Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"O Dia em que Perdemos a Cabeça" de Javier Castillo

Passatempo

Passatempo
Até 28 de fevereiro!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quinta-feira, 13 de setembro de 2018
Autor: Agustín Martínez
ISBN: 9789896655532
Edição ou reimpressão: 07-2018
Editor: Suma de Letras
Páginas: 464

Sinopse:
Um thriller psicológico absorvente e de ritmo cinematográfico.
Ana e Lucía, duas amigas de onze anos de uma pequena aldeia dos Pirenéus, abandonam a escola e vão para suas casas. Mas nunca chegam ao seu destino. 
Cinco anos mais tarde entre os despojos de um acidente de carro, num desfiladeiro próximo a Monteperdido, aparecem o corpo de um homem e uma adolescente gravemente ferida e desorientada. 
É Ana, uma das meninas que desapareceu há muito tempo. 
Enquanto toda a aldeia tenta assimilar o rumo dos acontecimentos, o caso é reaberto.


Opinião:
Recebi este livro cá em casa e admito que fiquei muitíssimo curiosa. Foi um livro que começou lentamente e que apenas a partir do últimos dois terços é que me começou a prender, pois começamos a reparar que as pontas estão muitíssimo soltas e apenas queria saber o que é que se passava naquela pequena vila.

Há cinco anos atrás duas raparigas, muito amigas e que costumavam estar sempre juntas, desapareceram sem deixar rasto. A polícia passou tudo a pente fino mas não conseguiu descobrir o verdadeiro paradeiro das duas crianças de 11 anos. Agora do nada uma das raparigas, Ana, surge de um acidente de automóvel viva. Mas onde está Lucía? Onde esteve Ana estes cinco anos? Viu quem a sequestrou?

Foi um livro que me começou a prender após, mais ou menos, o primeiro terço do livro. Inicialmente há muita coisa a acontecer em simultâneo, temos imensas personagens novas, nomes que são semelhantes e tudo a acontecer na mesma terrinha pequena com o mesmo propósito. Isto inicialmente confundiu-me e fez com que a leitura fosse mais lenta. Mas após ultrapassar essas partes, de reconhecer as personagens não só pelo nome mas para a ação em que estavam presentes, a leitura foi mais corrida. Além disso o facto de nada "bater bem", de existirem imensas histórias e de nenhuma parece interligar-se, ainda me deu mais vontade de continuar a ler este livro, pois queria a todo o custo saber o que tinha acontecido a estas duas raparigas naqueles cinco anos e onde é que estaria Lucía.

Acho importante referir-vos que este livro, com 464 páginas nem 10 capítulos tem, o que para mim, que leio antes de dormir e não consigo deixar um capítulo a meio me fez comichão, mas isso é uma mania minha.

É um livro com um excelente fio condutor, que podia ser mais pequeno pois existiam partes que considerei um pouco palha e personagens desnecessárias. Apesar disso, adoro estes thrillers que ocorrem em pequenas cidades pois para além do thriller em si, temos os desacatos porque todos se conhecem e sabem os segredos uns dos outros, algo que foi uma mais valia neste livro. O final, não estava totalmente à espera. Só nos "finalmentes" da narrativa começamos a perceber o que se passava e por isso o final foi uma surpresa para mim. Uma surpresa que gostei.

Um livro que me custou entrar, mas que acabou por entranhar-se e gostei.

0 devaneios :