Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Se Eu Fosse Tua" de Meredith Russo

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quinta-feira, 28 de agosto de 2014
Autora: Megan Hart
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 448
Editor: Harlequin
ISBN: 9788468749853

Sinopse:
Conheci-o numa confeitaria… Ele voltou-se e sorriu-me e eu fiquei tão surpreendida que lhe devolvi o sorriso. Não era uma loja para crianças, mas o tipo de estabelecimento onde se compram trufas caras de importação para a mulher do chefe porque nos sentimos culpadas depois de ter estado na cama com ele durante uma conferência no Milwaukee… hipoteticamente falando, claro. Já namoriscaram comigo muitas vezes, sobretudo tipos carentes de subtileza que pensam que o que têm entre as pernas compensa o que lhes falta entre as orelhas. Apesar de tudo, às vezes ia para casa com algum deles, porque gostava de desejar e de ser desejada, embora a maior parte das vezes fosse tudo uma grande mentira. O problema do desejo radica em que é como deitar água num copo cheio de pedras. Enche-se rapidamente e não há espaço para mais nada. Não vou desculpar-me por ser quem sou, nem pelo que fiz dentro e fora da cama. Tenho o meu trabalho, a minha casa e a minha vida, e durante muito tempo não necessitei de mais nada… Até que conheci Dan. Até agora.


Opinião:
Há quanto tempo não lia eu um romance mais erótico? Nem eu sei. A verdade é que o tinha por aqui no ereader e pensei "porque não ler algo diferente do que tenho lido?" e foi assim que decidi pegar neste tipo de romance, para ver se sentia alguma saudade pelo género. Além disso já tinha ouvido falar muito bem desta autora e nunca a tinha lido, mesmo tendo os seus dois livros em formato físico em casa. Por vezes é preciso estar longe das novidades do mês para ler alguns livros em que já estavamos de olho há algum tempo.

Elle Kavanagh é uma mulher calma, inteligente e que sabe que acima de tudo não quer relacionamento algum na sua vida. Tendo já sofrido na mão de diversos homens e tendo um passado que lhe fecha muitas portas no campo sentimental, é nas palavras do irmão que encontra o apoio necessário para continuar a ignorar o passado e as palavras frias e cortantes da sua mãe. A mãe de Elle anda constantemente a contactá-la para ir ver o pai que está com a saúde cada vez mais debilidada. Apesar disso, sabendo que os pais nunca fizeram nada por ela, Elle decide manter a distância, encontrando-se com a mãe apenas quando é estritamente necessário.

Num dia como qualquer outro, quando vai a uma lojinha procurar doces para enviar ao irmão, pequenos mimos que trocam entre si, encontra lá um homem que de imediato começa a namoriscar com ela. Um homem que demonstra ser muitíssimo seguro de si mesmo, sabendo o que quer de Elle e mimando-a o mais possível. Apesar de Dan ser um homem como há poucos, Elle não quer uma relação séria e deixa esse ponto bem esclarecido logo desde o início, afirmando que se quiser algo mais é melhor abandoná-la de imediato.

Mas Dan não compreende este receio que Elle tem por relações e mesmo tendo este aviso sido feito, tenta a todo o custo criar algo mais com aquela estranha mulher que o intriga e encanta como ninguém.

Este é um livro erótico um pouco diferente de muito que eu já li. A autora descreve as cenas sexuais sem falinhas mansas, escrevendo todos os pormenores de forma directa e crua, mas mesmo assim romântica e muitíssimo sensual. Mas apesar de inicialmente o sexo ser o grande ingrediente deste livro, tal acaba por mudar à medida que avançamos na narrativa, havendo problemas mais pessoais e reais que a autora acaba por desenvolver ao longo da história. Neste livro a autora acaba por falar muito da auto-mutilação e de famílias disfuncionais. Ao contrário de muitos livros, estes problemas não são da parte da personagem masculina, aliás, este livro é dos poucos que li até agora em que o homem da relação é que quer algo mais sério e tem menos problemas do que a mulher.

Aqui quem tem fantasmas por ultrapassar é Elle. Uma infância difícil e sem apoio algum dos seus pais, em que estes a culpavam pela morte do seu irmão, acabando esta por transportar o seu fantasma às costas, mesmo sabendo pela lógica que a culpa não tinha sido sua. Também gostei imenso da relação entre Elle e o filho da vizinha. Um rapaz que por algum dinheiro a ajuda na renovação da casa. Um rapaz calado e inteligente, que Elle descobre ter sérios problemas em casa e que tenta ajudar, apesar de tudo apontar para que devesse estar quieta, não se metendo no assunto.

A relação de Elle com Marcy e o irmão também foram muito interessantes. Com Marcy víamos um vislumbre de uma Elle divertida e pronta para a festa, com o irmão uma Elle com demasiadas responsabilidades às costas e com algo no seu passado que não quer dizer em voz alta.

Um livro que apesar de o início parecer corresponder a apenas mais um entre centenas, acaba por surpreender pelos assuntos abordados a partir de metade da narrativa. Recomendo.

0 devaneios :