Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Isabel - A Condessa Cercada" de Pedro L. Torres

Passatempos de Momento

Passatempos de Momento
Sem passatempo de momento :)

Seguidores

Tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quinta-feira, 6 de Junho de 2013
Autora: Patricia Cabot
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 416
Editor: Quinta Essência
ISBN: 9789897260476

Sinopse:
Quando a bela Kate Mayhew é contratada como dama de companhia de Isabel, a filha obstinada de Burke Traherne, o marquês vê-se numa situação impossível. Dividido entre saber que ela é exatamente aquilo de que Isabel precisa mas, para ele, a pior tentação possível, encontra-se constantemente perto de alguém que ameaça a sua independência. Conhecido pelo seu autodomínio férreo desde o dia em que apanhou a mulher com um amante, Burke jurou nunca mais arriscar-se a casar.
Ao aceitar a oferta de emprego de Sua Senhoria, a temperamental Kate enfrenta dois perigos: sua atração irresistível por um homem que abdicou do amor, e um encontro com o seu próprio passado escandaloso... que ela não pode manter secreto para sempre.


Opinião:
Antes de avançar com a crítica tenho que dizer... ADORO a capa! Adoro as cores, adoro a imagens, adoro até o tipo de letra. É daquelas capas que me faziam comprar o livro simplesmente pelo aspecto sem olhar sequer para a sinopse.

Burke já não sabe como controlar a sua filha. Esta é incontrolável, tendo herdado o curto controlo tão característico do pai. Um dia em que esta não queria de forma alguma ir a um baile, tendo assustado a sua mais recente dama de companhia, acaba por ser levada ao colo pelo pai para dentro da carruagem. Mas o pior veio a seguir, quando uma jovem mulher o ameaçou com a sombrinha por ele estar a cuidar da própria filha (embora esta jovem mulher não soubesse tal factos no início)!

Quando Burke viu a mão de ferro com que Kate, o nome da jovem mulher, deu uma lição à sua filha por esta não obedecer ao pai, Burke decidiu que aquela tinha que ser a nova dama de companhia da filha! Afinal de conta esta precisava seriamente de alguém que não tivesse receio nem de lhe dar uma boa lição (à filha) nem da reação do seu pai decido aos métodos de ensino.

Mas Kate acaba por despertar no marquês algo mais do que uma relação trabalhador/empregador, o que acaba por desencadear um onda de acontecimentos de que nenhum estava à espera.

Devo dizer que gostei imenso deste romance. E devo grande parte desse fascínio por ele à fantástica personalidade de Kate, uma mulher forte e determinada como há muito não via em romances deste género. Embora não quisesse regressar aos ciclos da nobreza, devido a razões que vamos desvendando ao longo do livro, Kate luta inicialmente contra o problema de ter que acompanhar a filha de Burke aos bailes quando tudo o que menos quer é ser reconhecida. Mas acaba por decidir de forma lógica o melhor para si e para aqueles que dependem de si, pois precisava do dinheiro que o novo emprego lhe iria trazer.

Por outro lado temos a filha de Burke, um autêntico diabo, com uma personagem forte e com opiniões ainda mais forte, que nos faz rir em diversas situações pelo seu sentido de oportunidade e sinceridade demasiado directa. Por fim temos o próprio marquês, um homem viúvo que casara com uma grande amiga, mas infelizmente perdera-a, acabando por criar sozinho uma filha que embora adore, lhe consegue dar "cabo do juízo".

Mas como referi, Kate é a verdadeira alma do livro e foi ela que me fez adorar o que li. Um romance histórico que aconselho a todos os amantes do estilo!

0 devaneios :