Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Prometes Amar-me?" de Monica Murphy

Passatempo

Passatempo
Até 23 de Julho

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

terça-feira, 4 de agosto de 2015
Autora: Maggie Robinson
Edição/reimpressão: 2015
Páginas: 336
Editor: Editorial Planeta
ISBN: 9789896575922

Sinopse:
É tudo um jogo até que alguém se apaixona...
A herdeira Louisa Stratton está de regresso a casa em Rosemont de férias, e, a pedido da família, leva o marido, Maximillian Norwich, conhecedor de arte e amante astuto, o homem que lhes descreveu como deslumbrante. Só que há um problema: ele não existe. Louisa precisa de um falso marido para causar uma boa impressão.


Opinião:
Admito que não achei a capa deste livro anda de especial, mas como gosto de romances de época e a Editorial Planeta não costuma falhar nesse campo, não resisti a começar a ler este livro para descobrir quem era Louisa e qual seria a sua história.

Louisa é uma grande herdeira que apenas queria viver em paz e sossego. Consegue sair de casa e viver muitos anos afastada de todo o esplendor da burocracia, tal como desejava, mas para isso vive numa mentira. Mente aos seus familiares afirmando que vive com o seu marido, um homem rico e perspicaz que a faz imensamente feliz. Essa mentira é o que a impede de regressar para a casa e para a tia, pois os pais de Louisa tinham falecido tornando-a uma das mulheres mais ricas do país. Apesar da riqueza, é tratada mal pelos tios e primos, parecendo que são eles que a estão a sustentar e não o contrário. Quando tem obrigatoriamente de regressar a casa, Louisa vê-se cara a cara com um problema... O seu suposto marido não existe! Como poderia ocultar essa mentira?

Charles Cooper precisa de dinheiro, por isso quando lhe apresentam a proposta de ser o marido a fingir de uma grande senhora, apesar de não ser um acordo que o fizesse sorrir, acaba aceitar. É assim que conhece a estranha Louisa Stratton, uma mulher que se revela de imediato imensamente independente mas que, perante os seus familiares, acaba por se encolher e tentar não se notar. Uma mulher que lhe dá cabo do juízo e que ele adora atazanar.

Sim, admito que a história do livro não é a mais original possível, antes pelo contrário, mas acabou de qualquer forma por ser uma boa leitura. Devo dizer que o que mais gostei deste livro foi da personalidade de Charles Cooper, um homem difícil mas com uma paciência sem igual, que apesar de não conhecer Louisa há muito tempo, sente-se mal quando vê como a sua família a trata. Acontece que Louise não queria ali regressar porque todos a tratam como se ela fosse uma pedra no sapato, como se não pertence-se àquela lugar, o que, sendo ela a dona e a herdeira, é uma verdadeira mentira. E é Charles que tenta, a todo o custo, fazer Louise ver isso. Ver que a família é que depende dela e não o contrário.

Mais uma vez, não é a história mais original de sempre, temos a donzela forte que frente ao passado fica amedrontada e com receio do que poderá fazer, o homem leal e com um elevado código de honra, que está pronto para ajudar a donzela e a família odiável que apenas quer dinheiro e ver a verdadeira herdeira pelas costas. Mas, pelo menos para mim, foi uma boa leitura especialmente pelo personagem masculino que adorei!!

Uma ótima leitura para relaxar nas férias e até mesmo fora delas.

0 devaneios :