Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Desejo Concedido" de Megan Maxwell

Passatempo

Passatempo
Até 3 de Setembro

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

terça-feira, 10 de julho de 2012
Autora: Nancy Goldstone
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 424
Editor: Bertrand Editora
ISBN: 9789722523431

Sinopse:
Em 1348, aos vinte e dois anos, Joana I, rainha de Nápoles, foi apresentada em julgamento ao Papa, acusada do homicídio do primo e marido, o príncipe húngaro André. Defendeu-se em latim e foi absolvida transformando-se então na única mulher monarca do seu tempo a governar em nome próprio. Presidiu durante mais de trinta anos a uma das cortes europeias mais prestigiadas e influentes, até ser ela própria assassinada. Pela primeira vez, Nancy Goldstone conta a história de uma das mais corajosas e influentes mulheres da história, pintando um retrato cativante da realeza medieval em toda a sua esplêndida complexidade. Joana I foi uma rainha medieval obrigada a lidar com intrigas políticas no seio da própria família e do estado em tenra idade. Apesar da sua atenção para com os pormenores históricos, esta biografia lêse compulsivamente


Opinião:
Eu adoro romances históricos e este pareceu-me sem sombra de dúvida um bom romance histórico, afinal de contas a sinopse fala-nos de uma rainha com uma vida muitíssimo completa e interessante.


Esta rainha teve uma vida que dava para fazer um muito bom romance histórico, mulher de quatro grandes senhores, mãe, rainha. Uma mulher decidida, forte e inteligente. Tudo ingredientes para uma história excelente, se não fosse a autora ter-se lembrado de escrever este livro como que para um trabalho de história.

Este livro fez-me lembrar de um "documentário". Não há diálogos, só informação nua a crua. Descrições demasiado pesadas que me faziam não ter vontade nenhuma de continuar a ler o livro, datas e mais datas todas seguidas umas às outras. Como já foi referido noutras críticas, também eu tive uma altura em que parei de ler as datas e de tentar situar-me.

De um modo geral não gostei. Queria um livro para relaxar durante o estudo para os exames e em vez disso tive um livro de história pesado, chato (embora a história da personagem seja interessante) e que não me puxou nada. Antes pelo contrário, fiz um esforço enorme para o ler. Se querem escrever uma biografia da personagem, é o livro perfeito, mas se querem algo romanceado e leve, nem pensem.

2 devaneios :

Ines Santos disse...

Eu também gosto muito de romances históricos, contudo fico super desiludida quando nos começam a maçar com factos históricos quando o que procuramos é, no fundo, um romance que foi real... Fico com pena que te tenha calhado um romance chato :s

Beijinhos e Boas Leituras

oprazerdaleitura94.blogspot.com (visita e segue (: )

v_crazy_girl disse...

Muito chato mesmo... pode ser que certas pessoas gostem, mas eu não gosto nada :S

Bjs*