Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Se Eu Fosse Tua" de Meredith Russo

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014
Autor: James Patterson e Emily Raymond
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 288
Editor: TopSeller
ISBN: 9789898626295

Sinopse:
Baseado em acontecimentos reais da vida de James Patterson.
Axi Moore era uma aluna aplicada. Mas não gostava de dar nas vistas e não contava a ninguém que o que realmente desejava era fugir de tudo. A única pessoa no mundo em quem confiava era Robinson, o seu melhor amigo, por quem estava secretamente apaixonada.
Quando finalmente decide seguir os seus impulsos e quebrar as regras, Axi convida Robinson para a acompanhar na sua longa viagem. Uma jornada intempestiva, marcada pela paixão oculta e pelo desejo de descobrir o mundo. Mas o que no início era apenas uma aventura livre e despreocupada em breve vai tomar um rumo perigoso e incontrolável.
Envolvidos numa sucessão de acontecimentos violentos e dramáticos, os protagonistas são colocados à prova das mais variadas formas. Poderá a primeira grande paixão das suas vidas sobreviver a tudo, até que a morte os separe?
Um romance notável e extraordinariamente comovente, inspirado no próprio passado de James Patterson. Um testemunho impressionante sobre a força do primeiro amor e as suas consequências para o resto das nossas vidas.


Opinião:
James Patterson é um dos autores mais conceituados a nível mundial. Autor de dezenas de livros, muitos deles tendo alcançado o número um na lista de livros mais vendidos. Este é um romance que foi baseado no seu primeiro amor, e devo dizer que foi ao descobrir que tinha sido baseado em algo real do autor que fiquei com curiosidade em saber mais e em ler este livro.

Axi é a menina certinha, aliás, por alguma razão Robinson lhes chama MC, certo? Axi nunca falta a aulas, nunca faz nada sem ter ponderado totalmente o assunto, não é mal educada... É o modelo de rapariga correcta. Já Robinson é totalmente o contrário. Falta a todas as aulas que consegue, é desbocado, sempre pronto para uma nova aventura e um verdadeiro mulherengo. Duas pessoas que são muitíssimo diferentes, mas que acabam por se tornar os melhores amigos.

Axi decide que quer sair de casa, sem dizer nada a ninguém, e ir conhecer o mundo. Mas não quer desfrutar dessa aventura sozinha e por isso acaba por falar sobre isso a Robinson, que aceita de imediato o convite e vai com ela na maior e mais inesperada aventura das suas vidas. Uma aventura onde se ficam a conhecer melhor, os seus sentimentos, medos e onde constatam que a vida não é infinita, por isso convém vivê-la ao máximo.

Muito sinceramente? Este livro foi diferente do que esperava. E percebi isso mal li a inscrição inicial que o autor escreveu no livro, mesmo antes de começar a história. Uma pequena inscrição onde o autor fala de um antigo amor, uma pessoa que numa saída juntos, do nada cai ao chão e começa em convulsões, sendo que acaba por falecer passado dois anos de cancro. E dizia que esta história era baseada nela. Quando li isso percebi de imediato que o livro iria abordar este assunto tão sensível, cancro. Um assunto cujo aparecimento na história, embora preparada anteriormente pela inscrição do autor, me chocou.

Isso acontece porque este livro é separado em dois grandes "capítulos". No primeiro vemos a alegria que as nossas personagens vivem juntas, a aventura, a descoberta do amor. No segundo, de um momento para o outro relembramos-nos da inscrição inicial do autor ao abrirmos o livro, o que sabíamos que esperávamos neste livro e que ainda não tinha acontecido. Com isso ficamos a saber como é que as duas personagens se conhecem, como é que começaram a dar-se uma com a outra e porque se sentem tão unidas.

Este é um livro com uma escrita rápida e muitíssimo simples, que no início não me prendeu a 100%, mas cuja segunda parte, por muitíssimo triste que fosse, acabou por me prender mais e acabou por ser um bom livro, que eu queria ler até ao fim para saber o que iria acontecer aos dois jovens e como é que a sua aventura acabaria.

Um livro cujo final acabou por me entristecer, mas é uma grande recordação do primeiro amor de James Patterson, a quem este livro é totalmente dedicado.

1 devaneios :

António Jesus Batalha disse...

Blog encantador,gostei do que vi e li,e desde já lhe dou os parabéns, também agradeço por partilhar o seu saber, se desejar visitar o Peregrino E Servo, ficarei também radiante e se desejar seguir faça-o de maneira que possa encontrar o seu blog, porque irei seguir também o seu blog.
Deixo os meus cumprimentos, e muita paz.
Sou António Batalha.