Quem sou eu?

A minha fotografia

Anteriormente conhecida como v_crazy_girl, a 30 de Agosto de 2014 essa conta foi apagada, tendo assim decidido criar algo mais pessoal e próprio para o blogue literário de longa data.

Na Mesa de Cabeceira...

Na Mesa de Cabeceira...
"A Derradeira Ilusão" de Diane Chamberlain

Passatempo

Passatempo
Resultado!!

Seguidores

Com tecnologia do Blogger.

Facebook

Arquivo do Blogue

segunda-feira, 30 de março de 2015
Autora: Paulo Fonseca
Edição/reimpressão: 2008
Páginas: 194
Editor: Papiro Editora
ISBN: 9789896361846

Sinopse:
(...) De repente a iluminação piscou. Os olhos de ambos fixaram-se no horizonte, até onde alcançavam, e começaram a ver a luzes extinguirem-se, umas atrás das outras, como peças de dominó, como se as trevas fossem tragando a luz num gloop-gloop dantesco; anúncios atrás de anúncios, cartazes electrónicos atrás de cartazes electrónicos, salas de escritórios atrás de salas de escritórios; e os candeeiros nas ruas...
Uma espécie de rastilho correu as ruas de Lisboa apagando tudo o que eram luzes.
Fez-se trevas.
Um piscar trémulo e insistente atraiu a atenção de Gabriel. Um dos candeeiros da Av. 5 de Outubro extinguia-se como uma brasa, para logo se reacender como se assoprado, até que desistiu. Lembrou-o, sarcasticamente, da esperança da humanidade...
As trevas desceram sobre Lisboa.


Opinião:
Admito que já há algum tempo não ouvia falar deste autor. Há uns anos lembro-me de ver na blogosfera diversas postagens sobre este autor, sobre os seus livros e alguma publicidade aos mesmos. Mas foi algo repentino e passageiro. Quando fui contactada pelo autor lembrei-me de imediato dessa altura e, visto na altura ter ficado curiosa com este livro, não resisti a aceitar a proposta e começar a ler este livro.

O futuro aparenta-se negro para a sociedade. Estranhas criatura aparecem do nada, alimentando-se do caos e destruição. Gabriel acorda e não se lembra de como fora parar ao hospital. Não se lembra do que acontecera e fica preocupada quando vê que todos estão cansados, com medo e receio pelo seu futuro. Fica ainda mais assustado quando recebe mensagens de um colega e amigo que lhe diz que o futuro está a escapar à humanidade entre os dedos. E quando este lhe confirma a existência de extraterrestres o seu mundo parece cair-lhe aos pés.

Decidido a lutar e a salvar a humanidade, Gabriel acaba por conhecer Laura, uma mulher lindíssima que o havia salvo das garras de uma dessas estranhas criaturas. Uma mulher que acaba por lhe contar mais sobre o que se passa no mundo e sobre o seu futuro após ter sido atacada por uma das horríveis criaturas.

Este livro deixou-me um pouco dividida. Se por um lado adorei a ideia inicial e achei a escrita do autor muito boa, fluída e interessante, por outro lado achei que o rumo que a história tomou não foi o melhor. A ideia de extraterrestres estava boa, mas foi um pouco exagerado acrescentar outros seres, como vampiros e lobisomens. Acho que se o autor utilizasse a ideia de extraterrestres e desenvolvesse melhor o que estes tinham feito em outros planeta, o mau da fita estava mais do que bem caracterizado. Não era necessário adicionar outros seres.

Outro ponto que foi muito puxado foi Gabriel achar, desde o início, que era o salvador da humanidade. Um pouco de humildade faz bem a todos e esta personagem não é de forma alguma humilde. Acha de imediato que é a esperança da humanidade e tal deveria ser revelado lentamente ao longo da narrativa (e não pela própria personagem). E de preferência com uma razão de ser como plano de fundo.

Por fim, outro dos pontos menos positivos foi a estranha relação entre as pessoas. A humanidade apenas estava em declínio há uma semana e já estavam todos loucos por sexo e com vontade de sentir-se perto de outras pessoas, não se sentido sós. Acredito que se realmente ocorrer algo deste género essa reação seja totalmente credível, afinal de contas estamos a falar dos instintos animais, que por vezes são mais fortes que outros, mas não deixa de ser um pouco exagerado e achei que após uma semana esses instintos estavam demasiado fincados.

Estes foram os pontos menos positivos de todo o livro, mas se fossem alterados acho que iria gostar ainda mais do livro! Afinal de contas a ideia inicial é excelente e a escrita do autor é muito boa para o género, nem demasiado poética nem descuidada, acabando por ser uma escrita que denota grande cuidado e revisão. Não consegui largar o livro enquanto não o terminei, pois a narrativa acaba por viciar o leitor ao ponto de ser impossível parar.

Admito que fiquei com curiosidade de saber a continuação da história e em saber como o grupo irá salvar a humanidade. Um autor que me surpreendeu e foi uma boa "iniciação".

0 devaneios :