Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Se Eu Fosse Tua" de Meredith Russo

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quarta-feira, 19 de setembro de 2012
Autora: Cynthia Hand
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 288
Editor: Saída de Emergência
ISBN: 9789896374464

Sinopse:
Durante meses, Clara Gardner treinou para enfrentar o incêndio das suas visões, mas nada a preparou para a escolha que teria de fazer nesse dia. E no rescaldo do incêndio, descobriu que ao contrário do que pensava, nada é o que parece quando se tem sangue de anjo. 
Agora, está dividida entre o amor que sente por Tucker e as dúvidas que Christian lhe desperta, pelos papéis que ambos parecem estar destinados a assumir num mundo que tem tanto de belo como de perigoso. Clara debate-se ainda com uma revelação chocante: alguém que ama vai morrer dentro de meses. Perante um futuro incerto, a única certeza que Clara possui é a de que o incêndio foi apenas o início. 
Depois de Celestial, Cynthia Hand retrata a alegria do primeiro amor, a angústia da perda e a desorientação por que passamos ao descobrir quem somos.


Opinião:
Tinha lido o primeiro livro desta saga, "Celestial" e tinha-me surpreendido pela positiva. Mas este ainda me surpreendeu mais, essencialmente o final.

Clara não cumpriu o seu propósito. Num instinto louco de seguir o seu coração, Clara acaba por decidir salvar o seu namorado, Tucker, e deixar Christian entre as chamas. Muito se aliviou ao descobrir que Christian podia voar e que assim a sua escolha nem correra mal, pois ninguém se havia magoado. Ou assim pensava ela. Mas as certezas de que apesar de não ter cumprido o seu propósito nada de mal iria ocorrer mudaram repentinamente quando novos sonhos começam a assombrar Clara. Um sonho onde ela sentia uma grande tristeza, o que a levara a pensar que um Asa Negra se encontrava por perto. Mas ao descobrir que o local do seu sonho era um cemitério, Clara compreende que a tristeza não era provocada pelo ser do Inferno, era a sua própria tristeza, o que significava que alguém que lhe era querido iria morrer brevemente.

É então que a nossa heroína tenta descobrir quem é esse alguém que em breve irá morrer de forma a conseguir salvá-lo. Mas as coisas ainda complicam mais, quando Clara descobre a verdade sobre o seu pai, o porquê da distância do irmão e começa a ser perseguida por um Asa Negra.

Tal como no primeiro livro temos uma escrita simples e fluída, que nos permite sentirmo-nos envolvidos na história, sentir o que as personagens sentem e querer ajudá-las nos momentos mais complicados. A história do livro muda um pouco drasticamente. Enquanto que no primeiro todo o livro era sobre o propósito, o porquê de este existir, qual é que ele era, quando é que se iria realizar, como... este livro é sobre a nova premonição de Clara e quem é a pessoa que lhe é querida que irá morrer. É também o "verdadeiro" início da descoberta dos Asa Negras (eles apareceram no primeiro volume, mas neste são um pouco mais desenvolvidos), criaturas que espalham a tristeza, mas que me deixaram muitíssimo curiosa. 

Embora no início tenha-me sido difícil reentrar nesta história, à medida que o ia lendo ia ficando mais envolvida pela acção e parei de o conseguir largar. Este livro deixa ainda muitas questões por resolver. É um livro mais pessoal em que o trama roda mais Clara do que antes, mas que não deixa de ter diversos factores "externos" a esta vida pessoal que estão prestes a ser decididos pelo destino.

Com a mesma escrita envolvente, uma história cativante e muitas descobertas, esta é sem dúvida uma boa aposta da editora!

0 devaneios :