Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"Se Conhecessem a Minha Irmã..." de Michelle Adams

Passatempo

Passatempo
Até 3 de Setembro

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

terça-feira, 19 de agosto de 2014
Autora: Sally Green
Edição/reimpressão: 2014
Páginas: 320
Editor: Editorial Presença
ISBN: 9789722352192

Sinopse:
Na Inglaterra dos nossos dias, bruxos e humanos vivem aparentemente integrados. Na realidade, os bruxos têm a sua própria sociedade secreta, as suas regras e a sua guerra, que divide os Bruxos Brancos, considerados «bons», e os Bruxos Negros, odiados e perseguidos pelos Brancos. O herói, Nathan, é filho de uma Bruxa Branca e de um Bruxo Negro e, portanto, considerado perigoso. Nathan é constantemente vigiado pelo Conselho dos Bruxos Brancos desde que nasceu e aos 16 anos é encarcerado e treinado para matar. Mas Nathan sabe que tem de fugir antes de completar 17 anos e a sua determinação é inabalável. Este é o romance de estreia de Sally Green e o primeiro volume de uma nova trilogia do género fantástico.


Opinião:
Este fora um livro que de imediato me chamara a atenção. A capa era simplesmente fantástica e a sinopse prometia-me um bom livro, com muito mistério e magia. Admito que houve uma altura em que tive um pouco de receio de o ler, especialmente porque li uma crítica que dizia que este livro era praticamente cópia da saga Harry Potter, mas não achei de forma alguma. A maneira de ser da personagem é muito diferente, a sua história é diferente, o tipo de magia abordada é diferente.

Tudo começa com Nathan. Nathan era um rapaz especial, embora de acordo com a sua lógica, neste caso ser especial era algo horrível. Estamos num mundo onde existem Bruxos Brancos e Bruxos Negros, sendo que estes últimos estão a desaparecer, pois sendo considerados maus e cruéis os Bruxos Brancos perseguem-nos para os matar ou prender. O objetivo desta perseguição é tornar o seu mundo muito melhor, sem guerras e intrigas. Nathan teve o azar de pertencer aos dois mundos, sendo filho de uma Bruxa Branca e um Bruxo Negro. Tal já era suficientemente mau se ele fosse filho de um bruxo negro qualquer, mas Nathan é filho do mais poderoso e temível Bruxo Negro conhecido. Um homem que está em constante fuga, nunca tendo sido apanhado.

Desde cedo o preconceito ataca a vida de Nathan. O conselho dos Bruxos Brancos avisa que Bruxos Negros e mestiços destes que se decidam entregar serão vigiados durante toda a sua vida, o que para Nathan já era suficientemente mau. Mas à medida que este cresce, o conselho arranja cada vez mais regras, que praticamente o aprisionam em casa sem poder ter contacto algum com o exterior, sendo a pena a morte. Apesar de inicialmente tal não lhe custar muito, afinal de contas não tinha propriamente amigos com quem costumava estar, é ao conhecer uma rapariga muito querida nas suas aulas que tudo muda. Filha de uma proeminente família de Bruxos Brancos que prezam a linha de sangue acima de tudo, é uma pessoa que não se importa com a natureza do nascimento de Nathan, acabando ambos por gostarem imenso um do outro...

Quebrando as regras para a ver, quando tal é descoberto a sua vida muda radicalmente e descobre que afinal a sua casa não era uma prisão assim tão grande quando ele pensava. Decidido a não ser como o pai, Nathan tenta manter a sua parte branca ao de cima, mas a sua vida não é tão fácil quando isso, sendo cada vez mais difícil não se deixar ofuscar pelo lado negro...

Adorei este livro! Como referi, estava com muito receio devido ao que tinha lido das comparações com o Harry Potter. Embora sim, haja um facto ou outro que se pensarmos bem até pode parecer similar com essa saga, a verdade é que acho este novo livro algo diferente e inovador, sendo que para alguns até poderia ser chocante. Nathan é um jovem que nascera nas piores circunstâncias, mas que mesmo assim é uma pessoa forte, determinada e muito corajosa, pois se assim não fosse já há muito que teria sido destruído. Neste livro seguimo-lo durante toda a sua adolescência, desde o rapaz que não sabia onde se encaixar, ao primeiro amor e ao aprisionamento. Todas estas fases são muitíssimo bem construídas, sendo que na primeira compreendemos o ódio dos demais pelos bruxos Negros, um ódio que embora não seja tão injustificado quando isso acaba por, por vezes, tornar os Bruxos Brancos piores que os Negros. Na segunda parte começamos a ver que ainda existem pessoas puras, que não ligam a rótulos mas sim à pessoa em si, sendo que começamos a visualizar a parte mais pura do ser de Nathan a vir ao de cima. Mas esta parte quase é ofuscada na terceira parte do livro, pois Nathan aos 16 anos é aprisionado e tratado pior que lixo, embora mais tarde percebamos que deve sorte com a sua "guarda" de aprisionamento. Esta é uma parte um pouco forte para alguns, sendo as descrições muitíssimo vívidas e sendo que estamos perante um aprisionamente de anos, existem partes chocantes e que, pelo menos a mim, me fizeram criar uma grande raiva para com os Bruxos Brancos.

Apesar de inicialmente esses Bruxos serem apresentados como a "luz", o bem existente no mundo, ao longo do livro dá para perceber como a podridão entrara na "raça", como acabaram por ser engolidos pelo orgulho de serem superiores e por vezes fazem ações bem piores que os Bruxos Negros. Os Bruxos Negros apesar de matarem e gostarem de chacinar pessoas, acabamos por compreender que por vezes tal atos não são totalmente sem razão, estando muitas vezes relacionados com a opressão existente. São ambas espécies que não se podem definir como boa ou má, sendo que ambas têm os seus defeitos e qualidades, embora estes sejam muito diferentes do que inicialmente somos levados a acreditar.

Um livro que iniciou uma saga, que acredito, de sucesso. Vou sem dúvida ler o próximo livro, pois devorei este primeiro!

0 devaneios :