Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Se Eu Fosse Tua" de Meredith Russo

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013
Autora: Kate Morton
Edição/reimpressão: 2012
Páginas: 528
Editor: Porto Editora
ISBN: 978-972-0-04355-9

Sinopse:
Tudo começa quando uma carta, perdida há mais de meio século, chega finalmente ao seu destino...
Evacuada de Londres, no início da II Guerra Mundial, a jovem Meredith Burchill é acolhida pela família Blythe no majestoso Castelo de Milderhurst. Aí, descobre o prazer dos livros e da fantasia, mas também os seus perigos.
Cinquenta anos depois, Edie procura decifrar os enigmas que envolvem a juventude da sua mãe e a sua relação com as excêntricas irmãs Blythe, que permaneceram no castelo desde então. Há muito isoladas do mundo, elas sofrem as consequências de terríveis acontecimentos que modificaram os seus destinos para sempre.
No interior do decadente castelo, Edie começa a deslindar o passado de Meredith. Mas há outros segredos escondidos nas paredes do edifício. A verdade do que realmente aconteceu nas horas distantes do Castelo de Milderhurst irá por fim ser revelada...


Opinião:
Confesso... nunca tinha lido nada desta autora. Não sei, por muito que visse os livros dela, que lesse as óptimas críticas, nunca tinha curiosidade de ler esta autora. Não tenho justificação para isso, mas sei que após ler este livro fiquei a pensar como é que após tantas boas críticas nunca tinha pegado na autora, porque adorei o que li!

Edie vê a mãe ficar em estado de choque após abrir uma carta que esta afirma nada significar e que apenas lhe havia causado tal reação por ter sido algo inesperado. Mas Edie conhece a mãe melhor do que aparenta e apesar das repetidas afirmações da mãe, não acredita nela, especialmente depois de Edie ao contar-lhe de um episódio que se recordava de ter assistido em pequena, ter sido praticamente ignorada e sendo dito que a sua imaginação era demasiado fugaz. Mas se há coisa que Edie é, é casmurra e decidida, arranjando de imediato forma de ir visitar o fantástico Castelo de Milderhurst, de onde parece que viera a carta.

Acontece que a mãe de Edie fora uma refugiada da II Guerra Mundial e tinha, durante algum tempo, vivido nesse castelo, rodeada por personagens deveras estranhas e peculiares. O castelo pertencia a um escritor muitíssimo famoso pelo conto o Homem de Lama, um conto mórbido para crianças que era um verdadeiro sucesso. O dono do castelo que Meredith (mãe de Edie) conhece em pequena, era um homem amargurado, triste e solitário, que tinha como adorada a filha mais nova, um espírito livre, cuja magia para a escrita e fantasia ultrapassa largamente o do pai. É uma personagem que desde logo desperta a curiosidade da pequena Meredith, mas quem ainda lhe desperta mais a atenção é a filha mais nova deste, a sua primeira e única melhor amiga, que a leva a conhecer o mundo dos livros, escrita e fantasia.

Mas as personagens que Edie conhece são muito diferente daquilo que a sua mãe conhecia. O dono do castelo já havia falecido, mas a sua filha mais nova - agora considerada praticamente louca pelo que ocorrera com o seu suposto noivo - e, as suas duas irmãs mais velhas viviam lá. Senhoras de idade que apesar de já se terem passado tantos anos continuam a viver juntas, solidárias e a manter o castelo erguido. É então que Edie, com a permissão da irmã mais velha, acaba por ter a honra de escrever um prefácio para uma edição de aniversário do livro O Homem de Lama, algo que esta se sente honrada a fazer, não fosse este o seu primeiro verdadeiro livro lido. Mas acaba por descobrir que esta história tem mais por trás do que aparenta, acabando por ser um livro de mistério e descoberta absolutamente fantástico!

Como já disse, nunca tinha lido nada da autora. Conhecia-a de nome, de ter alguns livros publicados em Portugal e todos com excelentes críticas, mas nunca havia tido a curiosidade de arranjar um livro da autora e lê-lo no verdadeiro sentido da palavra. Arrependi-me disso um pouco depois de pegar nesta obra. A escrita da autora é tão... mágica! Consegue prender os leitores, fazê-los sentir o mistério a adensar-se à sua volta e "obrigá-los" a ler, ler e ler até descobrirem o que se passou na realidade! Adorei o facto de todo o mistério se centrar nos livros, mas propriamente num livro, O Homem de Lama. Adorei as descrições dos cenários, as personagens muitíssimo bem caracterizadas e aprofundadas, a história diferente e refrescante com que me deparei... Nem sei bem o que dizer, pois adorei tudo neste livro! Escrita, personagens, história... E o final! Posso dizer que simplesmente não esperava, pois por um lado foi um final excelente, mas por outro foi um final algo cruel.

Simplesmente adorei, recomendo ser reservas e tenho que ler mais livros da autora!

3 devaneios :

Catarina Abreu disse...

Amei o livro *.*

Liliana Lavado disse...

Será que sou só eu que não gosto desta escritora!? :P
Bem, parece que sim, e ainda bem para ela :D

v_crazy_girl disse...

Ahahah eu por acaso gostei imenso do livro Liliana :p No início custou-me a "entrar na onda", mas depois adorei :o