Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"A Química do Amor" de Emily Foster

Passatempo

Passatempo
Até 24 de dezembro

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

sexta-feira, 12 de julho de 2013
Autora: Marina Chapman
Edição/reimpressão: 2013
Páginas: 304
Editor: Edições Asa
ISBN: 9789892323947

Sinopse:
Entregue a si própria, Marina vagueou durante dias a chorar pela mãe. Como conseguiu uma criança de tenra idade sobreviver em condições tão hostis? A resposta desafia todas as nossas convicções: Marina foi "adotada " por uma família de macacos. Nos anos que se seguiram, eles seriam os seus guardiões. Com eles aprendeu a buscar alimentos, a proteger-se dos predadores e a viver em comunidade. Quando foi encontrada, cinco anos depois, o seu estado era completamente selvagem. Arrancada à floresta por caçadores, foi vendida a um bordel onde sofreria maus-tratos diários até ter a coragem de fugir. Encontrou refúgio nos meandros da selva urbana e no seio de um gangue de meninos da rua. Mas a infância de Marina não tinha ainda terminado. De alguma forma, acabara de começar.
Um livro de memórias único e uma lição de vida inesquecível. A forma carinhosa como Marina foi acolhida pela família de macacos quando os seus semelhantes a trataram com tão imperdoável crueldade mostra-nos o quanto temos a aprender com os animais e é a derradeira prova da força do espírito humano.


Opinião:
Decidi ler este livro pela sinopse. Afinal de contas não são todos os livros que nos trazem um "Tarzan" da vida real, alguém que foi mesmo criado por macacos quando era mais novo. Esta sinopse acabou assim por fazer com que a minha curiosidade fosse superior a mim mesma e sendo assim acabei por ler este livro que digo desde já que me surpreendeu, e muito, pela positiva.

Marina só se lembra de algo com um sabor estranho sobre a sua boca. Algo que se entranhou na sua garganta e a fez adormecer, acordando de seguida no meio do nada, sem saber o que fazer ou como sobreviver. A sua sorte foi uma família de macacos, uma família que olhou para ela e decidiu acolhê-la como se esta tivesse nascido de um deles. Marina era uma criança pequena e como é normal não percebia a língua dos seus salvadores primatas, para além de estar em plena desvantagem das ameaças da floresta, pois enquanto estes conseguiam subir trocos e saltar de árvore em árvore, Marina estava pressa no chão, sem saber muito bem o que fazer.

Muito ao contrário da conhecida história de "Tarzan", aqui estamos perante uma história real, logo estamos perante animais reais, sendo a grande lei entre estes a de o mais forte é que sobrevive. Inicialmente Marina podia ser a mais estranha, mas nunca a mais forte, tendo tido a sorte de ter sido "adoptada" por um dos macacos mais velhos da família. Embora não fosse o chefe do grupo dos macacos, este macaco acabava por ter uma certa aura de sapiência por ser o mais velho, o que valeu a Marina uma grande protecção no bando. Além disso, decidida a integrar-se, Marina treinou imenso, acabando por conseguir também ela trepar árvores e saltar nas lianas. Estes auto ensinamentos fizeram com que ela ficasse muito feliz na família dos macacos até um dia, em que descobriu uma tribo com uns seres muito estranhos que era nunca vira antes a não ser num espelho.

Esta curiosidade por pertencer a um grupo de pessoas igual a ela fez com que Marina arriscasse imenso, acabando por durante imensos anos sentir saudades da família que tinha entre os macacos, aqueles estranhos seres que nem sequer eram da sua espécie mas que a trataram muito melhor que inúmeras pessoas. Pessoas que a venderam, que a usaram ilegalmente, que a maltrataram.

Devo dizer que este livro surpreendeu-me pela positiva, pois embora seja um relato das memória de Marina, está escrito em tom de romance, acabando por mesmo nas cenas mais pesadas, por nos envolver. Ao longo destas páginas sentimos-nos próximos de Marina, compreendemos os seus receios e admiramo-la por toda a forma de vontade desta rapariga que nada conhecia do mundo. Através dele assistimos a inúmeros episódios deveras deprimentes da vida de muitas crianças, pois enquanto faz o relato, Marina não deixa de incluir inúmeras pessoas que ela vira nas mesmas situações de pobreza e perigo.

Um livro que aconselho a todos, pois é um livro que acaba por sensibilizar as pessoas, abrindo-nos os olhos para a brutalidade humana, chegando mesmo a fazer-nos pensar que chegam a existir animais melhores que muitas pessoas.

0 devaneios :