Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Se Conhecessem a Minha Irmã..." de Michelle Adams

Passatempo

Passatempo
Até 3 de Setembro

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012
Autora: Sandra Brown
Edição/reimpressão: 2011
Páginas: 466
Editor: Quinta Essência
ISBN: 9789898228642

Sinopse:
Quando o detetive Duncan Hatcher é chamado à mansão do juiz Cato Laird para investigar uma morte, compreende que a discrição é a chave para manter o seu emprego. Elise, a mulher-troféu do juiz, afirma ter matado a tiro um gatuno em legítima defesa, mas Duncan tem quase a certeza de que ela mente. A investigação que faz ao passado pouco suspeito de Elise convence-o de que ela é mentirosa, manipuladora e, mais do que provavelmente, uma assassina. Mas quando Elise desaparece…
Sem saber em quem acreditar, Duncan vê-se envolvido na investigação de um homicídio que desafia a sua lógica, o seu infalível instinto e a sua inabalável integridade. Não confia em ninguém, exceto na palavra do criminoso que prometeu eliminá-lo. E confia ainda menos na mulher que mais deseja.


Opinião:
Nunca tinha lido nada desta autora, por isso quando a oportunidade apareceu, não resisti e tive que ler sobre o que muita gente andava a falar.

Duncan é bom no que faz, verdade seja dita. O seu grande problema? As suas emoções estarem sempre à flor da pele. Num julgamento de um dos grandes senhores do crime da cidade, Duncan pensa que finalmente arranjaram provas conclusivas para o porém atrás das grades. Qual não é a sua surpresa ao ouvir o juiz Cato Laird, um homem muito bem conservado para a idade que desfaz qualquer mulher num sorriso, dizer que o julgamento era inválido e que apenas com provas mais conclusivas se poderia abrir um novo. Passado com a situação, Duncan não aguenta e a fúria acaba por tomar conta de si, acabando por ir passar uns dias na prisão por desrespeito ao juiz no tribunal.

Passado pouco tempo, o detective Duncan é chamado para um homicídio por defesa própria... na casa do juiz Cato Laird. Apesar do atrito existente entre ambos, Duncan tenta comportar-se como o polícia responsável e cumpridor que sempre fora, mas desta vez algo o incomoda e não é apenas o facto de estar na casa do juiz que o fez passar uns diazitos na prisão... É o facto de a mulher deste ser o ser mais belo e vistoso ser que alguma vez vira na vida e o facto de que esta estar a mentir relativamente à defesa própria com todos os dentes que tem na boca. Sendo um marido que tenta suportar a mulher ao máximo após esta assassinar um homem, Cato enfurece-se ainda mais com Duncan, mas este mantem a sua posição de que a mulher do juiz está a mentir e que tal está a acontecer por uma razão maior ao que todos pensam.

As coisas pioram quando a mulher do juiz faz um pedido a Duncan que este tenta recusar ao máximo. Mas usando o poder que tem sobre os homens, esta consegue fazer com que Duncan, mesmo racionalmente não acreditando nela, tenha uma pequena desconfiança que ela não está bem a mentir e que há um fundo de verdade naquilo que ela lhe diz quando está longe do marido.

Muito sinceramente, fiquei admirada. Eu não sou a maior fã de policiais que há por aí. Leio-os, verdade seja dita, mas aqueles que me captam a atenção ou são muitíssimo bons (na minha opinião), ou muito diferentes do normal. Neste livro a autora conseguiu criar um policial leve mas com romance. Um romance que não retira o "policial" deste livro, estando os dois a contrabalançar-se perfeitamente, o que foi uma óptima surpresa. As personagens de todo este livro estão bem exploradas e ficamos até quase ao fim para saber a verdade, para saber quem é o mentiroso e quem é que está a ser acusado injustamente. Conhecemos personagens que por fora pareciam perfeitas, mas que acabam por estar mais confusas do que esperado, sendo a sua vida mais negra do que alguma vez pensáramos. O motivo de tudo o que ocorre neste livro também foi algo que me surpreendeu por ser algo tão simples e lógico e mesmo assim não tendo passado pela minha cabeça.

A escrita da autora é fluída e intercala muito bem o romance/policial, sendo este o seu grande truque. Sem dúvida que, pelo menos para mim, isso foi o que fez o livro valer bem a pena, de tal forma que já me decidi a ler algo desta autora nos próximos tempos!

Uma óptima surpresa!

0 devaneios :