Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Prometes Amar-me?" de Monica Murphy

Passatempo

Passatempo
Até 23 de Julho

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

sexta-feira, 31 de julho de 2015
Autora: Lydia Cacho
Edição/reimpressão: 2015
Páginas: 320
Editor: Elsinore
ISBN: 9789896683696

Sinopse:
«És puta e drogada. Achas que a polícia vai acreditar em ti ou em mim, um empresário de sucesso?»
Há um negócio que sempre prospera, ilegal, imune à austeridade. Da Turquia ao Japão, da Palestina ao Camboja, do Reino Unido ao México, o tráfico humano atravessa o mundo inteiro, invisível aos cidadãos e ignorado por políticos que fingem não ver — ou que dele também dependem.
Estima-se que cerca de 80 por cento das vítimas do tráfico são entregues à prostituição. Num trabalho de investigação excecional que se prolongou por vários anos, Lydia Cacho desmascara os criminosos e acompanha o rasto das vidas por eles destroçadas.
Em Escravas do Poder, falam na primeira pessoa traficantes de droga e de armas, mafiosos e proxenetas, além das próprias cativas que conseguiram escapar ao carrossel do tráfico.
Relato desassombrado das ligações tentaculares do tráfico sexual a um sem-número de indústrias — o turismo, a pornografia, o contrabando, a venda de órgãos e o terrorismo —, tudo depende desta rede global e sem lei, e todos pagamos sem saber o preço destas vidas.


Opinião:
Quem me conhece ou até mesmo quem decidiu dar uma simples vista de olhos pelo blogue, descobre rapidamente que este não é o meu tipo de livro. Sou de romance, fantasia, ficção, mas relatos? Sim, não é um género que facilmente comece a ler, mas havia qualquer coisa na sinopse que me despertou a atenção. Deu-me a sensação de ser um livro forte e direto, sobre um assunto que se passa em todo o mundo, com uma das maiores redes de comunicação mundial e que continua a ser pouco ou nada falado. A curiosidade falou mais alto e acabei por pegar neste livro e admito, surpreendi-me...

Lydia Cacho é uma jornalista de investigação que ao longo de toda a narrativa compreendemos que já esteve em grandes casos que criaram muito falatório a nível mundial. Durante a leitura desde livro não resisti a pesquisá-la na net e eis o que descobri, Lydia Cacho foca-se na investigação de crianças e mulheres raptadas e utilizadas para a prostituição. Um dos livros que lançou acusava desde grandes empresários a políticos e após o seu lançamento foi raptada e maltratada. Acabou por ter "sorte" e foi encontrada antes de a torturarem e violarem, que seria o plano inicial. Sendo uma jornalista conhecida por utilizar todas as armas em seu poder para conseguir salvar aqueles que são mais fracos, está constantemente em movimento e muitas vezes com proteção, pois muitas pessoas sabem do que Lydia Cacho é capaz e tentam apanhá-la. Pelo que li, o seu rapto foi um caso que chegou a ser ouvido no supremo tribunal, mas que foi dissolvido por não existirem provas do que quer que fosse.

Com esta pequena introdução conseguem descobri o tipo de pessoa que é a autora. E o tipo de livro que nos apresenta. É um livro chocante de uma realidade que se passa no mundo. Nele encontramos testemunhos de diversas mulheres que passaram pelo pior dos pesadelos quando apenas queriam uma coisa, a liberdade! Uma liberdade envenenada. Neste livro vemos relatos de tios que prometem aos pais que irão levar a sua filha para uma vida melhor, acabando por as venderem para a prostituição, crianças que em tenra idade já baloiçavam as ancas porque sabiam qual o seu futuro, mulheres que tentam fugir a todo o custo mas que regressam sempre...

Anotei uma das passagens que achei mais chocante para lerem, algo que responderam durante uma pequena entrevista levada a cabo por Lydia Cacho:
"Disse [o chulo] que, quando ela crescer [a filha de ambos], ele próprio fará a prova para saber se a sua filha nasceu ou não para ser puta. «E que pensas tu disso?», pergunto-lhe. Limita-se a mover a cabeça e a desviar o olhar para a janela, dando assim por terminada a entrevista."

Uma passagem que me chocou pelo tom sincera da pessoa que estava a ser entrevistada e que prova que existem inúmeros monstros no mundo. Este é um livro que se tem que ler para crer. Onde a crueldade humana está narrada pela autora através de excertos de entrevistas e de tudo o que se encontrava em seu redor. Foi um livro que me chocou e que acaba por ser muitíssimo forte, mas que serve para abrir os olhos àqueles que pensam que o mundo é perfeito. Claro que nem todos conseguimos fazer o trabalho louvável da autora, mas existem sempre pequenas ações que contam.

Um livro forte que me ficou na mente e no espírito... Uma narrativa forte que TODOS deveriam ler!!

0 devaneios :