Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"A Derradeira Ilusão" de Diane Chamberlain

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015
Autora: Madeline Hunter
Edição/reimpressão: 2014
Editor: Edições Asa
ISBN: 9789892328461

Sinopse:
Tristan, duque de Castleford, acaba de herdar uma pequena casa e, com ela, uma grande surpresa: Daphne Joyes, uma bela mas agressiva inquilina. O irreverente Tristan deixa logo bem claro que tenciona seduzi-la, dar-lhe prazer, e vê-la coberta apenas de diamantes. Mas Daphne conhece bem a escandalosa reputação do duque, e não está disposta a ceder às suas provocações.
No entanto, ambos têm um inimigo em comum. Um homem cuja malevolência acaba por os ajudar de uma estranha e inesperada forma. Existe, todavia, um entrave: o segredo que Daphne guarda e que a leva a ser uma mulher extremamente cautelosa. Mas embora o seu novo senhorio seja arrogante e se entregue a uma vida de deboches (exceto às terças-feiras!), Daphne dá por si a baixar perigosamente a guarda. Até porque, afinal, os diamantes ficam bem com tudo… e também com nada…


Opinião:
Madeline Hunter é daquelas autora de quem nunca sei o que esperar. Ora tem romances simplesmente fantásticos que me prendem do início ao fim, ora tem romances que me fazem pensar que acabei de perder algumas horas da minha vida. Algo que não ajuda muito são as capas. Não gosto muito das capas desta autora cá em Portugal, pelo menos das capas mais recentes. Têm sempre pessoas em plano grande, mas pessoas com caras muito perfeitas, chegando mesmo a ser estranhas. Acho que é um ponto negativo, não da autora, mas da editora…

Se havia coisa que admirou Tristan foi ser contemplado no testamento de um velho conde que havia conhecido. Um conde que sempre demonstrou odiá-lo e não querer ter nada a ver com ele. Mas o estranho é este velho conde deixar-lhe não uma, nem duas, mas diversas vivendas em testamento. Casas que ninguém sabia sequer a existência. Decidido a descobrir que casas são estas, Tristan começa a visitá-las. Na primeira dá de caras com Daphne, uma mulher determinada, solitária e lindíssima!

Daphne já vivia ali há diversos anos. Tendo pertencido em tempos à alta sociedade, agora tenta sobreviver sozinha com o seu negócio das flores raras, um negócio que muito tem dado que falar e que acaba por contar com conhecidos poderosos, não tivessem antigos membros casados com pessoas de grande importância. Mas a calma em que vive rapidamente se dissipa com a visita de Tristan e com a afirmação de que o antigo conde havia morrido.

Este deve ter sido um dos livros desta colecção que mais gostei, se não o que gostei mais. A história entre os personagens parecia mais verdadeira do que nos volumes anteriores e embora não fosse um livro com tanto romance como os outros da colecção, achei que a história em si estava mais desenvolvida e aprofundada, não existindo tantas pontas soltas nem romances que aparecem do dia para a noite.

Neste as personagens são bem aprofundadas, sabemos o seu passado e presente e começamos a desconfiar do seu futuro. Claro que existem contrapartidas pelo meio da narrativa, mas que era de um romance histórico sem essas contrapartidas? Neste livro a autora demonstrou-me de novo porque é que eu gostava tanto dela. Apesar de me ter dado umas quantas desilusões no passado, com este livro voltou a ser uma autora a estar no meu “radar”.

Um livro que recomendo, e uma excelente conclusão da saga!

0 devaneios :