Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"A Química do Amor" de Emily Foster

Passatempo

Passatempo
Até 24 de dezembro

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

domingo, 8 de julho de 2012
Autora: Lia Habel
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 408
Editor: Contraponto
ISBN: 9789896660871

Sinopse:
No ano 2195, em Nova Vitória (uma nação altamente tecnológica baseada nas maneiras, na moral e na moda da antiga era), uma jovem da alta sociedade, Nora Dearly, está mais interessada na história militar e nos conflitos políticos do seu país do que nos chás e bailes de debutantes. Contudo, após a morte dos seus pais, Nora fica à mercê da sua autoritária tia, uma mulher interesseira e esbanjadora que desperdiçou a fortuna familiar e agora pretende casar a sobrinha por dinheiro. Para Nora, nenhum destino poderia ser pior - até que sofre uma tentativa de sequestro por parte de um grupo de mortos-vivos. Isto é apenas o início. Arrancada do seu mundo civilizado, vê-se subitamente numa nova realidade que partilha com zombies devoradores, misteriosas tropas vestidas de preto e «O Lázaro», um vírus fatal que ressuscita os mortos tornando o mundo num inferno. Dos escombros de uma cataclísmica Idade do Gelo, surge uma nova sociedade construída com base nos costumes e na moral vitoriana. Nora Dearly, uma jovem da alta sociedade neovitoriana, conhece Bram Griswold, um atraente soldado, corajoso, nobre… e morto, que apesar disso conserva a sua inteligência e todas as partes do seu corpo graças à sorte e à ciência moderna. E quando vínculo de confiança entre eles se transforma em ternura, não há como voltar atrás. Eles sabem que a separação é inevitável, mas até lá, batendo ou não, os seus corações terão o que desejam.


Opinião:
Serei a única que estava com medo deste livro (embora a sinopse me chamasse a atenção) e que afinal era um medo injustificado? Após começar a ler este livro o meu único medo foi adormecer no dia seguinte de ter ficado até tão tarde a acabá-lo, por não o conseguir largar!!

Nora pertence à alta sociedade graças à mente científica brilhante do seu pai cujas descobertas ajudaram na evolução do mundo. Mas isso nunca foi um apoio muito grande na sua vida, pois Nora perdeu todos aqueles que lhe eram próximos numa idade muitíssimo precoce. Mas as coisas pioram quando é raptada de um momento para o outro! Pensando que toda aquela situação não podia piorar, descobre que fora raptada por infectados do Lázaro, também conhecidos como zombies!

Mas quando Nora pensava que estava a perder a esperança, uma voz começa a acalmá-la, a pô-la a par da situação em que se encontra. Uma voz tranquilizadora, calma e que ela quer descobrir a quem pertence! Essa voz pertence a Bram, um zombie conhecedor do campo de batalha, respeitado por muitos e que caracteriza o melhor que existe nos zombies, mostrando-nos o lado carinhoso e paciente que muitos não ligam a estas personagens. Embora não devesse, Bram acaba por sentir uma grande ligação a Nora, ligação essa que pôe a sua própria vida (?) em perigo, mas ele acaba por não se importar muito com isso, pois o que sente por ela é algo que nunca sentiu por ninguém.

Este acaba por ser o casal do livro, Nora, uma rapariga que se encontra bem viva e Bram que embora (técnicamente) morto, acaba por sentir uma vitalidade nunca antes sentida quando está perto de Nora. É um casal jovem mas que devido aos acontecimentos da sua vida cresceram rapidamente, acabando por se mostrarem maturos e pelo menos a mim deu-me imenso gosto seguir o desenvolvimento deste casal, cujo encanto está no amor calmo numa época e situação tão conturbada. Além disso não é daqueles casais que se conhecem e já está! Bram ganha a confiança de Nora aos bocados, de uma forma que mesmo antes de ela ver o seu aspecto, a voz dele já a acalmava e lhe dava uma grande confiança. Bram por sua vez ficou muitíssimo admirado com a personalidade forte e determinada de Nora que o fazia sentir-se vivo pela primeira vez em muitos anos.

Um casal fantástico cuja aventura acaba por se ligar com a de Palmela, a melhor amiga de Nora, que acaba por ser muito importante no livro e nos proporciona uns momentos muito divertidos e fortes. Uma história que me surpreendeu imenso pelo lado positivo e onde no meio de uma época vitoriana muito tecnológica descobrimos um casal muito forte determinado a ignorar as suas diferenças e a tentar salvar um mundo que se vai perdendo cada vez mais para a doença.

Agora é esperar pela continuação que ainda não foi publicada no estrangeiro (apenas a 25 de Setembro). Mais que recomendado!

0 devaneios :