroa acusa-a de ser uma farsa, mas quando ela foge do príncipe Maven - o amigo que a traiu -, Mare faz uma descoberta surpreendente: ela não é a única da sua espécie.
Perseguida por Maven, Mare parte para descobrir e recrutar outros combatentes Vermelhos e Prateados que se juntem à batalha contra os seus opressores. Mas Mare encontra-se num caminho mortífero, em risco de se tornar exatamente no tipo de monstro que está a tentar derrotar. Será que ela vai ceder sob o peso das vidas exigidas pela rebelião? Ou a traição e a deslealdade tê-la-ão endurecido para sempre?


Opinião:
Adorei o primeiro livro desta coleção. Comecei a ler porque a capa era fantástica, mas continuei porque encontrei uma história diferente, com personagens que me prenderam e que gostei imenso de conhecer. Assim desde que este livro saiu que queria imenso continuar a história, saber o que iria acontecer a Mare e aos novo sangue. Novos Sangue que antes nunca ninguém pensara existir...

Depois de ter sido um peão no jogo dos irmãos Maven e Cal, Mare sabe mais que nunca, que nada é o que parece. Que por vezes a pessoa mais bondosa pode esconder traição, ódio e vingança. E aquele que demonstra ser uma pessoa fria e cruel acaba por ser quem esconde a maior bondade...

A fugir de Maven enquanto memórias do seu passado juntos a atormentam, Mare sabe que tem que encontrar os restantes da sua espécie antes que Maven lhes chegue. Maven leva com ele a morte, já Mare leva a salvação. Pelo menos isso é o que ela pensa...

A história não foge muito desta premissa. Cal e Mare a fugir de Maven e este a persegui-los sem dó nem piedade. Este livro acaba por girar muito em volta do que Mare está disposta a fazer ou a perder para ganhar a batalha, para lutar pela sua liberdade. Será que Mare está disposta a fazer o que está certo mas a morrer? Ou a ficar sozinha, por causa dessa decisão? Ou será que Mare pode deitar tudo a perder pelo medo de ficar sozinha, sem ninguém a quem recorrer?

Muito sinceramente, o livro não foge muito disto. Lá estava a personagem de Cal e alguns dos ataques de Maven para safar a coisa, mas depois de ter amado loucamente o primeiro livro desta coleção, não esperava ficar tão desiludida com este.

O ritmo da história é lento, estava sempre a girar em torno da mesma coisas, as inseguranças e medos de Mare. Enquanto que no outro livro senti um crescimento da personagem, neste ela regressou à estaca zero, apresentando-se como alguém frágil, indeciso, mimado e complicado. Cal também foi mais desenvolvido no primeiro livro, e aqui vemos como o afectam ser olhado de baixo, mas de resto não aprendemos nada de novo...

Foi um livro fraquinho, apesar da autora ter conseguido que as últimas 15 páginas fossem melhores do que todo o livro, o que me leva a ter curiosidade de continuar a ler a história. Mas não foram essas 15 páginas que safaram totalmente o livro.

Um livro que cabia em apenas um terço das páginas e que peca pelo ritmo lento e "circular". Mas que me abriu o apetite para o próximo (aquelas últimas páginas...).

0 devaneios :