Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"A Química do Amor" de Emily Foster

Passatempo #1

Passatempo #1
Até 24 de dezembro

Passatempo #2

Passatempo #2
Até 27 de dezembro

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

sexta-feira, 27 de julho de 2012
Autora: Alyson Noël
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 320
Editor: Edições Gailivro
ISBN: 9789895577798
Coleção: 1001 Mundos

Sinopse:
Ever e Damen caminharam juntos por incontáveis vidas passadas e lutaram contra os inimigos mais sombrios do mundo para ficarem lado a lado para sempre. Mas, quando o tão aguardado destino parece estar finalmente ao seu alcance, uma poderosa maldição abate-se sobre Damen, uma maldição que poderá destruir tudo. Agora, um simples toque das suas mãos ou um suave roçar dos lábios de Ever poderá significar a morte súbita, arrastando Damen para a Terra Sombria. Desesperada por quebrar a maldição e salvar Damen, Ever mergulha na magia e encontra uma ajuda inesperada, um surfista chamado Jude. Apesar de ela e Jude se terem conhecido há pouco tempo, ele parece-lhe estranhamente familiar. E mesmo que ferozmente leal a Damen, Ever sente-se atraída por Jude, um rapaz bronzeado, de olhos verdes, com poderes mágicos e um passado misterioso. Ever sempre acreditou que Damen seria a sua alma gémea e o seu verdadeiro amor e ainda acredita que seja verdade. Mas, à medida que Damen se afasta para os salvar, a ligação de Ever com Jude intensifica-se, testando o seu amor por Damen como nunca antes tinha acontecido destruir tudo. Agora, um simples toque das suas mãos ou um suave roçar dos lábios de Ever poderá significar a morte súbita arrastando Damen para a Terra Sombria.


Opinião:
Depois de ter lido o segundo livro desta saga e ele ter terminado como terminou, não resisti e tive que ler o seguinte, embora tivesse esperança que a qualidade do próprio livro aumentasse.

Damen e Ever não se podem tocar. Depois do pacto que Ever fez para salvar Damen da Terra Sombria - lugar destinado para os imortais, podemos associar este lugar ao céu e ao inferno para os humanos -, estes não se podem tocar directamente e não podem trocar o seu DNA de forma alguma! Desesperada Even está cabisbaixa, sem ideias e culpa-se repetitivamente a si própria pelo que está a acontecer, embora admita que não tinha outra solução possível.

Enquanto Ever pensa nesse seu problema sentimental, tem que resolver outro em casa, quando lhe dizem que lhe fazia bem começar a trabalhar nas férias para aumentar o seu sentido de responsabilidade. Mas ela não quer o trabalho que lhe oferecem em casa e acaba por arranjar um na livraria de livros sobre o sobrenatural que existe perto da sua casa. Um grande feito, não fosse ela estar à procura de uma cura para a impossibilidade de ser tocada por Damen, porque se a solução estivesse em algum lado, estaria naqueles livros antigos e perigosos. Mas não são apenas os livros que são perigosos, mas também o neto do dono da loja, Jude, um surfista lindíssimo, divertido e que a faz esquecer de todos os seus problemas! Mas aparentemente Jude também já esteve incluído nas suas vidas antigas e Ever começa a sentir-se demasiado baralhada com os seus próprios sentimentos.

A escrita da autora mantém-se a mesma que sempre, simples, sem grandes floreados e dirigida para um público adolescente. No início costou-me muito ler o livro, mas sem dúvida nenhuma que para aí a metade este melhorou muito. Apareceram as gémeas, apareceu Jude... E isso vez com que Ever não fosse tão chatinha e uma personagem tão morta. Mas mesmo assim não consigo sentir empatia por ela. Já no segundo livro aconteceu a mesma coisa, toda a gente diz "não faças isso! só vais piorar as coisas!" e depois temos o mau da fita (apenas UM mau da fita) e dizer "faz isso! é o melhor!" e qual a opinião que ela segue? A de Roman (o mau da fita). Começa a achar que a rapariga é um bocado para o "lentinha". E não me venham com o "ela só faz isso para ajudar as pessoas de quem gosta", porque se fosse assim nem metade das asneiras que ela já fez tinham acontecido.

Mas uma coisa é certa, apesar de tudo há algo que me faz continuar a querer ler os livros da saga. Não sei se é estes finais da autora que fazem sempre despertar um pouquinho de curiosidade, mas pronto. Agora quando arranjar o próximo livro vou lê-lo :p

0 devaneios :