Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"A Derradeira Ilusão" de Diane Chamberlain

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015
Autor: John Harding
Edição/reimpressão: 2010
Páginas: 288
Editor: Livros d'Hoje
ISBN: 9789722040884

Sinopse:
1891. Nova Inglaterra. Numa mansão distante e decadente, onde nada é o que parece, dois irmãos são deixados à mercê de criados e regras ditadas por um tio negligente. A jovem Florence, de apenas 12 anos, passa os dias a tomar conta do seu irmão mais novo Giles e a deambular pelos corredores, numa rotina entediante e desinteressante. Até que, um dia, a menina encontra na mansão um lugar proibido: uma biblioteca fechada e empoeirada, pela qual se apaixona.
Mas naquela casa existem segredos sombrios que não deveriam ser revelados. Porque é que Florence sonha sempre com uma mulher misteriosa que insiste em ameaçar o seu irmão? Que segredo esconde a nova preceptora e porque Florence tem dela um medo sobrenatural? E porque é que o seu tio não permite que ela aprenda a ler? Florence precisa de encontrar muitas respostas - sejam elas inventadas ou não, e soluções nem sempre fáceis para proteger Giles, e o seu amor pelos livros, antes que alguém descubra quem ousou abrir as portas daquele mundo literário.


Opinião:
Admito que este livro me chamou a atenção pelo título. Afinal de contas, que leitor não acha piada a livros em que o assunto são livros? Pessoas que gostam de livros e que fazem de tudo para os conhecerem e viverem as suas aventuras? Essa foi a grande razão para começar a ler este livro... Um livro que provou ser muito diferente do que esperava, o que acabou por ser uma surpresa agradável.

Florence sempre fora um espírito livre. Tinha toda a liberdade que queria e vivia numa casa enorme com pessoas que a adoravam. Uma dessas pessoas era o seu irmãozinho, a pessoa que mais amava neste mundo. Florence apenas tinha uma regra imposta pelo seu tio, nunca entrar na biblioteca. Mas o fruto proibido é o mais apetecível e Florence não resistiu visitar a biblioteca, onde descobriu um novo mundo, onde podia sonhar acordada. Um mundo onde convivia com fantasmas, bruxas e pessoas normais em lugares longínquos.

Foi aí, na biblioteca, que Florence criou um lugar protegido de tudo e todos, o seu lugar especial. Um lugar conhecido apenas pelo seu irmão mais novo. Mas é quando este se vai embora, que Florence se sente mais sozinha do que nunca. Apesar de ter um novo amigo que a costuma visitar imensas vezes, rmão é irmão e as saudades e preocupação aumentam quando começa a receber cartas em que este refere que chamarem-lhe nomes não é o pior que lhe poderiam fazer...

Este foi um livro que acabou por ser deveras estranho, podendo mesmo denominá-lo de romance gótico. Inicialmente temos uma história normal. Duas crianças órfãs que moram numa das casas do tio e são tratadas pelos criados, sendo estes os seus verdadeiros pais. As crianças são muito diferentes entre si, uma é elétrica e outra é uma paz de alma. A paz de alma é o rapaz, que apesar de não ser tão inteligente como a rapariga, acaba por ser enviado para um colégio interno, sendo que a rapariga, que é proibida de entrar na biblioteca, arranja forma de aprender a ler sozinha e de viver as suas aventuras. Até este ponto é uma história comum no mundo literário, banal até. É quando o irmão de Florence regressa que a história começa a tomar outro tom. Um tom mais negro, obscuro e até mesmo fantasioso.

Esta é daquelas histórias que, ao ser contada do ponto de vista de uma rapariga tão fantasiosa como Florence, não temos a certeza absoluta se o que ela diz é verdade ou não. Se é algo inventado, meia verdade ou algo retirado de outro contexto. Além disso, sendo o início uma história tão real, as coisas ficam deveras confusas quando esta se torna tão imaginativa e estranha. A juntar à estranheza, a metade do livro descobrimos que a primeira tutora das crianças acabara morta e as perguntas do polícia responsável pelo caso levantam-nos estranhas suspeitas que mais à frente descobrimos que podem ser verdade.

A personalidade de Florence é o que torna o livro o que é. De criança forte e determinada a louca e delirante, é uma personagem com características muito diferentes e vincadas, acabando por ser ela que traz todo o mistério e suspense para a história.

Um livro que apesar de se ter tornado tão estranho ao longo da narrativa me conseguiu prender do início ao fim e cuja escrita fluída permite uma leitura rápida e até mesmo viciante.

0 devaneios :