Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"O Amor que Nos Une" de Megan Maxwell

Passatempo

Passatempo
Resultados!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011
Autor: Dean Koontz
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 256
Editor: Edições Contraponto
ISBN: 9789896660796
 
Sinopse:
Em Frankenstein - o Filho Pródigo, Dean Koontz começou a contar uma nova versão do clássico da literatura gótica, na qual o demoníaco médico Victor Frankenstein continua a tentar criar uma raça de criaturas perfeitas, e apenas Deucalião, o seu primeiro «monstro», parece capaz de lhe fazer frente. Em A Cidade das Trevas, a saga do criador e da criatura continua. Os espécimes da Nova Raça, as mais recentes criaturas de Victor Helios (antes conhecido como Victor Frankenstein), são na verdade assassinos perfeitos, e começam a espalhar um reino de terror pela cidade de Nova Orleães. À medida que Deucalião, com a ajuda de dois agentes da polícia da cidade, tenta impedi-los, vai descobrindo que estas criaturas podem ser assustadoramente semelhantes a seres humanos - sobretudo na sua tendência para a crueldade…
 
 
Opinião:
Sem dúvida uma trilogia que merece atenção e que cada vez que leio um novo livro dela me prende de tal forma que enquanto não termino o livro não o largo!
 
Após os acontecimentos do livro anterior, Victor não baixou os braços e continua determinado a criar uma raça perfeita que tome conta do mundo novo. Um mundo em que ele iria comandar e ser o grande Deus e criador! Mas as coisas começam a dar para o torto. No livro anterior começámos a ver o declíneo do império de Helios através da sua criação Erika, a sua mulher perfeita. Depois de ter morto a Erika do livro anterior, Victor Helios cria uma nova Erika, mais obediente e que tem um medo mortal de livros, a grande causa da antiga Erika ter ficado livre do domínio de Victor, de ter começado a pensar por si mesma e a querer fazer o que lhe ia em mente e não o que o seu marido e criador lhe ordenava.
 
Mas esta "doença" da nova raça pensar por si própria começa a alastrar-se. Começamos a ver essa alastração através da nova Erika, que embora faça de tudo para obedecer o melhor possível ao seu criador, continua com uma grande curiosidade, o que a leva a inúmeras perguntas que apesar de tudo, continua com medo de dizer. Temos também por outro lado um casal de assassinos da nova raça cujo objectivo de vida é matar e que têm como mandamentos o ser humano ser imperfeito, fraco, cobarde e inútil. A partir destes mandamentos sabem que pensar em ter filhos é algo repugnante e idiota, mas contra todas as possibilidades esse pensamento acaba por passar pela mente da assassina, o que leva a mil e uma perguntas relativamente a este casal e ao seu livre arbítrio.
 
Num livro muito bem escrito, com capítulos curtos e fáceis de acompanhar, o autor através das suas personagem e da história em redor destas continua com a sua crítica à sociedade mundial. Através de personagens marcantes, inteligentes e muito diferentes do normal, Dean Koontz faz-nos abrir os olhos para o mundo nos dias de hoje e desesperar pela continuação deste segundo volume, em que o livre arbítrio está proibido mas presente.
 
Sem dúvida uma das trilogias que me prendeu este ano e estou deserta para ler o seu último e derradeiro livro. Agora é só esperar por ele :)

2 devaneios :

Elphaba J. disse...

Li o primeiro e adorei, tenho este na estante e estou morta para lhe pagar...! Quem me dera conseguir lê-lo ainda este ano!
**

v_crazy_girl disse...

Se adoraste o primeiro também vais adorar este Elphaba! :D