Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"O Amor que Nos Une" de Megan Maxwell

Passatempo

Passatempo
Resultados!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quinta-feira, 23 de agosto de 2012
Autora: Jessica Bird
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 404
Editor: Quinta Essência
ISBN: 9789898228918

Sinopse:
Grace Hall é uma socialite deslumbrante, rodeada de glamour, privilégio e riqueza, mas a sua fortuna fez dela o alvo de um louco que anda a matar as mulheres mais influentes de Manhattan. Para se proteger, Grace exige o melhor dos guarda-costas - e depara com muito mais do que esperava. John Smith é um especialista em segurança intransigente e frio que é tão dedicado ao seu trabalho como é mortífero. Mudar-se para o luxuoso apartamento de cobertura de Grace é a última coisa que deseja, mas é impossível dizer-lhe que não. Quando explica as regras à sua nova cliente, surgem entre eles faíscas, bem como um desejo incendiário. Com Grace nos braços, John dá por si a baixar as próprias defesas. À medida que as noites amenas se tornam escaldantes e o assassino se aproxima, Grace e Smith enfrentam uma escolha crucial: seguir as regras ou seguir os seus corações.


Opinião:
J. R. Ward é uma autora cuja popularidade no nosso país tem crescido imenso no último ano e não é para menos! Vampiros, anjos e o comum mortal são as personagens mais populares da autora e o romance é o grande ingrediente de todos os seus livros, sendo ela popular pela forma fantástica de como consegue relacionar duas personagens e criar um ambiente de cortar a respiração entre ambos. Jessica Bird é um dos pseudônimos desta autora e estava curiosa para ver que género de livros ela escreve sob ele.

Grace Hall é uma mulher belíssima, de uma das grandes famílias de Manhattan. De olhar cortante e postura fria, é uma mulher que deixa qualquer homem a suspirar por ela, ao mesmo tempo que os deixa a pensar que nunca teriam hipótese com tal beleza fria. Tudo na sua vida corria normalmente, tentava subir numa empresa da família onde o machismo reinava e fazia todos os possíveis para se dar bem com a mãe, mas quando menos esperava, uma das suas melhores amigas é assassinada a sangue frio e é encontrada com uma lista presa na mão onde vários nomes de diversas mulheres da alta sociedade apareciam e entre eles estava o nome de Grace. Devido às insistências de amigos chegados, Grace acaba por contratar um guarda costa, Smith, um homem misterioso, calado e cujo corpo não tem nem uma grama de gordura, o que deste logo chama a atenção de Grace.

Smith sempre fora um homem reservado. Após vários anos no exército e como assassino profissional, ser guarda costas das altas elites permitia a Smith viver bem, sem estar demasiado à margem da lei e sempre com a adrenalina a correr-lhe no sangue. Mas ao conhecer Grace tudo o que ele tinha estabelecido como regras de relacionamento com os clientes fora por água a baixo e o seu auto-domínio era a única arma que tinha contra esta mulher linda e vibrante.

Eu gosto muito dos livros desta autora, especialmente a saga da Adaga Negra e estava com algumas expectativas em relação a este livro. Não posso dizer que tenham sido ultrapassadas, mas não fiquei desapontada de todo. Este é um livro que prima pelo romance. Embora haja quem possa pensar que é um policial, não o classificaria assim. É verdade que durante toda a história estamos atrás de um assassino (que a partir de meio do livro eu pelo menos percebi logo quem era. Afinal a autora não iria pôr sempre a mesma personagem a chatear a elite de Manhattan e depois essa personagem não servir para nada), mas o interessante no livro é ver como o relacionamento entre Grace e Smith cresce. Como ambos ultrapassam o passado e certos preconceitos e se começam a apaixonar. Embora este não seja para mim o melhor livro da autora, é um livro que se lê de um ápice e que cativa a atenção de qualquer sonhador romântico. 

Uma coisa que achei gira neste livro foi o facto de que embora houvesse imensa tensão sexual, a autora, ao contrário de o que já li noutros livros dela, não descreve nem uma única vez a relação sexual propriamente dita. Sim, isto é algo estranho de dizer, mas foi algo a que a autora me "habituou" nos livros dela e desta vez esse factor não existia (e sinceramente senti alguma falta dele em certos momentos da história).

No geral é um bom livro, com um bom romance e personagens curiosas e que recomendo a qualquer romântico!

0 devaneios :