Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"O Amor que Nos Une" de Megan Maxwell

Passatempo

Passatempo
Resultados!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quarta-feira, 30 de julho de 2014
Autora: Irene Cao
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 248
Editor: Suma de Letras
ISBN: 9789896722654

Sinopse:
O amor é uma arte que não precisa de regras.
Agora que descobriu o desejo mais puro, Elena decide vivê-lo em pleno, sem amarras, só pelo prazer. Para isso, renuncia à paixão de Leonardo e à segurança de Filippo. No entanto, a louca espiral de encontros sexuais em que se envolve acaba por não a levar ao prazer que procurava. Mas, como dois pólos opostos que se atraem irremediavelmente, o destino volta a juntar Leonardo e Elena, depois de um trágico acidente. Quer salvar Elena com o fogo da sua paixão impossível de conter.


Opinião:
Depois de o livro anterior ter terminado com Elena a descobrir o porquê de Leonardo estar constantemente a desaparecer e sem querer assumir compromissos com ela, ficamos com um final em mãos nada feliz e que prometia mais aventura no livro seguinte, nomeadamente neste livro.

Elena está livre. Decidiu deixar de se preocupar com cada pequeno pormenor, com o que os outros pensam e com o que passara no passado. Agora também não se tem que preocupar em magoar Filippo e sabe que relativamente a Leonardo este é que a magoara e ela nunca lhe fizera nada de mal, sacrificando tudo por ele. É assim encontramos Elena, uma Elena que nunca pensáramos ver e que deixa tudo e todos preocupados com a sua nova maneira de viver, nunca pensando nas consequências e dormindo com tudo o que tem calças.

As coisas apenas começam a acalmar quando Elena se reencontra com o estudante de artes que a tinha encontrado no seu último trabalho a sério. Um rapaz amoroso que a adora e que durante algum tempo lhe dá um amor pacífico e sem problemas, pois este sabe que ela não gosta dele da mesma forma que ele gosta dela, com a paixão inocente da adolescência. Este pequeno momento de paz termina quando é confrontada com a esposa (ou será ex-esposa?) de Leonardo, que a acusa de continuar atrás do marido e a encontrar-se com ele às escondidas, o que é totalmente mentira. Irritada com essas acusações, Elena passa por uma rua sem olhar para os carros que passavam e acaba por ser atropelada. Um atropelamento que a acaba por juntar de novo com Leonardo.

Este é um livro muito pequeno, tal como o anterior livro da saga, mas acaba por ter muito mais história e acabamos por conhecer mais as personagens do que em todos os outros livros juntos. Admito que ao iniciar o livro pensei que estava a ler o livro errado. Afinal de contas conhecemos Elena pela sua timidez e sentido do certo e errado e neste livro encontramos uma mulher que quer sexo à bruta com um homem que nunca vira antes simplesmente porque sim. Uma mulher que se embebeda como louca e que se está a lixar para o trabalho. O total oposto da Elena que havíamos conhecido nos outros livros. Mas por alguma razão gostei de a ver assim, de saber que ela era humana, embora este retrato de decadência por causa de um homem tenha sido, na minha opinião, um pouco exagerado.

Neste livro ficamos também a saber mais sobre Leonardo sendo que este aparece nem em metade do livro e ficamos a saber mais sobre ele aqui do que nos dois livros anteriores juntos, o que acho que diz muito sobre o que sabíamos desta personagem.

Admito que o livro não é nada de outro mundo, mas acaba por ser o melhor livro da trilogia por mostrar faces das personagens que nós nunca havíamos visto antes. Uma boa surpresa para o final desta trilogia.

0 devaneios :